Crónica de Jorge C Ferreira | Livros e Ruas

Crónica de Jorge C Ferreira | Livros e Ruas   Livros e Ruas O coração aos saltos. Um livro a ferver. Gente que chama gente. Um medo sem medo. A vida a continuar. Tanta coisa a tratar. Tanta coisa a contar. Tanta coisa por contar. As páginas a encolherem. As letras cada vez mais pequenas. As ideias, as ideias a saltarem e a sumirem-se num jogo de enganar. Quantos espaços. Os espaços dos silêncios que muitos não entendem. O fim que se faz difícil. O desejo que se quer desejado.…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Ainda as pessoas estranhas

Crónica de Alice Vieira | Ainda as pessoas estranhas   AINDA AS PESSOAS ESTRANHAS Alice Vieira     Há umas semanas falei aqui, como sendo uma pessoa estranha, do jornalista Felix Correia, nazi assumido e das melhores pessoas que conheci. Hoje é uma história um pouco ao contrário dessa. Estava eu a tomar o pequeno almoço no “meu” café, quando se chega uma jovem, aí pelos seus trinta anos, que me disse: –Não se lembra de mim, claro, chamo-me Leonor, e tinha para aí quatro ou cinco anos quando a…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado – O animal que mais falhou

Crónica de Alexandre Honrado – O animal que mais falhou   Um animal que falhou enquanto animal. Eis uma nova definição do ser humano. Estonteado pelas formas autofágicas de cultura, essa outra forma específica que relevou da sua capacidade de contrariar a natureza e distanciar-se dela, como se fosse dono do planeta, é agora um ser perturbado, procurando acumular valores enquanto perde os valores que o podiam resgatar. Um animal – pela definição, um ser organizado, dotado de movimento e de sensibilidade – que perdeu ou adulterou os seus atributos:…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Cansaços e Beldades

Crónica de Jorge C Ferreira | Cansaços e Beldades   Cansaços e Beldades  Correm leves as mulheres para o fim do mundo das águas por descobrir. Tempos repetidos em histórias nunca filmadas. Só quem viu aqueles corpos nus, esbeltos, o pode contar. Os homens sentados e entregues ao seu pasmo, não acreditavam no que viam. Que liberdade tão bela. Que corpos tão ansiosos. O amor por acontecer. Ele deita-se no divã e deixa-se ir. Fala sem parar. Apenas algumas pequenas interrupções da mulher que o ouve. Diz o que queria…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado – Chega… para lá e leva o outro

Crónica de Alexandre Honrado – Chega… para lá e leva o outro   CHEGA… PARA LÁ E LEVA O OUTRO     Berrar, a plenos pulmões, Fascismo nunca mais! Com a tristeza de constatar que falhou o eco da velha frase O Fascismo não Passará! Falhou porque as palavras, que podem por vezes ser demolidoras, são ao mesmo tempo pequenas entidades frágeis e carentes. Falhou porque somos acomodados. Ora damos aos filhos o jogo eletrónico ora lhes negamos os livros, porque são “uma seca” e a criança precisa muito é…

Ler mais

Folhetim por Licínia Quitério | Casa de Hóspedes (21º. Episódio)

FOLHETIM | Uma rubrica de Licínia Quitério   Casa de Hóspedes (21º. Episódio) Já se notam os dias mais pequenos, temos o Outono à porta, é o cair da folha, não gosto desta época, vem-me uma tristeza que não sei bem explicar, eu não, até gosto, se não fosse a minha alergia, as férias passam depressa, o que é bom dura pouco, não tarda temos o Natal, se quiserem mais roupa na cama, a minha coluna já começa a dar sinal, pois, cuidado, segure-se bem nas escadas que são traiçoeiras, se…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Estórias da História

Crónica de Jorge C Ferreira | Estórias da História   Estórias da História Tanta estória contada. Tanta estória vivida. Tantos ecos ouvidos. Tanta fanfarronice. As estórias da história. A história que é lenda. A história para fazer heróis. O túmulo do soldado desconhecido. Milhares de viúvas. Velas e orações. Umas botas rotas, uma espingarda sem balas, umas pedras de outro mar. Um caixão vazio. As peregrinações, as promessas, as lágrimas de dor. Um coração oco. Uma pedra no lugar do músculo. Os que não conseguem verter uma lágrima. As batalhas mal…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Agora não

Crónica de Alice Vieira | Agora não   AGORA NÃO ALICE VIEIRA   Nestas vésperas de eleições (acalmem-se que eu sei que a esta hora já não se pode fazer propaganda) lembrei-me de uma antiga canção dos “Deolinda”, que bem podia ter sido utilizada por qualquer dos candidatos. Passo a explicar. Vivemos no país do logo-se-vê. Do pode-ser-que. Do em-princípio. A dificuldade que temos em tomar decisões já quase se tornou numa característica nacional. É qualquer coisa que deve estar nos genes. Diante de qualquer problema dizer “é assim, vamos…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado – Não me peçam silêncio

Crónica de Alexandre Honrado – Não me peçam silêncio   Nunca consegui escrever, ler, ou estudar, sem ruído de fundo. Preciso de janelas abertas, trânsito que chia, gente que se quer viva. Acuso-me. Não será um cérebro decente este que se exibe aos sons e se alimenta deles como um pardal faminto nas últimas pedras da calçada. Ligo “aparelhagens”. Oiço muito jazz. Tempero-me com emissões radiofónicas, onde as francesas acabam sempre por intrometer-se –, as francesas são uma tentação, pelo menos em formato radiofónico. Nesta fase a coisa piora, pois…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Abriu a caça

Crónica de Jorge C Ferreira | Abriu a caça   Abriu a caça Os restos de nada. Os farrapos, os fiapos, os trapos. Um ermo sem fim. Um caminho sem destino. O pó e o transe. A ressaca, o cansaço, o corpo que treme. O fim da linha. Um corpo que não se vê ao espelho há anos. O ar hirsuto. As marcas que tenta esconder. As cicatrizes, as infecções, a quase putrefacção. Um destino sem destino. Entretanto abriu a caça. A caça ao voto. Os jantares, as bandeiras, os…

Ler mais