EDITORIAL

6 anos de notícias, 6 anos de crescimento

 

Seis anos volvidos depois de termos iniciado esta empreitada sem ajuste direto ou concurso público, sem subsídios, sem patrocínios visíveis ou encapotados, sem apoios públicos ou privados e sem fontes de financiamentos que não fossem/sejam os nossos fundos próprios e a pouca publicidade que nos tem sido possível angariar, publicidade que nunca trocámos por noticias encomendadas ou por servicinhos aos poderes fáticos.

Em seis anos tornamo-nos no órgão de comunicação social do concelho de Mafra, com maior audiência. Publicamos diariamente entre 10 e 16 artigos que cobrem temas diversos, da cultura ao desporto, da reportagem à crónica, tendo por colaboradores, nomes respeitados da cultura portuguesa.

Mantemos colunas regulares de opinião política, que cobrem todas as cores do espetro político, da direita à esquerda, representando o pensamento das principais forças que desenvolvem atividade no concelho de Mafra e que quiseram aceitar o espaço que pusemos a sua disposição.

Inovámos graficamente, inovámos ao perguntar tudo o que há para perguntar, seja a quem for, não deixando perguntas na gaveta, nem cultivando temas tabu. Inovamos na abrangência da informação que trabalhamos, inovamos no pluralismo ideológico e na diversidade de correntes que acolhemos, inovamos na irreverência e na curiosidade por tudo o que, sem invadir a privacidade do cidadão comum, possa ser notícia.

Como grande parte dos nossos leitores reconhecem, há notícias do concelho, a que só o Jornal de Mafra dá eco, que só chegam a público porque existimos.

Por outro lado, a redação é curta, faltam sempre mãos para fazer o trabalho como ele merece ser feito, com qualidade e com rigor, por vezes, faltam mesmo mãos para fazer o trabalho que tem de ser feito. Somos só humanos e orgulhamo-nos disso, temos ainda muito caminho a fazer, muito para melhorar, muito para aprender e muito para inovar.

Este tem sido um percurso difícil, mas simultaneamente surpreendente. Temos encontrado muitas resistências, muitas portas fechadas e tantas outras que se encerram à nossa passagem, mas o caminho que seguimos tem sido apoiado pela cada vez maior adesão dos leitores, sendo isso, que verdadeiramente nos impulsiona a continuar.

Paulo Quintela
Diretor do Jornal de Mafra

 


Veja aqui os Editoriais anteriores