Crónica de Jorge C Ferreira | Uma figura estranha

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Uma figura estranha   Chega um barco do Barreiro, sai um barco para o Seixal, zarpa outro barco para Cacilhas, atraca um vindo da Trafaria via Porto Brandão. É um vai e vem no estuário do rio que ilumina Lisboa. Em Belém ninguém espera por ninguém, um cais vazio, um pontão que balança. Quando a pouca gente que parecia ser toda a gente que viajava naquele barco já estava na rua a caminho de Belém, sai uma figura estranha, gabardine, chapéu de aba larga, óculos…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Carnaval

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Carnaval   Máscaras, caretas, carantonhas, dissimulações, fingimentos, fantochadas, fantasias para um dia. Matrafonas, fantoches e maltrapilhos. As cegadas. Há quem diga que por um dia conseguiu ser o que queria. Há quem mude de sexo, há quem mude de feitio, há quem mude de vida e de sabor. Há quem prove o nunca provado. Há quem goste e quem não goste. É como tudo neste mundo sem lei. As bisnagas e uma garrafinha de mau cheiro. A festa agendada desde sempre e que parece surpresa.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Murais

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Murais   Gritam medos a horas tardias. As noites sobressaltadas onde não nos encontramos. As sombras da sombra da noite. Nem um holofote nos toca com o seu foco energizante. A força que se esvai entre penumbras. As estreitas vielas, os becos da saudade. A vontade de saltar um muro onde alguém pintou umas escadas para o céu. Os murais da liberdade. A criatividade à solta. Muitas vezes, feitos enquanto dormíamos. Tanta coisa perdida. Descer até à praia. Procurar a claridade. Procurar um pouco de…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Pensar e Sonhar

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Pensar e Sonhar   Desdobravam noites atrás de dias entre ruínas de civilizações desaparecidas. Uma escrita que não sabiam decifrar, jogos de que não sabiam as regras. Nadavam num mar esmeralda e quente. O sal a tomar conta de tudo o que vivia neles. O sol a crescer forte e saboroso. A cor da sua pele a mudar. Uma vida quase de subsistência. Dedicavam muito tempo ao pensamento. Aprenderam a adorar o silêncio. Apenas ouviam a voz do mar. Uma voz que passou a fazer…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Temporal

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Temporal   O grasnar das gaivotas que voavam junto ao rio. Voos errantes, desordenados, um voar de perdição. Um tecto de nuvens negras que quase tocava o rio. Uma ondulação que lembrava o mar encrespado. Os sinais sonoros dos barcos a atravessarem o nevoeiro. O inesperado temporal. A chuva que começava a cair impiedosamente. As janelas viradas para o rio fechadas. Alguém, de vez em quando, arredava as cortinas e espreitava enquanto fazia as suas preces. Uma fadista vai para o seu trabalho. Leva o…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | A Mudança

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira A Mudança   O colo dela, o sossego dele. Uma guitarra dedilhada. Uma mulher deitada. O sossego dele, o colo dela. Um alaúde, uma cítara e um cajón. Uma música exótica. Um amor a crescer. Quantos dias tinha ela? Quantos eram os que ele tinha perdido quando os tentava contar? Nossa aventura. Feita caminhada. Os medos e os tempos vencidos. Uma faca afiada pronta para cortar contratempos. Um calendário com meses rasgados. A ignorância dos dias perdidos. Tempos houve em que os seus perfumes não…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | A Luz

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira A Luz   Os anos a correrem e as meninas a aprenderem. Cavalos brancos levam-nos até a um infinito impossível. A noite que cada vez parece mais perto. Uma escuridão, ou uma explosão de luz. Ninguém sabe. Ninguém nunca contou nada. Parece um segredo bem guardado. Eu penso que é o fim de tudo, mas respeito quem pense o contrário. Os que esperam uma nova vida. Quando sonho com os meus mais antigos, vejo-os sempre como os conheci. Tenho toda a sua imagem guardada em…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Um mar enorme

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Um mar enorme   Há quem a procure e não saiba quem ela é. Acham que vão encontrar o farol que lhes indicará o caminho único para a alegria. Marés, mares revoltos, ondas alterosas e ele lá vai. Há também uma estrela que é a estrela que marca o sentido da vida. Será esse o caminho certo? A lava escorre numa terra que eu adoro. Sulcos, estradas de fogo que, em breve, serão pedra. A ilha de todas as ilhas. Quando avistei pela primeira vez…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Paixão

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Paixão   Corpos exaustos. Corações sôfregos num apressado bater. O tempo corre da mesma maneira. Só a eles parece que não. A eles, que não o vêem numa correria louca, numa estapafúrdia loucura. Tentam parar os ponteiros de relógios imaginários. É tempo de parar, respirar fundo, inspirar e expirar de forma sincopada. Vão buscar os medos que os invadem ao mais fundo deles, passar para outro estado. Os beijos apaixonados. Os corações a baterem num compasso apressado. Corações unidos. Unidos sentimentos. Outro beijo e a…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Coisas da vida

Crónica

Crónica de Jorge C Ferreira Coisas da vida   Um corpo que treme. Outro que agasalha. A complementaridade que faz falta para sobreviver neste triste mundo. O calor que é escasso para muita gente. E demasiado para outros. Uma Mãe dá de mamar ao filho. A mama coberta com uma fralda de pano branco. O leite que parece querer acabar. Talvez falte alimento à Mãe. Talvez só ansiedade do que será o futuro daquela criança. Um leite, apesar de tudo, único. Um leite cheio de amor. Leite vida. Havia também…

Ler mais