Crónica de Jorge C Ferreira | Encontros Felizes

Encontros Felizespor Jorge C Ferreira   Passava das cinco e meia da tarde. Hora em que o Sol começa a inundar a minha esplanada. Há um reflexo imenso numa superfície vidrada de um prédio. Um clarão. Foi um dia de mensagens trocadas com a saudade. Um dia em que fui aparar a barba e o meu neto cortar o cabelo. Uma ansiedade que crescia com o passar das horas. A máscara. Sempre as máscaras e os desinfectantes. Que tempo! Seis da tarde e recebo uma mensagem: “Salimos de Lisboa.” Respondo:…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | A Vida a Mudar

A Vida a Mudarpor Jorge C Ferreira   A liberdade de ir ver o mar. A linha do horizonte e uma areia cheia de gente. Uma água mineral com limão e o olhar. Olhar a imensidão. O meu chapéu creme comprado no Equador. Os óculos escuros. O cabelo branco. Branca também está a minha pele. Branco leite. Acho que nunca estive assim. Há o descer e o subir. Há a calçada portuguesa. Eu ando pelo meio das ruas estreitas. Atravesso a linha do comboio por um túnel. Quando era miúdo…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Saudades da outra rua

Saudades da outra ruapor Jorge C Ferreira   Reencontrar o momento numa noite de luar à sombra de uma palmeira. Ter saudades de estar na minha esplanada a olhar o mar. O azul do nosso Mar Nostrum. As minhas queridas amigas. A ilha que anda. O monte calado e uma igreja fechada. Os meus amigos que ainda bebem. A noite a crescer no passeio marítimo. Tenho tantas saudades de vocês, PORRA! Falamos e dizem-me com ar triste da sua tristeza de não me verem sentado na mesa do costume. Da…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Grandes Entrevistas

Grandes Entrevistaspor Jorge C Ferreira   A televisão em Portugal tem muito lixo. Existem, no entanto, nichos muito interessantes. Não sou um crítico de televisão. Não o pretendo ser. Vou falar de vidas que valem a pena, vidas preenchidas que nos preenchem. Sou espectador da “Grande Entrevista”. Com a possibilidade de ver os programas a qualquer momento e poder escolher o que nos interessa, a televisão tornou-se mais apetitosa. Uma entrevista deve valer pelo entrevistado. O que ele nos aporta. O papel do entrevistador, para além de pontuar os tempos…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O Que Fomos. O Que Somos

O Que Fomos. O Que Somospor Jorge Ferreira   Tragam-me as noites perdidas em caves, bas-fonds e outros sítios cheios de fumo e outros vícios. O pouco e o estranho dormir. A música, sempre a música presente. Muitos músicos, amarelos devido ao sol que nunca apanhavam. A vida feita ao contrário. A chamada vida da noite não começava quando escurecia. Era preciso deixar a noite crescer. Beber um café depois de jantar. Jogar uma partida de bilhar e depois partir ao encontro da magia. Tudo acontecia quando a noite era…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O Quarteirão

O Quarteirãopor Jorge Ferreira   Andamos à volta do quarteirão. Uma, duas, tantas vezes. Passeamos o cão que não temos e, por mais voltas que dermos, voltamos sempre ao mesmo. Estamos enredados numa teia. Somos prisioneiros. O nosso quarteirão é o recreio. Os guardas invisíveis estão alerta. A sorte de ter um café e uma esplanada por perto. Depois das oito só restaurantes e para jantar. Pelas onze tudo fecha. O cão que não temos começa a ficar com uma sonora tristeza. Os gatos gemem nos quintais.  Mascarados sonolentos passeiam…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Cogumelos venenosos

Cogumelos venenosospor Jorge Ferreira   Ligo a televisão e vejo duas enormes explosões. Um cogumelo imenso a crescer. Uma cor meio alaranjada. Vem-me à memória Nagasaki e Hiroshima. Esse dia negro para a história do mundo. Viajo até ao holocausto. Lembro-me da visita ao campo de concentração de Buchenwald, de ter saído de lá a segurar a cabeça com as mãos e sentar-me no passeio sem querer falar com ninguém. Não entender como a natureza humana chega a níveis tão grandes de crueldade. Afinal estamos a ver o Porto de…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Insónias

Insóniaspor Jorge Ferreira   Quando as noites são cabeleiras despenteadas pelos maus pressentimentos. A vida a ser vivida de noite. Logo agora, que os “néons” estão apagados e as ruas vazias. Noites perdidas ou noites encontradas? Nunca chegaremos a saber. Vamos ficando diferentes com a idade. As eternas preocupações que não nos largam vão variando. Começamos a ter pessoas que se preocupam connosco. Uma viragem na vida que aceitamos. Não temos outro remédio. As mazelas, as dores, as perdidas euforias. Um texto triste. Um livro para pensar e a vida…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Os anos contados

Os anos contadospor Jorge Ferreira   Quantos anos perdidos nesta vida. Anos sem nexo e sem fruição. Chega o fim do ano. Uma coisa previamente determinada. Uma invenção, para mim, escusada. Os terríveis calendários. Os malvados relógios. Já chega a noite e o dia. Mesmo nos sítios onde a noite dura vários meses. Que atrasados estamos. Que interessa quantos anos temos. O ano em que nascemos. Somos nós que nos sabemos avaliar. Hoje já existe uma coisa chamada idade biológica. Coisa a que não ligo muito. Acho que é mais…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Peace and Love

Peace and Lovepor Jorge Ferreira   Ser selvagem. Não ligar ao que é suposto. Tentar aprender todos os sabores da vida. O agreste fruto, na agreste serra. A montanha de todos os perigos e de todos os deleites. Uma loba linda de morrer. A beleza azul do seu uivo. Um amor nunca consumado. Todos se guardavam uns aos outros como se fossem siameses. Que coisa tão difícil de explicar. Virtudes nunca por demais cantadas. Encontrar uma flor original. Seria esse o tal pecado original? Seria aquela a flor do pecado?…

Ler mais