Crónica de Jorge C Ferreira | Uma tarde na Casa dos Ventos

Crónica de Jorge C Ferreira Uma tarde na Casa dos Ventos Uma casa dos ventos numa tarde ventosa. Três pessoas que gostam de escrever, de ler e que amam os livros. Uma casa de cantos e recantos. Uma casa para sonhar e brincar às casas. Há vida, livros e um gato que se passeia por entre nós. Um gato chamado O’Neill, tinha de ser. Um gato com nome de Poeta. A poesia em cada parede. Esta casa nova de tão antiga. O motivo foi ir buscar exemplares de um livro…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | As reformas de miséria

Crónica de Jorge C Ferreira As reformas de miséria Trabalhar uma vida e receber uma reforma que não dá para sobreviver. Prometer um aumento de meia dúzia de Euros por mês a estas pessoas é uma ofensa. Somos um povo calmo e pouco exigente. Muitos não têm dinheiro para ir mais longe que o jardim ao pé de casa. Os idosos de agora passaram um tempo de privações, de falta de liberdade, foram formatados para obedecer. Quando chegou a Liberdade, muitos já eram Pais. Alguns, os que resistiram e souberam…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Escrever

Crónica de Jorge C Ferreira Escrever Esta teimosia em continuar a escrever. Estar neste reduto de liberdade. Ser uma voz livre a sobrevoar a torre de pensar. Continuar aqui apesar do medo de errar e das eternas dúvidas. Nunca sei se as palavras estão certas, se a mensagem chega ao destinatário. Estes medos que assaltam quem escreve na esquina de qualquer frase. Este incêndio que arde dentro do corpo. Este cansaço com que chegamos ao fim de cada alegria. Há uma euforia que logo se esboroa após cada ponto final.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | 2020

Crónica de Jorge C Ferreira 2020 Esta é a primeira crónica escrita em 2020. A primeira de não sei quantas. Uma escrita em que me sinto acompanhado. Quase sempre a minha outra voz presente. A chamada à atenção dos vários momentos da vida. A chamada à razão: “A fala da Isaurinda”. Alguns momentos de tensão. Toda esta escrita começou em 2014. Com alguns intervalos, para boas coisas, lá foi acontecendo um texto às segundas-feiras. Textos entregues, textos sentidos, outros gozados. Pedaços de vidas encontradas e desencontradas. Coisas escritas de vários…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Fim do Ano

Crónica de Jorge C Ferreira Fim do Ano Mais um dia ou menos um dia? O eterno dilema. Uma dúvida que me atormenta desde que era muito jovem. Sempre vivi com essas dúvidas que se vão perpetuando no tempo. Quando se aproxima o fim do mês a dúvida aumenta. No fim do ano torna-se quase intolerável. Mais um ano ou menos um ano? Assim tenho ultrapassado os tempos. Assim tenho aturado esses contadores de tempo de dentes afiados e vestidos de negro. Gente nascida de ventres desconhecidos, gente sem nome,…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | As Prendas de Natal

Crónica de Jorge C Ferreira As Prendas de Natal Já foram limpas as chaminés. Já foram cheias as almofadas para fazer parecer anafado o Pai Natal lá de casa. Os putos que acreditam andam num virote e ansiosos pelo que lhes vai tocar. Os que não acreditam, mas ainda têm idade para acreditar, fazem de conta que acreditam a ver se o butim aumenta. Há uma algazarra danada numa casa com exaustor e sem lareira. «Assim, como vem cá o Pai Natal?» Diz o mais pequeno da casa. «O Pai…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Teatro Nacional

Crónica de Jorge C Ferreira Teatro Nacional Rossio, Lisboa, nove horas da manhã. Tão cedo para mim! Uma obrigação inadiável me levou até aqui. Já há turistas com guias a passear a manhã pela baixa. Está montada a iluminação de Natal para mais logo se acender. No Teatro Nacional, não reparei que peça estava em cena. Reparei num enorme cartaz que gritava: “A Arte Faz A Diferença”, nos anúncios de visitas guiadas, na livraria e pouco mais. Toda a minha atenção se virou para o acampamento dos sem abrigo. Cobertores,…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Cores

Crónica de Jorge C Ferreira Cores Coloridas são as ideias que trazes na cabeça. Um caleidoscópio e um binóculo de ver amores. As meias berrantes que usavas. O cabelo de corte arrojado e uma cor que chamava olhos. Eram, no entanto, a variedade e a forma como os teus pensamentos nasciam que importavam e chamavam à atenção. O lápis. A mão ágil. O desenho a sair como se voasse. Um sortilégio. Uma quase magia. As mãos magras, delgadas, as unhas “arranjadas” e pintadas com a tinta da paleta. Os tubos…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Procurar

Crónica de Jorge C Ferreira Procurar Procurar, procurar, procurar. Muitas vezes uma busca cega, porque cega é a vontade de chegar ao apetecido, ao sonhado, ao desejado. Por vezes apetece desistir. Não sei se por o sonho ser demasiado ou a força fraca. As mãos abertas, os braços esticados. A tentativa de encontrar primeiro o todo que parece esquivar-se em golpes mágicos. Não vos vou dizer se é uma mulher, um homem, um feitiço, uma obra. Um encanto será por certo para merecer tal porfia. Esta teimosia de alcançar o…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Inquietação

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] Crónica de Jorge C Ferreira Inquietação Essa arma que ergues. Essa canção que cantas. Cantas, cantas e não cansas. A cantiga na ponta da arma. Baioneta. A busca da mudança. A vida a castigar os corpos e a arte de saber ultrapassar o próprio viver. A vidinha. A triste sina. Não, não há destino. Somos nós que o construímos. Somos a força que, muitas vezes, não sabemos que temos. Os poemas que tantos escreveram. As vozes do desalinho. Uma escrita comprometida. O velho das botas. As gemadas…

Ler mais