Crónica de Jorge C Ferreira | Saber Ver

Crónica de Jorge C Ferreira | Saber Ver   Saber ver. Aprender a contemplar. Imaginar a vida para lá do que vemos. Como se chega aqui? Como vamos lidar com toda esta informação? Saber que se tem um amor do outro lado do mundo e não saber o lugar, a morada. Ter toda a vida por escrever. O destempo. O desespero. Chegar ao inimaginável lugar e abrir os braços ao novo vento. Sítios que não vêm nos mapas, nem nos globos com lâmpadas que iluminam as terras e os mares.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Travessas, travessuras, travesseiros e travessões

Travessas, travessuras, travesseiros e travessões As travessas do cabelo. As travessas que a minha avó Ana e minha tia/avó Emília não dispensavam. O tempo dos carrapitos e dos cabelos enormes das mulheres desse tempo. Mulheres sábias e resistentes. As gestoras eficazes das curtas férias. As travessas de loiça que apareciam quando os tachos não iam para a mesa. O sabor e o cheiro daquelas comidas tão belas de quentes. Comidas feitas pelas mãos da ternura. Nos dias da travessa a comida parecia ter um sabor diferente. Tantas travessas em enxovais…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O ódio, a inveja

O ódio, a inveja   O Ódio. Essa nódoa imensa que, por vezes, atinge as pessoas. O ódio que faz mal a quem o anda a ruminar. O ódio que desgasta mais quem odeia do que quem é odiado. O ódio, a doença que necessita de tratamento. Tratamento urgente. Tratamento que necessita de continuidade em virtude das recidivas. Muito ódio é sublimado a partir da inveja. Nesta terra de invejosos a coisa abunda. A inveja que deprime. Rasga o corpo por dentro. Uma infinita danação. Ter inveja do reconhecimento feito…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O Jerricã

O Jerricã Olha o Jerricã da moda. Há para todos os gostos. Há no chinês e dizem que até na Av. da Liberdade nas lojas de luxo. Tudo de jerricã na mão. O País do jerricã. A depressão, a intoxicação, o malvado do gasóleo. As tristes octanas. Um Massacre. Uma autêntica violência sobre as mentes incapazes de reagir. As televisões a marcar o ritmo. Os repórteres, estagiários, espalhados pelas bombas de gasolina. Tudo nos cai em cima. Até o jerricã já está farto. O garrafão já não é de tinto,…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Sentimento de Posse

Sentimento de Posse Possuir. Ter. O sentimento de posse. A quase loucura. O sentir o outro como seu. A negação do amor. A inversão dos sentimentos. Um “click” e passa-se do que se julga amor ao ódio. O triste sentimento de propriedade. Isto é meu – a frase fatal. Não és minha/meu não és de mais ninguém – a frase letal. A primeira estalada. O falso arrependimento. O pedido de desculpa. A cama como falsa reconciliação. O perdão sem razão. O erro tantas vezes repetido. As marcas. Ocultar a vergonha.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Ventos

Ventos Sopram ventos de quadrantes indefinidos. Sopram poeiras, areias, pedras e feitiços. Ventos que abanam os corpos inteiros. Ventos da vida toda. Barcos à procura de portos de abrigo. Pessoas à procura de uma casa segura. Chamam-lhe tempestade, ciclone, furacão. Dão-lhe um nome de mulher e dizem que têm olho. Ir ao olho do furacão. Ver o interior daquele reboliço. Desaparecer e aparecer no outro lado do mundo. A vertigem. A vontade imensa de ser herói e vítima. Atravessar a tempestade e dançar à chuva. A inclemente intempérie. A revolta…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O Pão Nosso

O Pão Nosso O Forno, a lenha, o fogo, o calor. Amassar A massa a crescer. Fazer a barriga e as maminhas nas carcaças. A Pá enorme de madeira. Os cavaletes e os tabuleiros. Os panos brancos. O pão a sair quentinho. Que cheiro, que estalar. Esse pão que o meu Pai me ensinou. A Padaria era o meu reino. O pão branco e o pão escuro, o pão de segunda. O respeito enorme pelo pão. O pão sempre na mesa. Sem pão e vinho a mesa não era mesa.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Noites que nos devoram

Noites que nos devoram Noites de um tempo inesperado. Noites que não correm. Noites que se passeiam entre nuvens desidratadas. Noites com cheiro. Noites densas e intensas. Noites que se seguem às noites. Um escuro que nenhuma luz desfaz. A falta da luz maior. Tudo cerrado. Nem uma fresta para o outro mundo. Nem uma gota de luz. O escuro total. Reconhecer a face do outro pelo tacto. Conhecer os lábios do outro através dos nossos lábios. O amor a crescer como se o mundo tivesse acabado. O medo do…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Peregrinação

Peregrinação Conhecer as rotas dos desejos. Esquecer os caminhos dos sacrifícios. Viajar num pensamento por descobrir. Abraçar os outros. Os que escolhem os mesmos caminhos. Os irmãos de desejos. Os que caminham com os pés descalços e o coração nas mãos. Os que buscam o amor. Os que têm amor para dar. Uma destinação. Cantam homens e mulheres o caminho vai ganhando alegria. As mantas coloridas. Os cestos cheios de sonhos. Os bastões. Os lenços pequenos e grandes. As flores roubadas nos campos. Silvestres euforias. A pureza do ar. A…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | De Volta

De Volta Estou de volta. Regresso a este espaço com alegria. Tinha saudades vossas. Somos poços de saudades. Somos a verdade deste Sul. Somos um vai e vem. Somos seres em permanente movimento. Já não ando em loucas correrias. É com uma demorada calma que me desloco. Passo a passo lá vou. Os olhos bem abertos para tentar abarcar tudo o que nos rodeia. Levo, quase sempre, muitas saudades de chegar e outras tantas de partir. Parti com calma e com calma cheguei. Novelos levei, novelos trouxe. Baraços de emoções.…

Ler mais