Crónica de Jorge C Ferreira | A Via-Sacra

A Via-Sacrapor Jorge C Ferreira   Falar do encanto escondido. Uma folha de um bloco com desenhos de coisas esquecidas. Um falar calado. Um falar traço a traço. A luz e a sombra e a melancolia de uma árvore despida de afectos. Um banco de ripas, muito verdes. Um lugar único e despido. Na relva ninguém se rebola. O chafariz está avariado. A estátua de um poeta. Um cartaz que diz: “É obrigatório o uso de máscara.” Lembro-me da minha Mãe adorar o Carnaval de Veneza, aquelas máscaras, aquelas sedutoras…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Viva a malta

Viva a maltapor Jorge C Ferreira   Das encantadas levezas. Da leveza da água da cascata mais alta. Da leveza do corpo amado. De leveza em leveza nos vamos embevecendo numa festa sem razão de ser. Vamos fazendo filmes e teatros. Números de saltimbancos e barracas de fantoches. Desfila a banda dos bombeiros agora já sem os miúdos atrás. Está tudo nas aulas virtuais, no teletrabalho. Viva a tecnologia. Dizem que, para o ano, os miúdos serão substituídos por robots. Esperemos para ver. Somos gente de brincar às levezas e…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Antes da pandemia

Antes da pandemiapor Jorge C Ferreira   Ela leva o mais pequeno para a creche. Ele o mais velho para a escola. Vão ter escola e prolongamento. Só vão sair quando estiverem cansados, para não cansarem mais os cansados pais. Mais de uma hora até ao trabalho. Uma para lá outra para cá. Tempo que não é pago. Quem te mandou ir viver para os subúrbios? As novas lancheiras. A comida aquecida no micro-ondas. Meia-hora para almoçar que isto não está para conversas. O convívio incomoda certa gente. Acabaram as…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O pranto

O prantopor Jorge C Ferreira   Sentirmos no ombro, no peito, um dilúvio de lágrimas. Ouvir os ininterruptos soluços. Tentar acalmar a dor e deixar que a raiva passe. Os gonzos da cela da prisão a encerrar a liberdade. O barulho das pesadas chaves. Uns lábios muito quentes. A febril emoção. Saber da aveludada pele de outros pigmentos. Saber do amor falado noutras línguas. Outras maneiras de amar. Amar sempre o outro. Nunca sentir as diferenças. Ama-se porque sim. Porque se sente algo de especial. Uma vontade enorme de ser…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Que Mundo?

      Que Mundo?     por Jorge C Ferreira   Aterrar neste tempo e neste Mundo. A loucura a passear pelas ruas das cidades. Um tempo em que é necessário pensar. Para onde nos querem levar? Que caminho é este? Um tempo de espera. Mas um tempo em que não podemos desarmar. Temos de agir quando for necessário. Um joelho, nove minutos, calcando o pescoço de um ser humano algemado e imobilizado. A cara do algoz impassível. Uma mão na algibeira. Ajeitando o joelho para poder causar o pior.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Crónica da Ausência 

Crónica da Ausência     por Jorge C Ferreira I Treme o chão. Trememos nós. Treme o Mundo. Placas que se unem e desunem. Placas de vírus, lamelas dos investigadores. Microscópios e mais outras máquinas esquisitas. Quanto mais se descobre mais fica por saber. A experimentação. A corrida para o vazio. Nós esperamos. II Os que morrem. Os que acrescentam os números e determinam as curvas, nesta curva difícil da vida. Há quem sobreviva e se cure, e seja a recompensa para os que o trabalho é salvar vidas, curar. Os…

Ler mais

Crónica de Jorge Ferreira | O silêncio

O silênciopor Jorge Ferreira     Este silêncio que persiste em se manter vivo. Este não sei quê que se vai instalando de uma forma que nos atormenta. São como noites de vigília apenas com uma vela acesa. Os medos incutidos. A mudança de vida. A mudança de mundo. Caladas vozes. Passam máscaras na minha rua. As máscaras, na minha região, estão à venda nas IPSS. Como sou velho tenho direito a quatro máscaras grátis por semana. Acho que tenho de telefonar para a linha sénior. Ofereçam a toda a…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Números e Gráficos

“Números e Gráficos”   Todos os dias me enviam números e gráficos que eu agradeço, vejo e tento interpretar. Alinho os números, vejo as curvas. As subidas, os achatamentos e chego sempre à mesma conclusão: morreram mais não sei quantos e isso é que é horrível. Vejo as idades dos que morreram e entendo porque pertenço ao grupo de risco. Houve um tempo em que a aventura era a minha vida e costumava alardear e gritar: o “risco é a minha profissão”. Agora o risco apanhou-me nesta curva da vida.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | “Mudar de Vida”

Crónica de Jorge C Ferreirapor Jorge C Ferreira “Mudar de Vida”   Desde muito novo que sonho com as mudanças no mundo, com mais justiça social, paz e liberdade. Desde que me interrogava o que é isto? Onde estou? Porquê aqui? Acho que, aos setenta e um anos, voltei às mesmas perguntas. Aos mesmos segredos calados. Voltei a ser uma criança danada. Agora pergunto: o que vamos ser? Quando vamos ser? Que mundo iremos ter? Espero sempre pelo melhor, mas o que vejo perfilar-se é mais do mesmo. As mesmas…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Assim estamos

Crónica de Jorge C Ferreira Assim estamos    Passam luas, passam dias de sol, dias mais cinzentos, a chuva. Rasgam-se folhas dos calendários. Afiamos o lápis para ir riscando os dias. Vamos desdobrando noites atrás de noites e o sono é uma acalmia para o nosso dia-a-dia. Quando acordamos ficamos felizes. Acendemos o rádio ou a televisão e reaparece alguma ansiedade. Quase que apetece ir para a cama de novo. Tomar uma pastilha e adormecer. É o adiar progressivo do fim de tudo. É não saber de nada. São informações…

Ler mais