Crónica de Jorge C Ferreira | Aprender

  Aprender por Jorge C Ferreira   Eram manhãs que nasciam súbitas dos ventres das madrugadas. Um tempo que passávamos em claro. Não tínhamos dado que a noite tinha acabado. Só os néons e as luzes psicadélicas viviam nas nossas cabeças. Tão jovens e com tanta vontade de viver depressa. Assim nos enrolávamos com a vida. Os beijos eram intensos. Intensos foram todos aqueles amores perdidos. Vir a casa, tomar banho, mudar de roupa. A farda para o trabalho. A outra vida que ia durar muitas horas. Até que os…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Viagens

  Viagens por Jorge C Ferreira   Uma esquina sombria e uma neblina ensombrada. A vida a andar ao contrário numa linguagem difícil de decifrar. Os cantos que deixaram de ser acolhedores. Os vértices que passaram a ser lâminas. O mundo a girar do avesso. É então que viver se torna difícil. Deixar de escutar as vozes, mesmo as mais doces, as que nos enchiam de doçuras. Ficar mudo de medo e as mãos presas e sem serem capazes de escrever uma linha. Sabemos que nos lugares mais longínquos do…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O Mar e o Respeito

  O Mar e o Respeito por Jorge C Ferreira   Cheguei a vossa casa e entrei numa alegria imensa. Primeiro abraçámo-nos e beijámo-nos com muita força. Um abraço de vida. Como se tivéssemos regressado de um tempo antigo. Há sempre um abraço maior na vida de qualquer pessoa. Depois começaste a contar a tua aventura e foi um tempo de sonhos e pesadelos. O mar, o azul imenso. Olhar as nuvens. Ver o seu tipo e trajecto. Navegar. Ser levado pelos golfinhos nas suas danças maravilhosas. Esperar que um…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Uma Ilha

  Uma Ilha por Jorge C Ferreira   Viver onde se está. Viver como os que lá vivem e com eles. O arroz com feijão. As goiabas. Ao princípio da madrugada uma garrafa de rum. Viver devagar porque o calor era intenso. Acordar muito cedo e ir para o campo. A apanha dos frutos. A plantação de árvores. A vida a crescer. O tempo de todas as flores. Há países que são línguas que nos inflamam de ternura. A música, o canto, a nova trova. Ir à capital de todas…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | As guerras

  As guerras por Jorge C Ferreira   Há dias que custam a passar. Dias estranhos nesta voragem do tempo. São, por vezes, horas esquisitas que nos incomodam. Tempo que ilustra vontades não alcançadas neste mundo complicado que estamos a viver. Degraus que não conseguimos subir. Escadas que não têm fim. Já se fala tanto da guerra que não me quero atrever a falar de tal. Digo apenas que a Rússia invadiu a Ucrânia. Acontecimento que não aceito de modo nenhum, que me custa compreender. O importante é falar do…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Maio minha flor

  Maio minha flor por Jorge C Ferreira   Como amo este meu Maio. Mês de flores abertas à vida. Mês de gritar a Liberdade desde o seu dia primeiro. Tanto foi o tempo em que esse dia era proibido de comemorar. Arriscar a ser preso. Cheguei a ouvir tiros no Rossio. Muitos eram presos “preventivamente” antes desse dia. Maio sempre foi luta, sangue, dor, mas também alegria, mais um passo para a liberdade inteira. Primeiro de Maio Dia do Trabalhador. Dia a reviver sempre. Chegou Abril e o mundo…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Abril e a vida

  Abril e a vida por Jorge C Ferreira   Esta montanha-russa que é a nossa vida. Momentos que se sucedem a momentos. Noite e dias. O jogo do Sol e da Lua. Uma vez vi esta dança de astros ao largo da Ilha de Mikonos. Esse meu paraíso encantado. Fiquei a lacrimejar de espanto. Um espanto de sal e luz. O sem saber quem queria namorar quem. Lá, no fundo, admito que gostava que dessem um beijo e se fundissem num incêndio de amor. Muitas vezes estamos eufóricos e,…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O caixeiro malabarista

  O caixeiro malabarista por Jorge C Ferreira   Era um dos nossos. Um dos que participava nas conversas sem fim. Um dos que fez parte das nossas aventuras caladas. Sim, era um dos nossos. Morava no último andar de um prédio numas escadinhas perto da Estefânia.  Escadinhas que também serviram para muitas descidas arrojadas em tábuas ensaboadas. Nos patamares largos jogava-se à bola. Consta que foi aí que Vítor Damas fez as suas primeiras grandes defesas. Num desses patamares morava outro Amigo nosso. O Pai tinha aí uma fábrica…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Um maço de tabaco estrangeiro

  Um maço de tabaco estrangeiro por Jorge C Ferreira   Por vezes as noites eram danadas. Histórias que se construíam. Invenções que não lembrariam ao demo. Tudo era bem combinado e cada um tinha o seu papel bem estudado. Tudo aconteceu naquele tempo em que ainda se conversava às esquinas dos lugares mais atractivos. Um amigo nosso tinha um tio embarcado. Esse tio quando chegava, além de outras coisas, trazia pacotes de tabaco estrangeiro. Coisa que no burgo não se via a não ser de contrabando. Contrabando que se…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Fim de semana na praia

  Fim de semana na praia por Jorge C Ferreira   Os fins de semana eram pequenos. O dinheiro não abundava. Era verão e apetecia praia. A Costa da Caparica do outro lado do rio. Uma tenda. Um parque de Campismo, (Orbitur). Uma festa anunciada. Primeiro o autocarro até Belém, depois o barco para a Trafaria e, por fim, a camioneta até ao Parque de Campismo. Toda a viagem era uma alegria. Uma aventura. Havia sempre a tentativa de não pagar o bilhete em qualquer transporte. Era uma ajuda para…

Ler mais