Crónica de Jorge C Ferreira | Maio minha flor

  Maio minha flor por Jorge C Ferreira   Como amo este meu Maio. Mês de flores abertas à vida. Mês de gritar a Liberdade desde o seu dia primeiro. Tanto foi o tempo em que esse dia era proibido de comemorar. Arriscar a ser preso. Cheguei a ouvir tiros no Rossio. Muitos eram presos “preventivamente” antes desse dia. Maio sempre foi luta, sangue, dor, mas também alegria, mais um passo para a liberdade inteira. Primeiro de Maio Dia do Trabalhador. Dia a reviver sempre. Chegou Abril e o mundo…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Abril e a vida

  Abril e a vida por Jorge C Ferreira   Esta montanha-russa que é a nossa vida. Momentos que se sucedem a momentos. Noite e dias. O jogo do Sol e da Lua. Uma vez vi esta dança de astros ao largo da Ilha de Mikonos. Esse meu paraíso encantado. Fiquei a lacrimejar de espanto. Um espanto de sal e luz. O sem saber quem queria namorar quem. Lá, no fundo, admito que gostava que dessem um beijo e se fundissem num incêndio de amor. Muitas vezes estamos eufóricos e,…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O caixeiro malabarista

  O caixeiro malabarista por Jorge C Ferreira   Era um dos nossos. Um dos que participava nas conversas sem fim. Um dos que fez parte das nossas aventuras caladas. Sim, era um dos nossos. Morava no último andar de um prédio numas escadinhas perto da Estefânia.  Escadinhas que também serviram para muitas descidas arrojadas em tábuas ensaboadas. Nos patamares largos jogava-se à bola. Consta que foi aí que Vítor Damas fez as suas primeiras grandes defesas. Num desses patamares morava outro Amigo nosso. O Pai tinha aí uma fábrica…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Um maço de tabaco estrangeiro

  Um maço de tabaco estrangeiro por Jorge C Ferreira   Por vezes as noites eram danadas. Histórias que se construíam. Invenções que não lembrariam ao demo. Tudo era bem combinado e cada um tinha o seu papel bem estudado. Tudo aconteceu naquele tempo em que ainda se conversava às esquinas dos lugares mais atractivos. Um amigo nosso tinha um tio embarcado. Esse tio quando chegava, além de outras coisas, trazia pacotes de tabaco estrangeiro. Coisa que no burgo não se via a não ser de contrabando. Contrabando que se…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Fim de semana na praia

  Fim de semana na praia por Jorge C Ferreira   Os fins de semana eram pequenos. O dinheiro não abundava. Era verão e apetecia praia. A Costa da Caparica do outro lado do rio. Uma tenda. Um parque de Campismo, (Orbitur). Uma festa anunciada. Primeiro o autocarro até Belém, depois o barco para a Trafaria e, por fim, a camioneta até ao Parque de Campismo. Toda a viagem era uma alegria. Uma aventura. Havia sempre a tentativa de não pagar o bilhete em qualquer transporte. Era uma ajuda para…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Uma Quinta

  Uma Quinta por Jorge C Ferreira   Uma quinta no alto de Vila Franca de Xira do pai de um Amigo nosso. Algumas vezes tínhamos autorização para usufruir da casa. Ou íamos no Wolkswagen 1300 dum amigo, ou de transportes públicos e tínhamos de subir aquela imensa rampa. Eram fins de semana especiais. Havia a casa dos caseiros e a casa principal. Um tanque e um pátio com uma excelente vista e onde se tomavam banhos de mangueira. Havia um burro que teimávamos em montar e saltar dele em…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Uma notícia triste

  Uma notícia triste por Jorge C Ferreira   Quando um colega chegou depois de almoço, já tarde, e se sentou ao pé de mim com um ar triste, fiquei preocupado. Depois despejou: «Vê lá que fui para ir almoçar com antigos colegas e acabei no funeral do Q.» Parei tudo o que estava a fazer e as lágrimas vieram-me aos olhos. A pergunta saiu rápida: «Que lhe aconteceu?» A resposta saiu titubeante: «Uma doença má e estranha. Não sei ao certo.» Até hoje, não encontrei resposta para tal coisa.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Um grande Amigo

  Um grande Amigo por Jorge C Ferreira   Era um enorme Amigo e tinha um MG de colecção. Um MG vermelho e preto com cromados que brilhavam. Uma grelha frontal, linda, vistosa. Uma festa de carro. Foi um amigo muito chegado. Um Amigo de Amar. Porque os Amigos também se amam. Momentos únicos. A nossa ligação era muito estreita. Sabíamos tudo um do outro. Não tínhamos vergonha de nos beijar. Muitas vezes vinha-me buscar ao banco. Parava o carro em cima do passeio na Rua dos Sapateiros e ia…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | As férias grandes

  As férias grandes por Jorge C Ferreira   Teria cerca de 12 anos quando comecei a ir passar as férias de Verão para a Parede na linha de Cascais. Motivos familiares proporcionaram tal. Vivia mesmo no centro da terra. Atravessava a linha do comboio, descia a rua e estava na praia. Havia o banheiro e as barracas e os toldos alugados à época. A praia da Parede era uma praia familiar. As barracas eram guardadas de ano para ano. As senhoras faziam rendas para toalhas intermináveis. As meninas jogavam…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | As Festas e os Bailes

  As Festas e os Bailes por Jorge C Ferreira   O frenesi dos bailes de finalistas. Os vários espaços que se percorriam. O Espelho de Água, as Belas Artes, até em barcos ancorados no Tejo. O baile da chita. Bailes com mais alguma liberdade. As tentativas de entrar sempre sem pagar. Os bares cheios. Os vários conjuntos da época, a música ao vivo: O Quarteto 1111 com o fantástico José Cid, o Quinteto Académico Mais Dois apenas com um português o meu Amigo Zé Manel Fonseca, exímio saxofonista, os…

Ler mais