Crónica de Jorge C Ferreira | Outro Dia

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Outro Dia   Novos inícios de dia. Novos fins de tudo. Um escuro que se desvanece. Um cântico estranho que se ouve. Uma língua desconhecida. Vozes longínquas. Estranhos e surdos pensamentos nos invadem o corpo. Nascem em nós estranhos sinais. Ainda estaremos a sonhar. De repente, um absoluto vazio. Um calado silêncio. Uma solidão inesperada. Um sonho apagado. Tudo isto demora um curto momento. Um tempo que não sabemos quantificar. Um som que começamos a ouvir. A telefonia que deixámos ligada antes de adormecermos. As…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Estrelas

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Estrelas   Um desejo, uma loucura, a ternura que se procura. Será apenas um beijo prometido e nunca dado? Será a fuga tantas vezes ensaiada e nunca conseguida? Fugas à rotina, ao rame-rame. Aquela ilha sempre sonhada e nunca encontrada. Uma ilha que parece navegar. Uma ilha que sonhámos de encantar. Um mar esmeralda. Uma areia branca. As palmeiras a fazerem vénias ao mar. Tanto para navegar. Tanto para sonhar. A nossa Ítaca. As mesinhas e as falsas doenças. Os termómetros de mercúrio que subiam…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | O Caminho que Liberta

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira O Caminho que Liberta   Decidiu percorrer um caminho que lhe libertasse o espírito. Caminhou sozinho e tanta gente caminhou com ele. Vivos e mortos. Penas e saudades. Memórias de uma vida. Pessoas que, mal ou bem, o ensinaram a viver. Veredas, riachos, rios, quedas de água. Pedaços de estradas romanas. Um trajecto de barco, algumas horas a navegar. O espírito sempre alerta. Carrega todos os sentimentos e todos os desejos. Não sei se rezou. Se sim, que orações o acompanharam? Não faço a mínima…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Acreditar

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Acreditar   Cheguei a casa com o peito cheio de alegria. Tinha estado com a minha família completa. A minha mulher, o meu filho, a minha genra, a minha afilhada e o marido e o meu neto do coração, a minha querida sobrinha Alexandra. Não sei quantas pessoas estavam na Avenida, por todos os lados aparecia gente, era difícil caminhar. Já não via tamanha manifestação desde aquele inesquecível primeiro de Maio depois da revolução. Finalmente o Povo saía à rua. Um Povo cioso da sua…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Esta curva apertada do tempo

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Esta curva apertada do tempo   Meu mundo, meu planeta, meu azul. Temo por ti, já não por mim. Quantos mísseis, quantas bombas, quantos drones, explodiram no teu céu e no teu solo ultimamente? Quantos mortos? Quantos mutilados? É a guerra a tornar-se total. A expandir-se, a crescer, a tornar-se o nosso dia-a-dia. Guerra sempre presente nos canais de notícias, vinte e quatro horas por dia. O sangue que sai da televisão a inundar-nos a casa. Nunca tinha visto tantos Generais, Majores Generais e Coronéis,…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Esquinas

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Esquinas   Espera a vida numa esquina em que se esperam todos os milagres e pecados, todos os encantos e desencantos. Uma esquina onde vive algum mistério, algo por desvendar. As pernas estão cansadas. Teme o aparecimento de varizes precoces. Por vezes descalça um sapato por minutos e descansa o pé. As unhas pintadas de um vermelho que cativa. Os sapatos de salto alto. Um corpo que cresce. «Belo pé!» – Diz um fetichista daquela parte do corpo humano. Um voyeur que espreita da janela…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Mistérios

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Mistérios   Dizem que partiu sem chegar, que chegou sem partir, que foi voo em permanência, levitação, asas, um vento que soprou os corpos. Mensagem, palavra e sonho. Há corpos assim, que não sabemos se existem. Uma voz, um gesto, uma alegoria. Nuvens abençoadas por luas e que são a vertigem das marés. Corpos sem corpo. Enquanto um sangue arrepia as mentes e escorre por estradas destruídas. Algozes e cativos. Os bilionários e a miséria. Partiu? Chegou? Quem arrisca? Há falta de respostas. Talvez porque…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Andanças

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Andanças   Andavam às voltas por Lisboa inteira. Subiam e desciam avenidas, vielas, calçadas, com o seu som característico e o som estridente de que estavam a chegar. Corriam sobre linhas paralelas e o seu caminho estava bem definido. Sabiam das colinas da cidade, de todos os caminhos. Cantavam na Graça, assobiavam no Carmo, choravam no Alto de S. João. Passavam impantes junto ao Largo do Leão, mesmo em frente da minha escola primária, depois curvavam à esquerda e desciam até à Praça do Chile.…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Deambulações

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira Deambulações   Há dias que são mais intensos. Dias em que as dores se sentem mais. Em que muitas coisas nos vêm à memória. Dias em que acordamos cansados, dias em que não nos apetece caminhar. Arrastamos os pés e andamos pouco. Escondemo-nos do sol. Ou será o sol que se esconde de nós? Esperamos que nos deixem ver a lua e as estrelas. A Cassiopeia, a Supernova, minhas namoradas tão antigas, meus amores de sempre. Será que vos  verei ao perto, algum dia? Constelações…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | A confusão

Jorge C Ferreira

Crónica de Jorge C Ferreira A confusão   Há pessoas que aparecem devagar, como se pedissem licença para entrar em qualquer espaço livre. Uma delicadeza que chega a comover os mais incautos neste mundo de barbárie, onde os caceteiros proliferam, os fala-baratos não se calam e têm tempo de antena, e os que mentem sem pudor com um sentimento de impunidade que dói não se calam.  Que mundo! Cuidado. «Não ficas triste com tudo o que está a acontecer?» Pergunta a Isabel do outro sofá. Um sofá que partilha com…

Ler mais