Crónica de Alice Vieira | Reunião

Reunião Por Alice Vieira   Passou há pouco tempo na RTP-2 uma série de 6 episódios chamada “Reunião”. E logo duas coisas me vieram logo à cabeça. Quando eu vivia em Paris, um estudante que estava no mesmo hotel que eu—e que muitas vezes, quando não tínhamos dinheiro para pagar ao fim de semana, partilhava comigo a arrumação de todos os outros quartos—tinha família longe. Às vezes dizia-me que ia fazer um telefonema para os pais e quando voltava e eu lhe perguntava por eles só respondiam “não consegui falar…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | O vidro

O vidro Por Alice Vieira   Passa semanalmente na RTP-2 um programa de entrevistas chamado “Mulheres da Resistência”—ou seja, mulheres que se bateram pela liberdade. As entrevistas são feitas pela Manuela Cruzeiro—e a desta semana era com a Aida Magro. Fui muito amiga do José Magro (então seu marido), que me escrevia tantas cartas da prisão de Peniche—ele ,que estava preso há anos e anos, e era torturado– preocupado com a minha saúde, e se tinha ido ao médico…Eu adorava o Zé Magro. Foi então que me lembrei de um…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Ser ou não ser

Ser ou não ser Por Alice Vieira   Está a passar na RTP-2 ( 2ª feira, às 23.40), uma série de oito episódios chamada “Arde Madrid”. Dizem-me que há anos já tinha passado e que estão a repeti-la.  Não importa: há-de haver muita gente como eu, que nunca a viu, e os que já viram decerto vão querer vê-la outra vez. Não percam. É a vida da actriz Ava Gardner, nos anos em que viveu em Madrid, vista através dos olhos dos criados. Em plena ditadura franquista, com perseguições a…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Dia do livro infantil

Dia do livro infantil Por Alice Vieira   Hoje, dia 2 de Abril, dia  em que há 196 anos  nasceu Hans Christian Andersen, comemora-se em todo o mundo o Dia do Livro Infantil. Por isso, os adultos que me desculpem, mas hoje este espaço é dedicado aos  mais novos. Aí vai uma história para eles. (O que não quer dizer que os adultos também não a possam ler…) “A SENHORA DUQUESA QUER LEITE – Decorria lentamente a tarde quando a Senhora Duquesa disse: –Gastão, traz-me uma chávena de leite! Gastão,…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Sair ou não sair – Eis a questão

Sair ou não sair – Eis a questão Por Alice Vieira   Há um conto de um autor húngaro, de que não sei o nome, (mas que pertence a uma antologia de contos húngaros, traduzida pelo meu amigo Ernesto Rodrigues),  de que me tenho lembrado muito nestes últimos tempos. É um conto brevíssimo. A história de uma mulher presa há muitos anos e que, de repente, foi posta em liberdade. Ela vivia na prisão com uma filha pequenina, que nunca conhecera outra vida. Então, uns dias antes de ser posta…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | O sacristão de S. Paulo

O sacristão de S. Paulo Por Alice Vieira   Hoje vou contar uma história, que é para animar o pessoal que já anda a bater um bocado com a cabeça nas paredes neste confinamento –necessário, é certo—mas prolongado. E uma história verdadeira. Pelo menos o amigo inglês que ma contou jurou a pés juntos que se tinha passado mesmo assim. A história de um homem que era sacristão na igreja de São Paulo, em Londres. Um dia, por motivos burocráticos, foi-lhe pedido que assinasse um documento e, para espanto de…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Só porque hoje me lembrei dele

Só porque hoje me lembrei dele Por Alice Vieira   Há datas que festejo sempre. Mesmo quando as pessoas já cá não estão, mesmo se as festejo só para mim. O Ruy Belo é uma dessas pessoas. Faria 88 anos no final deste mês. E penso quase todos os dias nele, sobretudo agora, que tem morrido tanta gente… Não só por ter sido o meu primeiro namorado, mas pelo muito que aprendi com ele até ao fim da sua curtíssima vida (morreu com 45 anos) Conheci-o em 1961, quando ambos…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Quando eles nos deixam

Quando eles nos deixam Por Alice Vieira   Entro na sala, e é como se tudo faltasse só porque ele falta. Ainda por cima em confinamento tudo custa mais. Desde anteontem que ando para aqui sem saber o que fazer, abro janelas, olho lá para fora, fecho janelas, sento-me no sofá, olho em redor, como se isso chegasse para o fazer voltar. Foi a primeira vez que passou a noite fora. E sem aviso. Ligo às amigas, na tentativa de um consolo, para isso é que se inventaram as amigas.…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Uma família feliz

Uma família feliz Por Alice Vieira   O Sr. João Tavares é taxista. Apanhei-o aqui perto de casa e, antes que eu pudesse dizer fosse o que fosse, pergunta-me “Conhece o Costa?” Estava eu a pensar em quantos Costas conhecia e já ele continuava: “Preciso de lhe falar” Foi então que percebi que ele se referia ao Primeiro Ministro. Já tenho dito muitas vezes que o que me custa mais no confinamento é não poder beijar e abraçar os meus filhos e os meus netos. Mas logo, logo a seguir…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | O salvador da pátria

O salvador da pátria Por Alice Vieira   O Sr. João Tavares é taxista. Apanhei-o aqui perto de casa e, antes que eu pudesse dizer fosse o que fosse, pergunta-me “Conhece o Costa?” Estava eu a pensar em quantos Costas conhecia e já ele continuava: “Preciso de lhe falar” Foi então que percebi que ele se referia ao Primeiro Ministro. Vai contando a sua vidinha, diz já ter feito de tudo , desde pertencer à Marinha Mercante que, segundo afirma, lhe está a dever milhares de euros, até andar pelas…

Ler mais