Crónica de Alexandre Honrado | Isabel a Católica – O Poder da Serva de Deus

ISABEL A CATÓLICA O PODER DA SERVA DE DEUS   Foram tímidas mas intensas as vozes que me chegaram depois de ter publicado aqui o meu último texto. Muitos cumprimentaram-me, sem aquele calor que dá ao escriba o maior estímulo, talvez porque, nos tempos que correm, a emissão de débeis juízos de valor é a forma espartana e caricatural da opinião, e para se opinar é preciso mais do que ler o título ou dar palmadinhas nas costas, estas por sinal bem amigáveis… Mas dois (ou três) leitores insistiram para…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado | E se Espanha fosse portuguesa?

E se Espanha fosse portuguesa?   Confesso que a minha ligação com o Reino de Espanha tem sido deficiente, pelo menos a comparar com alguns dos países europeus que me marcaram muito e onde ganhei algumas raízes. Só conhecemos a realidade alheia quando mergulhamos nela, quando somos convidados para casas de outros, mesmo quando até então quase estranhos, que nos servem do que comem e riem e choram sem muretes, mostrando-se como são e recebendo-nos como somos. Passamos a ser desses outros e desses mesmos locais quando casamos ou enterramos…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado | Eu a confessar-me: faço uma coleção (indecorosa) há anos

EU A COFESSAR-ME: FAÇO UMA COLEÇÃO (INDECOROSA) HÁ ANOS   Há muitos anos já, faço uma coleção pouco dignificante, uma dessas coleções que não têm valor formal e que podem até desacreditar-me aos olhos daqueles que vêm a conhecê-la. Por vezes mostro-a timidamente, como o rapazinho que mostra os dedos sujos porque os mergulhou no boião de doce sem consentimento. Fico corado, a desculpar-me e raramente os meus amigos, convidados a conhecer a minha pequena doença, uma tara segundo os mais atrevidos, raramente, dizia, me dão algum crédito, ou valor…

Ler mais

Crónica | Alexandre Honrado – Entre a Síria e a morte

Pergunto à minha volta se têm notícias da Síria. Recebo alguns sorrisos como resposta, mas quem é que quer saber da Síria? É verão, ainda é agosto, não há nada importante para encher as capas dos jornais, a menos que a miúda da Malveira, que vai ganhar um ordenado maior do que não sei quantos presidentes da República juntos, seja motivo de interesse para alguém. Enquanto os outros mergulham escavo nos noticiários e lá encontro uma pálida e magra alusão no fim da linha: chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov,…

Ler mais

Crónica | Alexandre Honrado – A ver a banda passar

A ver a banda passar   A mesma banda de há pouco, desceu do coreto, vai agora a passar com ritmo de caminhada; batidas fortes agasalham os pés e dão-lhes um compasso que a vida às vezes não tem: forte, sincopado como as datas certas que afinal enredam as biografias de todos nós. Um passo para nascer, outro para ser, algum para acreditar. Passa a banda e enquadrada a procissão, figurinhas de gesso pintado em equilíbrios nos andores floridos, mulheres e homens suados a conduzirem as padiolas como podem, e…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado | Fragmentos de discurso

As minhas leituras de férias não serão muito diferentes das minhas leituras do ano inteiro, até porque me considero em férias durante doze meses, intervalando em certos momentos, como aqueles em que tenho de ir à repartição de finanças explicar porque não posso alimentar mais nem melhor o sistema tributário. Trouxe comigo – confesso – alguns livros sobre a I Guerra Mundial, relatos na primeira pessoa, e uma das surpresas neles colhida é a falta de intensidade emotiva com que os sentimentos ficaram no papel. Procuro uma resposta: somos todos…

Ler mais

Crónica || Alexandre Honrado – Viajar

Não percebo bem porque é que, em férias, me divirto tanto a ler e a estudar, se nos restantes meses me subordinei às exigências de estudar e de ler. Faço-o, é claro, de outra forma, retemperadora: com um espírito solto, com uma visão do conhecimento que não me cria laço e compromissos e sobretudo faço-o ao ar livre, ou viajando por locais onde as pedras falam como velhos amigos, as pinturas desafiam a olhares enamorados,  os sons se revelam ecos de passados nem sempre agradáveis mas invariavelmente reveladores. É a…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado | Estar de mal com os outros

Estar de mal com os outros É uma fantasia, esta de estarmos de mal com os outros. Não os suportamos, não fazem o que queremos, têm mais poder, dinheiro e notoriedade do que gostávamos que tivessem. Temos momentos em que desejamos o poder da proibição: que não ocupem a nossa praia, nem passeiem os seus cães, que não pinguem a nossa roupa, que desimpeçam o nosso elevador, que votem no nosso partido, que destruam todos os partidos, que não tenham carro ou que o estacionem no paÍs vizinho, que não…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado | Produtos fora de prazo

Produtos fora de prazo   Num certo momento da desenvolvimento humano (o que normalmente significa qualquer coisa relacionada com o mundo ocidental e neste mundo o bocado em que os ricos comparam os seus mealheiros e aplicações financeiras), nasceu o culto da instantaneidade. Isso significa avidez mas também uma forma precipitada da vida em que tudo se constrói em torno do que o desejo obriga a cada um: o cumprimento instantâneo do que se deseja. As tecnologias dilataram-nos: temos coisas a mais e mais coisas para ver e ouvir; a…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado | Museus do que não se descobre

Museus do que não se descobre É atribuída a Alexandre o Grande, grego macedónio que liderou conquistas e um Império considerável, não maior porque a morte o colheu cedo, a seguinte frase: “ expansão sem defesa é inútil.” Como todos os poderosos, também Alexandre o Grande teve, depois de morto, elogios exagerados e críticas anormais. Herói para uns, monstro para outros, Alexandre é afinal o que a história regista sempre no discurso dos sucessores, porque foram deserdados ou porque receberam o que mais lhe convinha. Essa história, escrita pelos sucessores,…

Ler mais