Crónica de Psicologia de Filipa Marques | O papão do regresso às aulas

O papão do regresso às aulas
Por Filipa Marques

O regresso às aulas presenciais em tempo de pandemia.

Face a este tema, as opiniões dividem-se.

Não vamos hoje abordar pontos de vista, mas sim maneiras dos alunos, pais, professores e restantes membros da comunidade escolar se livrarem do papão do regresso às aulas. Vamos preparar-nos para voltar.

Em primeiro lugar sabemos que todas as escolas estão a planificar o regresso às aulas com o máximo detalhe e cuidado possível, com base nas recomendações das autoridades de saúde e criando estruturas e procedimentos para salvaguardar a saúde e segurança de toda a comunidade (escolar). No meio de tanta incerteza, este trabalho pelo bem comum dá-nos confiança e esperança de que tudo vai correr pelo melhor possível.

Pais, por muita preocupação (compreensível) que tenham, confiem na escola e transmitam esta confiança aos vossos filhos. Sendo os pais um porto seguro, se as crianças notarem desta confiança sentir-se-ão mais tranquilas

É natural que, ainda assim, os alunos se sintam inseguros, com medo e ansiosos. Pais, professores e restantes membros da escola, mostrem compreensão e aceitação destes sentimentos. Não desvalorizem dizendo frases como “isso não é nada” ou “estar com medo não adianta”. Ouçam com atenção e prefiram dizer “compreendo o que estás a sentir”, “é natural ter medo”.

A par da validação emocional, incentivem as boas práticas de distanciamento, higienização e uso de máscara nos vários contextos escolares, especialmente no recreio. Expliquem que as nossas ações contribuem diretamente para a segurança de todos e por isso, devemos cuidar uns dos outros.

Aproveitem para ensinar cidadania, valores e promover competências pessoais. Como? Fomentando o sentido de pertença a um grupo, a colaboração, o respeito pelo outro, a empatia, a responsabilidade pelos próprios atos, a inibição da sua vontade para a realização de um bem comum e até a criatividade, ensinando que podemos demonstrar os afetos de várias maneiras.

Antes das aulas começarem e mesmo durante o período letivo falem com os alunos sobre os aspetos positivos de voltar à escola: reencontrar os colegas, professores e outras pessoas importantes da comunidade escolar, retomar alguma normalidade de vida, ter o privilégio de poder estudar. Incitem a positividade, porque esta é uma arma essencial no combate a qualquer medo ou insegurança.

Criem canais fluentes de comunicação entre encarregados de educação e a escola e promovam a participação ativa das famílias nas aprendizagens e no meio escolar. O envolvimento da família motiva os alunos para a escolarização e a partilha de informação sobre as rotinas e procedimentos leva os pais a acreditarem no bom trabalho da escola no que toca ao crescimento intelectual, físico e emocional dos seus filhos.

É importante por último estar atento ao bem-estar dos alunos e de todos os membros da comunidade escolar, porque o retomar das aulas pode ser psicologicamente exigente quando se vive em plena pandemia. É imprescindível saber reconhecer e identificar os sentimentos de medo e ansiedade em si próprio e nos filhos ou alunos de quem cuida e ajudá-los a criar formas saudáveis de lidar com esses sentimentos.

Filipa Marques
Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde presta serviços nas áreas de Caldas da Rainha e Torres Vedras, dando consultas de psicologia a crianças, adolescentes e adultos.

 


Pode ler (aqui) todos os artigos de Filipa Marques.

Filipa Marques Psicologia


Leia também

Comentário