Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Mais taxas na Fatura da Água

Mais taxas na Fatura da Água   Infelizmente desde o meu último artigo neste Jornal nada se modificou na vida dos portugueses, pelo contrário, a pandemia tem avançado de forma descontrolada com todas as consequências que daí advêm. O desemprego aumenta, as dívidas das famílias e das empresas sobem ainda que de forma silenciosa, as mortes COVID e não COVID galgam nos números e todas as estruturas estatais e privadas envolvidas no combate pela saúde começam a atingir patamares de saturação preocupantes. O simples fato de se encarar a possibilidade…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Ano Novo, Tarifas Novas

Ano Novo, Tarifas Novas   Começo por desejar a todos que este Novo Ano seja de algum sossego, de alguma esperança e de algum desagravamento de todos estes autênticos ‘tratos de polé’ por que estamos a passar. Mas começamos mal. À hora a que escrevo estas linhas sabemos que iremos novamente recolher ao convento, só não sabemos é o tipo da clausura que nos irá ser imposta. Ainda não foi publicado o manual de instruções, esperamos que em português de Portugal, que nos irá guiar através de horários, permissões e…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Bem-vindos, bem-vindos ao combate pela defesa dos direitos humanos

Bem-vindos, bem-vindos ao combate pela defesa dos direitos humanos   Esta será a última crónica de 2020 que escrevo neste ano horribilis para o Mundo e para Portugal em particular. Apanhados não de surpresa mas como sempre mal preparados e sem dinheiro pela pandemia, desde Março que caímos num poço que ameaça ter o fundo ainda muito longe. O que acontecerá quando lá batermos? Não sei, mas sinto que nada de bom será se nos continuarem a mentir e a tratar como se fosse-mos crianças. A assunção de atitudes de…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Definitivamente Portugal não respeita os seus velhos

Definitivamente Portugal não respeita os seus velhos. Embora sempre se diga o contrário, e todos afirmem a valia do património que a idade constitui, a verdade é que a sociedade, espelhada na classe política e no Governo apenas reconhece nos ‘velhos’, ‘idosos’ ou ‘3ª. Idade’ alguma valia em termos de mão-de-obra grátis no apoio à família, não raro até solicitados a contribuírem com ajuda financeira, bem como uma fonte de votos que não se pode desperdiçar. Fora isso, embora se bata com a mão no peito de forma veemente, as…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Exige-se respeito Senhores membros do Governo!

Exige-se respeito Senhores membros do Governo! “A literatura cria cidadãos críticos, que não se deixam manipular e têm a capacidade de projetar-se em direção a um futuro menos ruinoso, menos medíocre.”[i] Não é por acaso que durante todos estes anos de democracia, a luta dos partidos políticos tem sido intensa no que concerne à imposição de modelos de ensino. Por isso, sempre que muda a cor política de uma legislatura, tudo é desmantelado. As sucessivas remodelações que têm desarticulado o sistema de ensino conduziram-no ao estado comatoso em que se…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Um Livro e um Abraço

Um Livro e um Abraço O título deste artigo é o nome de um site “A book and a hug”[i] A sua introdução, “Leia ao redor do mundo” é o manifesto da força que um livro pode ter ao desaguar num abraço: “A nossa esperança é que ao lerem histórias de tantos países, todas as crianças entendam as muitas semelhanças que existem entre nós. Esse será o caminho que nos trará a aceitação e a amizade entre todos.”[ii] Portugal aparece no mapa mas quando se clica sobre ele… NADA! Está…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – A Fulanização empobrece a cidadania

A Fulanização empobrece a cidadania   “ «Fulanização» e «fulanizar» designam uma noção à partida não desejável. O seu significado encerra, …/…, uma carga depreciativa. Esta carga depreciativa resulta do indevido desvio de atenção da matéria de facto para um indivíduo com ela relacionado ou identificado. Deste desvio de atenção, resultam falta de objectividade, simplificação abusiva e consequente irrelevância da informação…”[i] Da fulanização será interessante lembrar um dos problemas mais característicos do ambiente político do Concelho de Mafra: A fulanização das eleições autárquicas pela fulanização das campanhas eleitorais. A personalização…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – A nossa “gripezinha”

A nossa “gripezinha”   Foi o físico alemão Wilhelm Röntgen (1845-1923) quem detetou pela primeira vez a radiação a que chamou “Raios X”. Durante a Primeira Guerra Mundial, Marie Curie propôs o uso dessa radiação para diagnósticos e tratamento de soldados feridos tendo participado na instalação de inúmeros postos de RX em hospitais de retaguarda. A exposição maciça às radiações acabaria por fazê-la contrair leucemia, de que viria a morrer em 1934. São por isso conhecidos os efeitos nefastos dos Raios X, embora sejam de uma utilidade indiscutível como meio de diagnóstico para o tratamento…

Ler mais

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Distrações e Radicalismos

É com muita satisfação que retomo estas crónicas após quase 8 meses de interregno. A saúde, de forma inesperada a isso me obrigou. Mas aqui me encontro, apto para continuar quinzenalmente, a poder contribuir para este convívio imprescindível com todos os Mafrenses Assiste-se hoje ao dominar da sociedade por extremismos que se manifestam nos mais variados contextos – educacionais, religiosos, políticos, ambientalistas, alimentares, culturais, desportivos, etc, que nos revelam uma sociedade desequilibrada e cada vez mais desinformada, pese vivermos uma época em que a ‘informação’ jorra sobre as nossas cabeças.…

Ler mais

COVID-19 | Mário de Sousa Presidente da Comissão Política de Mafra do CDS-PP – Um olhar político sobre a pandemia

Mário de Sousa é Presidente da Comissão Política de Mafra do partido CDS-PP   Como é que avalia a atuação das autoridades locais no ataque à atual pandemia por covid-19? As autoridades locais de um modo geral têm-se limitado a seguir as medidas nacionais propaladas pelo governo central. Com algumas exceções ditadas pelas excecionalidades tudo tem corrido de forma monocórdica. Anunciadas medidas de exceção com pompa e circunstância (muito audiovisual) rapidamente se percebeu que o que se procurava anunciar era demasiado irrisório para a crise que desabava. O balanço que…

Ler mais