Opinião Política | Leila Alexandre (PS) – Banalização, generalização e liberdade

Já uma vez aqui escrevi sobre os perigos dos -ismos. Cada vez mais sou da opinião de que tudo o que é generalizado, agrupado em classes, perde ou faz perder liberdade. Precisamos de etiquetas porque os comportamentos, tendências e atitudes precisam de uma designação que os identifique – é uma necessidade de comunicação e um hábito de “catalogar” -, mas com isso referimos-nos ao coletivo, à maioria dentro de um grupo, e esquecemos o “caso a caso”. Ter a capacidade de olhar para cada indivíduo, cada ação, motivação e propósito…

Ler mais

Opinião Política | Leila Alexandre (PS) – Transportes públicos gratuitos? Sim e não

Transportes públicos gratuitos? Sim e não. De esquerda como assumidamente sou, defendo que os transportes públicos (à semelhança dos demais serviços públicos) devem ser tendencialmente gratuitos – isto num cenário ideal. Não vivendo num país ideal, nem numa realidade utópica, e desviando-me da esquerda ao centro, acredito que estes serviços devem, pelo menos até melhores condições, ser prestados a valores proporcionais aos rendimentos reais de cada indivíduo/agregado familiar. Está quase a fazer um ano desde a implementação do passe social, uma medida importantíssima para as famílias, mas que está a…

Ler mais

Opinião Política | Leila Alexandre (PS) – Dores de crescimento… e como em Mafra se está a ceder à outra direita

Dores de crescimento… e como em Mafra se está a ceder à outra direita   Mafra tem décadas de poder à direita. Do mal o menos, falamos de uma direita central. Não podemos ignorar as mudanças a que assistimos e com as quais vivemos no concelho. A população aumentou, estamos “mais perto” da capital, temos mais infraestruturas e equipamentos, fruto deste crescimento demográfico e usufruímos da medida dos passes sociais, o que ainda nos aproxima mais, não em termos de distância, mas por redução de custos, das áreas mais urbanas…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – Delegar ou comandar – O não-dilema do Executivo PSD

Delegar ou comandar – O não-dilema do Executivo PSD   A Câmara Municipal de Mafra tem como orçamento para 2020 um bolo de mais de 66M€. Deste bolo, cabem às Juntas de Freguesia, pelas verbas consignadas aos Contratos Interadministrativos e Acordos de Execução umas migalhas que pouco ultrapassam os 2M€. Isto representa cerca de 3% do orçamento para o concelho. Saúdo os Presidentes de Junta do concelho de Mafra: é preciso ter um grande espírito de missão, de serviço público, de sacrifício para aceitar dar corpo a esta tarefa. É…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – Ninguém gosta de campanhas políticas

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] Ninguém gosta de campanhas políticas   Felizmente, estamos num país onde há momentos eleitorais distintos com uma regularidade que beneficia a democracia. Inevitavelmente, esses momentos eleitorais são precedidos de campanhas políticas por todos os partidos, mais ou menos intensas, mais ou menos prolongadas, mais ou menos dispendiosas, mais ou menos úteis. Todas têm um elemento comum – pouca atratividade. (Quase) Ninguém gosta de campanhas políticas. Arruadas e comícios fazem o terror de quem está na rua. Nós, políticos, chegamos ao local onde está prevista a ação de…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – Agosto por cá (2/2)

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] Agosto por cá (2/2)   … vinha eu da praia de São Lourenço… Dali saio a caminho de casa. Passo por 2 ou 3 parques intergeracionais vazios (mas como me respondiam com ar de ofensa no outro dia: “é para as crianças” – mesmo que não sejam usados, estão lá para se ver e alguém lá há-de ir limpar o pó e apanhar as ervas) e por uns equipamentos de fitness à beira da estrada onde duas turistas brincam, riem às gargalhas e tiram fotos. Se o…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – Agosto por cá (1/2)

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] Agosto por cá (1/2)   É agosto. Domingo de manhã na Ericeira. Passo meia hora à procura de lugar para estacionar perto da vila. Quem aqui mora, reclama que ontem teve que deixar o carro longe, que a rua está entupida, que não se consegue entrar ou sair das garagens. Para quando estacionamento para residentes, mesmo que sazonal? Para quando o investimento em mais um parque de estacionamento na zona limítrofe ao centro da vila, à semelhança do que já existe a norte, em São Sebastião? A…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – Com parques e bolos se enganam…

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] Com parques e bolos se enganam…   … os mafrenses, que tanto respeito e não tomo como tolos. Mas não pensamos todos o mesmo. O ano de 2017 foi especialmente profícuo em matéria de festas, alcatrão e obras (talvez não muito) desejadas, entre as quais destaco os afamados parques intergeracionais. Em qualquer recanto, tal como cogumelos, iam surgindo. Coincidentemente e inesperadamente, foi ano de eleições autárquicas. Como explica a fábula da cigarra e da formiga, é no verão que se prepara o inverno e o caminho para…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – A minha mãe que me ature

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] “A minha mãe que me ature” O estado da habitação   Quase diariamente, na imprensa nacional, aborda-se a habitação em Lisboa. De vez em quando, a habitação no Porto. Pouco mais. Mesmo as políticas de habitação nacionais têm sido muito focadas em responder aos problemas de habitação típicos dos centros históricos das grandes cidades. São medidas necessárias, positivas, mas manifestamente insuficientes. Falo dos incentivos fiscais aos senhorios que promovam o arrendamento de longa duração, das alterações legislativas à famigerada “Lei Cristas”, hoje desconstruída, das alterações à regulação…

Ler mais

OPINIÃO POLÍTICA | Leila Alexandre (PS) – Tenho 28 anos e recebi hoje o meu primeiro subsídio de férias

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup] Tenho 28 anos e recebi hoje o meu primeiro subsídio de férias Um abanão à precariedade   Parece um desabafo e é, mas é também um retrato cru daquela que ainda é a realidade dos nossos dias. Não comecei a trabalhar aos 28, não é esse o motivo por trás do título deste meu texto. Comecei antes de ter idade legal para o poder fazer, acabada de entrar no Secundário, a servir mesas numa marisqueira. Daí em diante não voltei a não trabalhar, mas durante mais de…

Ler mais