OPINIÃO POLÍTICA | José Martinez – Indemnização à Be Water de 25 Milhões de euros (fora o resto)

Indemnização à Be Water de 25 Milhões de euros (fora o resto)

 

Hoje a minha crónica vai ter por base a indemnização a pagar pela Câmara Municipal à Be Water para remunicipalizar o serviço público de água e saneamento.

Para isso vou por a conversar o sr. Zé (eu, José Martinez da Silva, munícipe de Mafra) com o sr. Silva (eu, José Martinez da Silva, membro da Assembleia Municipal de Mafra).

Penso que desta forma poderei ser esclarecedor do que está por detrás desta indemnização e da posição assumida pela CDU.

Sr. Silva – Olá amigo Zé, como vai.

Sr. Zé – Ora ainda bem que o vejo, eu vou bem e espero que o meu amigo esteja tão bem quanto parece.

Acabei de ver a notícia de que a água de Mafra volta a ser da Câmara, mas para isso a Câmara vai pagar à Be Water 25 milhões de euros. Isto é verdade Sr. Silva?

Sr. Silva – é sim, amigo Zé, 25 milhões de euros, mais, como diria o meu compadre, os que a burra há-de mamar, pois há rendas devidas pela Be Water que não vão ser pagas, investimentos obrigatórios que não vão ser feitos, etc. enfim… isto para antecipar o fim da concessão em 6 anos.

Sr. Zé – Ena pá! 25 milhões é muita massa. E tanto que temos sido sacrificados com o preço da água. Esses da Be Water são uns malandros!

Sr. Silva – É verdade foram muitos milhões de euros tirados aos munícipes pelo preço da água e saneamento estar muito acima do seu custo real, mas isso não significa que os da Be Water sejam uns malandros, amigo Zé.

Sr. Zé – Então encheram-se durante anos e agora ainda vão levar mais?

Sr. Silva – O mal foi a privatização da água, um serviço público, um bem de que não podemos prescindir.

É mais uma ppp de que nada beneficiámos, como todas as outras, um serviço público como a água, a saúde o ensino, enfim aquilo que tem um preço que quem precisa do serviço não pode deixar de usar para além de determinado limite, é assim.

Sr. Zé – mas a privatização não foi dada com base num concurso público?

Sr. Silva – Foi sim, Sr. Zé, mas o caderno de encargos incluía benefícios imediatos para a Câmara, rendas e antecipações de pagamentos, que foram compensados com a autorização da Câmara para a Be Water cobrar uma tarifa muito acima do custo para tornar o negócio “atractivo”.

Olhe, amigo Zé, só no ano de 2017 o lucro da Be Water foi de quase 3 milhões de euros, para uma facturação de 15 milhões, 20%, um bom negócio.

Sr. Zé – T’á a ver, Sr. Silva, os da Be Water são uns malandros.

Sr. Silva – O mal está nas garantias que foram dadas à Be Water pelos contratos e aditamentos e na natureza privada do concessionário para quem o importante é sempre o lucro.

Talvez não saiba que a Câmara garantiu à Be Water que as condições do contrato eram para um volume de x’s m3 cúbicos por ano, mas o preço tem sido tão elevado que os munícipes não consumiram os volumes garantidos pela Câmara, ou seja, como disse na minha intervenção na Assembleia Municipal “os munícipes responderam com a torneira” e assim tramaram a Câmara, não tanto como a Câmara os tramou durante 25 anos com o preço da água…

A Be Water fez aquilo que qualquer empresa privada faz reclamou o pagamento daquilo a que contratualmente tem direito.

Lá vamos ter de pagar mais estes, talvez perto de 30 milhões, ainda por cima a Câmara prepara-se para que os paguemos com a tarifa da água. Talvez para castigar os munícipes pelos baixos consumos.

Sr. Zé – Mas se temos de pagar tanto faz…

Sr. Silva – Não, não é igual, o valor pode ser o mesmo, mas não são os mesmos que pagam.

– Olhe, veja um senhorio que tenha um andar alugado, não paga água, quem paga é o inquilino, se for o custo da água está certo, mas se no custo da água estiverem incluídos os custos dos erros de gestão da Câmara, que não são custos dos SMAS, só o inquilino é que os paga. Estes devem ser pagos pelos impostos camarários e pelas transferências do Estado Central. E não é a mesma coisa, um empresário que não tenha lucros não paga IRC, mas paga água, e de que maneira, uma família de baixo rendimento ou não paga ou paga pouco IRS, mas paga água. T’á ver não são os mesmos a pagar.

Sr. Zé – T’á bem visto, sim senhor, nunca tinha pensado nisso… malandros. Oiça lá, mas você não faz parte lá da Câmara?

Sr. Silva – Da Câmara não, Mas da Assembleia Municipal, somos só dois da CDU.

Sr. Zé – E qu’é deles os outros?

Sr. Silva – Os contratos e aditamentos catastróficos que estão na base disto tudo, parece, eu não vivia em Mafra, que só tiveram o apoio do PSD, foi o que me disse o meu camarada José João, que andava metido nestas lides, mas agora esta indeminização e mais um empréstimo foram também aprovados pelo PS e pelo PAN, o BE faltou à reunião.

Sr. Zé – Mas o Sr. Silva não disse que tínhamos de pagar? Então?

Sr. Silva – Disse, que remédio, mas este valor tão elevado, cabe ao PSD explicar porque carga de água é que temos de o pagar. Com o apoio do PS e do PAN até parece que a privatização foi boa e que os “maus” são os da Be Water e o “bom” é o Presidente da Câmara…

Sabe sr. Zé, a gestão do PSD é ruinosa neste como noutros domínios, mas esconde-a com as obras de fachada e as muitas festas e festinhas e agora até com o apoio do PS…

Sr. Zé – O PS votou a favor? Ainda o PAN, mas o PS… então é mesmo verdade que o PS tem um administrador nos SMAS?

Sr. Silva – … Agora tenho de ir, mas ainda havemos de conversar sobre o empréstimo para pagar a indemnização.

 

Mafra, Junho de 2019.

 


Pode ler (aqui) outros artigos de opinião de José Martinez


______________________________________________________________________________________________________

As opiniões expressas nesse e em todos os artigos de opinião são da responsabilidade exclusiva dos seus respectivos autores, não representado a orientação ou as posições do Jornal de Mafra

______________________________________________________________________________________________________

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados