Mafra | Após semanas de queixas câmara aprova moção para "reforço da oferta de transportes públicos" no concelho

 

No concelho de Mafra, a Carris Metropolitano, que devia ter arrancado no verão, a 1 de julho, só irá arrancar no início do próximo ano, tendo o adiamento ficado a dever-se ao facto de não estarem “garantidas as condições consideradas essenciais para a entrada em funcionamento do novo serviço”.

“As condições consideradas essenciais” para o bom funcionamento não existem no concelho de Mafra, e nas últimas semanas são inúmeras as queixas relacionadas com os transportes públicos no concelho, sobretudo na zona da Malveira e Venda do Pinheiro.

Tal como no ano passado, com o “regresso à normalidade” do pós-férias, a situação repetiu-se este ano, com filas constituidas por centenas de pessoas, autocarros cheios e horas de espera nas paragens.

Nos relatos publicados nas redes sociais pode ler-se:

“(…) entre as 9h45 e 11h15. Nesse período chegaram 3 autocarros: no primeiro entrou uma pessoa, no segundo, nenhuma, e no último, saiu uma pessoa (que não podia ir em pé na auto-estrada) (…)
ou
“(…) às 7h25 tentei apanhar o autocarro na Venda do Valador onde havia meia dúzia de pessoas e o autocarro nem parou. Seguiu viagem. Dei meia volta e tive de trazer carro para Lisboa.(…)”
ou ainda
“Às 11h da manhã haver cerca de 30 pessoas à espera de autocarro porque os que passam vão cheios é de facto incompreensível.”

Uma semana depois, o enorme “alarido” à volta deste tema, chegou à Câmara Municipal de Mafra, e na última reunião do executivo – realizada na passada 6.ª feira – foi aprovada, por unanimidade, a moção “Pelo urgente reforço da oferta de transportes públicos”.

A moção apresentada e aprovada por unanimidade, pretende “solicitar à TML e ao operador o urgente reforço da oferta de transportes públicos, de modo a satisfazer os atuais e os crescentes níveis de procura existentes no Concelho de Mafra”.

Depois de aprovada, a moção será encaminhada para o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, para o operador vencedor da concessão do Lote 2 e para a AML. Relembra-se que o presidente da câmara de Mafra é vice-presidente em exercício da AML.

A moção apresentada tem o seguinte texto:

Considerando que:

a) O número de passageiros de transportes públicos tem vindo a aumentar gradualmente no Concelho de Mafra, território que está em crescimento demográfico e onde se verifica uma crescente opção pelo transporte coletivo, designadamente no período pós-pandémico;

b) Particularmente desde o início do ano letivo 2022/2023, regista-se uma manifesta falta de resposta por parte do operador de transporte, não correspondendo, com qualidade e em número, à procura atualmente existente. São frequentes situações em que, a partir das 07h30 em diante, e no regresso a partir das 17h00, largas dezenas de passageiros ficam nas paragens porque não têm lugar nos autocarros, em especial na Malveira, na Venda do Pinheiro e no regresso a partir do Campo Grande;

c) Adicionalmente, nos atuais autocarros, pese embora sejam novos, foram reduzidos o número de lugares, bem como o espaço entre lugares, o que condiciona a capacidade de transporte;

d) Não obstante estar planeada para 1 de janeiro de 2023 a entrada em operação da Carris Metropolitana na designada Área 2 (que corresponde aos Concelhos de Loures, Mafra, Odivelas e Vila Franca de Xira), com o consequente aumento do número de circulações, é premente a resolução imediata deste problema, muito lesivo dos munícipes, especialmente daqueles que têm necessidade de se deslocar todos os dias para trabalhar e para estudar e que, muitas vezes, estão impedidos de cumprir os seus horários de entrada;

e) O Município de Mafra e a Área Metropolitana de Lisboa (AML) celebraram um contrato interadministrativo de delegação de competências, tendo a empresa Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML) como missão a prossecução de competências próprias e delegadas pela AML nos domínios da mobilidade e dos transportes;

f) Pese embora os vários contactos realizados pelo Município junto da TML, entidade que tem responsabilidade na matéria, bem como junto do operador, a situação descrita ainda não foi resolvida e tem-se agravado, particularmente na Malveira e na Venda do Pinheiro;

Face ao exposto, a Câmara Municipal de Mafra, reunida a 14 de outubro de 2022, delibera solicitar à TML e ao operador o urgente reforço da oferta de transportes públicos, de modo a satisfazer os atuais e os crescentes níveis de procura existentes no Concelho de Mafra.

Mais delibera dar conhecimento desta moção a Sua Excelência o Ministro das Infraestruturas e da Habitação, ao operador vencedor da concessão do Lote 2 e à AML.

 

 

Leia também

One Thought to “Mafra | Após semanas de queixas câmara aprova moção para "reforço da oferta de transportes públicos" no concelho

  1. É uma situação muito ingrata para as pessoas que utilizam os transportes públicos e se deparam com todos estes problemas, algo tem que ser feito.

Comments are closed.