Covid-19 | Aumento na pressão dos cuidados de saúde e maior na região de Lisboa e Vale do Tejo

 

De acordo com o mais recente relatório da monitorização das linhas vermelhas para a covid-19, o número de novos casos de infeção por covid-19 (por 100 000 habitantes) mostra uma “tendência crescente a nível nacional”.
O relatório refere ainda que se observa uma atividade epidémica de SARS-CoV-2 de elevada intensidade e tendência crescente em todo o país, mas com maior impacto na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) e na região do Algarve.
O aumento da atividade epidémica, no último mês, tem condicionado, um aumento gradual na pressão dos cuidados de saúde, em especial na ocupação dos Cuidados Intensivos.
A variante Delta é a variante dominante em Portugal continental.

A  30 de junho de 2021, a incidência cumulativa a 14 dias foi de 200 casos por 100 000 habitantes em Portugal. A pesar de todos os grupos etários apresentam uma tendência crescente da incidência, a incidência mais elevada ocorreu no grupo etário dos 20 aos 29 anos (427 casos por 100 000 habitantes) e a mais baixa no grupo etário com 80 anos ou mais (43 casos por 100 000 habitantes).

No período de 23 a 27 de junho de 2021, o Rt apresentou valores superiores a 1, a nível nacional (1,16) e com tendência crescente em todas as regiões do continente. A região de saúde, em Portugal Continental, com o valor mais elevado foi a região do Algarve (1,28).
Rt aumentou nas regiões do Norte, do Centro e do Alentejo, o que indica um acelerar da tendência crescente.

Mantendo-se estas taxas de crescimento, o limiar de 240 novos casos por 100 000 habitantes, acumulado em 14 dias, será atingido em menos de 15 dias (cerca de 6 dias) ao nível nacional e entre 15 e 30 dias nas regiões do Norte, Centro e Alentejo. As Regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do Algarve já ultrapassaram este limiar.

A 30 de junho de 2021, o número de camas ocupadas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) com casos de COVID-19 nos hospitais em Portugal era de 113 doentes. 71 destes doentes estão internados em UCI  na região de LVT (62%) e corresponde a 86 % do limite regional de 83 camas em UCI.

O grupo etário com maior número de internados em UCI é o grupo dos 40 aos 59 anos (60 casos neste grupo etário a 30/06/2021).

Segundo o relatório, entre 24 a 30 de junho de 2021, 90% dos casos notificados foram isolados em menos de 24 horas após a notificação. 78% dos seus contactos foram rastreados e isolados no mesmo período.

É expetável que ocorram mutações nos vírus ao longo do tempo, o aumento da circulação do vírus na comunidade e o número de indivíduos parcialmente imunizados promove o aumento da frequência de novas variantes.
Até 01 de julho de 2021, foi realizada a sequenciação genómica em cerca de 10 382 amostras.

São 4 as variantes que circulam em Portugal: Alpha, Delta, Beta e Gamma.

  •  Variante Alpha (B.1.1.7 ou associada ao Reino Unido)
    É ainda a variante mais prevalente em muitos países da União Europeia e foi a variante dominante em Portugal até ao mês de maio..
    ………………………..
    ………………………..
  •  Variante Beta (B.1.351 ou variante associada à África do Sul)
    Na semana de 14 a 20 de junho, conforme os dados apurados até à data, não se identificou qualquer caso de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 da variante Beta, o que aponta para uma tendência controlada desta variante.………………………..
    ………………………..
  •  Variante Gamma (P.1 ou associada a Manaus, Brasil)
    Na semana de 14 a 20 de junho, segundo os dados apurados até à data, foram detetados 4 novos casos de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 da variante Gamma, sendo a sua frequência relativa a nível nacional nessa semana, de 1,3 %. Estes dados representam uma transmissão pouco frequente e sem tendência crescente em território nacional.
    ……………………….
    ………………………..
  •  Variante Delta (B.1.617.2 e associada à Índia)
    Até à data foram identificadas três linhagens distintas desta variante: B.1.617.1, B.1.617.2 e B.1.617.3.
    Foi a variante dominante em Portugal na semana de 14 a 20 de junho, com uma frequência relativa de 69,5% dos casos.
    Foram detetados 51 casos associados à variante Delta com a mutação de interesse K417N (AY.1, designada “Delta Plus”)
    A frequência relativa da variante Delta em Portugal Continental, na semana de 14 a 20 de junho foi a seguinte:

    Região Frequência relativa (%)
    NORTE 49,0%
    CENTRO 85,7%
    LX V TEJO 84,7%
    ALENTEJO 70,8%
    ALGARVE 92,3%
    ACORES-RA 4,4%
    MADEIRA-RA 22,7%
    Portugal 69,5%

Observou-se um aumento do número de testes realizados nos últimos 7 dias, sendo a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 de 3,2%.

 

   

Leia também