Opinião Política | Alexandre Nascimento (ALIANÇA) – Muito se tem discutido nos últimos tempos acerca do tema “Portagens da A21”

 Muito se tem discutido nos últimos tempos acerca do tema “Portagens da A21”.

Seja em conversas particulares ou de café, seja em fóruns mais restritos ou abertos, seja através de petições públicas ou até mesmo em intervenções de caráter mais político, o tema continua na ordem do dia, gera preocupação e, sobretudo, descontentamento.

É importante lembrar que a construção desta Autoestrada, que ficou definitivamente concluída em 2008, visava, acima de tudo, melhorar a comodidade e a rapidez nas ligações dos residentes da região Oeste, nomeadamente no Concelho de Mafra, com a região de Lisboa e Vale do Tejo. Outro dos desígnios apontados, na altura, era a
dinamização da procura turística no nosso Concelho.

Ora, passados 12 anos, a realidade é bem diferente!

Vamos a factos:
—-• Os novos residentes no Concelho não param de aumentar, sendo, cada vez mais, os carros que vão e vêm todos os dias;
—-• Não existe uma oferta de transportes públicos em quantidade e qualidade suficiente entre a Ericeira e a Venda do Pinheiro;
—-• As alternativas são estradas nacionais sinuosas, cheias de tráfego e de má qualidade, nas quais se demora três ou quatro vezes mais para chegar a Lisboa;
—-• Uma autoestrada onde circulam uma média de 9.500 viaturas por dia, que praticamente já não tem portageiros e em que alguns dos troços têm iluminação deficitária, fatura, hoje, cerca de 5 Milhões de Euros por ano;
—-• Os constrangimentos de trânsito nas entradas e saídas do Concelho ao início e final do dia são enormes e pioram a olhos vistos;
—-• Mesmo ponderando que a eliminação total de portagens não seja uma alternativa viável, todos os agentes envolvidos têm, pelo menos, a obrigação de discutir e aprovar a abolição de pagamento para quem aqui vive.

Querem uma conclusão? O Turismo ganhou, de facto!

E os residentes? E aqueles que têm que viver com esta realidade todos os dias?

Que diabo… isto devia, ou não, ser uma prioridade urgentíssima na Agenda Política do concelho de Mafra?

Em fevereiro do ano passado o Partido Socialista apresentou, e muito bem, uma moção que visava a revogação do pagamento de portagens na A21. Essa Moção foi bastante louvada e aprovada por unanimidade em reunião da Assembleia Municipal.

À data, o PS tirou, naturalmente, os dividendos políticos de tal proposta, afirmando ter sido uma vitória do Partido e que seria através da sua ação que o problema iria, finalmente, avançar e merecer a atenção que lhe é devida. Isso mesmo… uma vitória política.

Volto ao tema porque está agora a fazer um ano sobre a aprovação desta proposta que foi, de resto, noticiada por este mesmo Jornal. Acresce lembrar que, para além desta iniciativa do PS, também o Sr. Presidente da Câmara tinha já tentado uma abordagem ao mesmo tema, mostrando preocupação junto do Sr. Secretário de Estado da Tutela.

Um ano passou entretanto! Um ano!!!

Que respostas temos? Que desenvolvimentos são conhecidos?

Nada!

Deixo 2 perguntas:
– Sr. Presidente da Câmara, de que é que estamos à espera para incluir este tema na Agenda Prioritária para o Município?

– Senhores membros da Concelhia do Partido Socialista de Mafra, de que é que estão à espera para exercer a pressão e resiliência que deve ter uma estrutura que, apesar de pequena e descentralizada, pertence ao mesmo partido que está no governo e existe para defender os interesses locais? Onde está a Vossa influência dentro do Vosso próprio partido?

Falar com alguém e atirar o problema mais para cima não chega Sr. Presidente!

Moções não chegam Srs. membros do Partido Socialista!

Vitória política?

Vitória não é ter uma boa ideia e ficar por aí. Vitória é conseguir pôr essa ideia em prática… é concretizá-la! Vitória é ganhar!

Neste caso… estamos todos a perder!

 

Alexandre Gomes do Nascimento
Presidente da Distrital de Lisboa do
Partido ALIANÇA

 


Pode ler (aqui) outros artigos de opinião de Alexandre Gomes do Nascimento.


______________________________________________________________________________________________________

As opiniões expressas neste e em todos os artigos de opinião são da responsabilidade exclusiva dos seus respectivos autores, não representando a orientação ou as posições do Jornal de Mafra

______________________________________________________________________________________________________

 


PubPUB

Artigos Relacionados