Vamos à Farmácia | Viajar de avião com medicamentos

Vamos à Farmácia | Ana Quintela

 

Viajar de avião com medicamentos

 

Quando viaja de avião, a Direcção Geral de Saúde (DGS) recomenda que ingira muitos líquidos, que faça exercícios simples aos braços e pernas durante o voo para evitar problemas circulatórios. E recomenda ainda que se exponha a luz solar no local de destino para se adaptar mais rapidamente ao jet lag.

 

Que cuidados devo ter quando transporto medicamentos?

 

Planear previamente a viagem – Peça informação ao seu médico acerca do local de destino, adquira previamente a documentação necessária ao transporte de medicamentos e faça uma consulta do viajante, de preferência 1 mês antes da viagem.

 

Fuso Horário – Fale com o seu médico antecipadamente para decidir como deve proceder a alterações de horário na toma de determinados medicamentos que devem ser feitos sempre à mesma hora.

 

Lista de medicação – Deve levar consigo uma lista com a medicação que está a tomar, acompanhada de uma receita médica. Se não tiver receita médica deve acompanhar-se de uma declaração médica que comprove a necessidade da toma de determinados medicamentos e do transporte de determinados dispositivos médicos (ex: inaladores, seringas).

 

Transporte a medicação na bagagem de mão – Mantenha sempre a medicação nas embalagens originais para facilitar a sua identificação e para que seja melhor conservada, a medicação deve ser transportada na bagagem de mão. Desta forma evitam-se as alterações de temperatura que decorrem no porão e no caso de extravio de bagagem evita-se a perda da medicação.

 

Medicamentos líquidos – Toda a medicação líquida, como gotas, suspensões e xaropes deve ser transportada em frascos até 100mL, no máximo 1L por passageiro, dentro de um saco de plástico transparente idealmente juntamente com a receita médica. De acordo com o Instituto Nacional de Aviação Civil para transportar quantidades superiores deve acompanhar-se de uma declaração médica, preferencialmente escrita em inglês ou francês.

 

Inaladores – Os inaladores para doenças respiratórias são permitidos, no entanto se transporta embalagens em excesso deve colocá-las na bagagem de porão.

 

Medicamentos Injectáveis – No caso de precisar de viajar com seringas, como por exemplo para administração de insulina ou heparina, é necessária uma autorização do Instituto Nacional de Aviação Civil para o seu transporte. Para adquirir esta autorização são necessários alguns dados pessoais e dados da companhia aérea, destino, número e datas de voo.

 

Medicamentos com necessidade de conservação especial – Devido às alterações de temperatura não deve transportar medicação na bagagem de porão. Quanto ao transporte de medicamentos, como insulinas que devem manter-se frios, as companhias aéreas normalmente não asseguram a sua conservação, pelo que deve levar placas e bolsas térmicas para manter baixa a temperatura destes medicamentos.

 

Dispositivos médicos de grandes dimensões – No caso de precisar de transportar equipamentos médicos com maiores dimensões deve aconselhar-se quanto ao seu transporte e contactar a companhia aérea, com pelo menos 2 dias de antecedência.

 

Viajar com um pacemaker Se tiver algum dispositivo médico implantado no seu organismo pode sempre viajar de avião, desde que assim seja autorizado pelo seu médico. Idealmente deve acompanhar-se do cartão de identificação do dispositivo e alertar a segurança para que saibam que tem este dispositivo implantado.

 

Se toma medicação ou sofre de algum problema de saúde lembre-se sempre que é essencial planear previamente uma viagem de avião para minimizar quaisquer riscos que possam decorrer durante a mesma.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados