Região de Lisboa com nível elevado de pólenes na atmosfera

Alergia

Região de Lisboa com nível elevado de pólenes na atmosfera

 

Ainda falta um mês para a chegada da Primavera, mas fevereiro tem tido alguns dias de verdadeira primavera e com eles começam a aparecer alguns sintomas das alergias associadas ao pólen.

Até ao próximo dia 22, a concentração de pólen atmosférico irá oscilar entre um nível baixo a elevado, que será variável consoante a região do país.

As regiões de Trás-Os-Montes, Alentejo, Lisboa e Setúbal, são as zonas em que é expectável que o pólen atmosférico atinja um nível elevado.

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) refere que na região de Lisboa e Setúbal, os pólenes na atmosfera se encontram num nível elevado, com predomínio dos grãos de pólen da árvore cipreste, seguindo-se o amieiro. Também se encontram no ar grãos de pólen das ervas gramíneas, urtiga e urticáceas (inclui parietária).

Recomendações da SPAIC

Proteja-se das agressões dos pólens e nos dias de nível elevado:

  • Evite realizar actividades ao ar livre:
    Evite realizar actividades ao ar livre quando as concentrações polínicas forem elevadas. Passeios no jardim, cortar a relva, campismo ou a prática de desporto na rua, irão aumentar a exposição aos pólenes e o risco para as alergias.
    ……………………………….
  • Mantenha as janelas fechadas:
    Sempre que viajar de carro tenha as janelas fechadas. Assim poderá passear reduzindo significativamente o contacto com os pólenes. Os motociclistas deverão usar capacete integral. Em casa deverá manter as janelas fechadas quando as concentrações dos pólenes forem elevadas.
    ……………………………….
  • Use óculos escuros:
    Uma forma eficaz e prática de evitar queixas oculares será a utilização de óculos escuros sempre que sair à rua.
    ……………………………….
  • Faça a medicação prescrita:
    A medicação será a forma mais eficaz de combater os sintomas de alergia. Consulte um médico especialista de Imunoalergologia para o diagnóstico correcto e prescrição do medicamento mais adequado. A prevenção poderá passar pela realização de vacinas anti-alérgicas.

Leia também