Alexandre Seixas

2018 – Um balanço aleatório

Nesta última crónica de 2018, cumpre fazer um balanço.

Portugal vai dando sinais de estar melhor, a todos os níveis, mas numa grande parte do mundo assiste-se a uma deriva populista e nacionalista, que parece ter começado com a “América” de Trump em 2017, passando também pela Coreia do Norte, Rússia e atingindo até o centro da Europa, com as ideias de “Brexit” em Inglaterra e muito recentemente com os “gilets jaunes” em França. Se por cá a liberdade é um bem adquirido, o mesmo não acontece noutras distâncias do mundo. Há muito a fazer ainda em termos de igualdade de género, de paz, de cuidados de saúde básicos, de educação e de tantos outros aspetos. Em Portugal, mesmo lendo um artigo muito recente, de título catastrofista… https://www.publico.pt/2018/12/19/sociedade/noticia/fome-falta-comida-medicamentos-proteccao-1855035, percebemos que as oportunidades são mais do que as ameaças. Teremos talvez de transformar as fraquezas em forças, mas ainda assim é um esforço humano! Para o sucesso do nosso país, terá contribuído, além da estabilidade política proporcionada pela solução governativa preconizada pelo Partido Socialista, o crescimento e fortalecimento da economia baseada em serviços, mas com elevada capacidade de conversão desses serviços em valor, seja através do turismo ou da forte aposta nas novas tecnologias, sustentadas em conceitos de futuro com a “internet das coisas” e a inteligência artificial. Prova disso a aposta bem conseguida, na manutenção da Web Summit em Portugal. Saibamos aproveitar o potencial de estarmos no centro, no cerne do futuro, bem à imagem do que aconteceu no início do século XIV com os Descobrimentos. Também agora sejamos capazes de dar “novos mundos ao mundo”.  Outra notícia também recente, relativa a uma das instituições mais importantes do sistema económico português… https://www.jornaldenegocios.pt/economia/conjuntura/detalhe/banco-de-portugal-reve-em-baixa-pib-de-2018-e-passa-a-ser-dos-mais-pessimistas, alerta para um período futuro que poderá trazer uma desaceleração do crescimento económico. Refere que Portugal está na “fase de maturação do ciclo económico” e que o saldo externo se mantém positivo e o desemprego continuará a baixar. A ver vamos o futuro, mas temos de estar certos que em grande parte o mesmo depende de nós. Na nossa terra, na nossa vila, na nossa cidade, no nosso emprego, no nosso grupo de amigos, na nossa família, todos podemos e devemos fazer a diferença. Boas Festas! Bom Natal! Próspero ano de 2019!

 

Alexandre Seixas, dezembro de 2018

 



Alexandre Seixas

Azueira, Gestor, Membro eleito da Comissão Política do PS Mafra

Pode ler (aqui) os artigos anteriores de Alexandre Seixas