Mafra investe 50 mil euros na Plataforma Nacional do Pão

Pão

Mafra investe 50 mil euros na Plataforma Nacional do Pão

 

O Município de Mafra organiza anualmente o Festival do Pão, que segundo a mesma entidade pretende a “promoção da marca registada “o Pão de Mafra”, atenta o pão como um alimento de referência, convertido num dos símbolos da identidade cultural local, produção que se reveste de grande importância, sendo a panificação uma das mais importantes indústrias concelhias, cuja fama ultrapassa as fronteiras do concelho”.

Neste contexto, o Município de Mafra e a AHRESP Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal irão assinar um protocolo de colaboração para a implementação e funcionamento da Plataforma Nacional do Pão.

Esta plataforma será apresentada na próxima 5.ª feira, no Festival do Pão, altura em que será assinado o protocolo, e pretendendo “valorizar e qualificar o pão português como produto tradicional” , devendo entrar em funcionamento até 31 de dezembro de 2024.

O município de Mafra tornar-se Membro Efetivo da Plataforma Nacional do Pão, contribuindo com um valor de 50.000,00 €, aquando da assinatura do referido protocolo e irá “disponibilizar, a título gratuito, um espaço físico, devidamente equipado, na área do seu território, para o funcionamento físico da Plataforma”.

O referido protocolo vigorará pelo prazo de um ano, sendo automaticamente renovado por períodos sucessivos e adicionais da mesma duração. O montante do apoio anual “dependerá de deliberação prévia do Município, fundamentado na documentação a apresentar pela AHRESP, que especificamente o justifique”.

A plataforma nacional irá promover um produto específico: o pão português tradicional (quer de trigo, quer de centeio ou de milho). Claro está que entre os pães a promover se encontra o Pão de Mafra, “um dos tesouros do mundo rural português, reconhecido pelo seu sabor adocicado, miolo macio e crosta pouco rija”.

Partilhe o Artigo

Leia também

Deixe um Comentário