Exército cedeu espaços do Palácio de Mafra à Direção-Geral do Património Cultural

Palácio de Mafra

Exército fez cedência de espaços do Palácio de Mafra à Direção-Geral do Património Cultural

 

Foi hoje assinado, entre o Exército Português e a Direção-Geral do Património Cultura, um protocolo de cedência de espaços do Palácio Nacional de Mafra.

O protocolo terá sido assinado pelo Tenente-General João Pedro de Oliveira Ribeiro e pelo Diretor-Geral do Património Cultural, Arq. João Carlos dos Santos.

O protocolo permitirá ceder cerca de 10.000 m2 dos terraços superiores e cerca de 15.000 m2 de espaços cobertos, que até aqui se encontravam sob gestão da Escola das Armas, para a gestão do Palácio Nacional de Mafra.

Segundo o “post” do Palácio Nacional de Mafra passaram para a sua gestão:

  • parte das antigas dependências das cozinhas reais; algumas áreas no piso térreo onde futuramente serão instaladas a loja e cafetaria do palácio;
  • uma parte significativa do piso nobre, na ala norte, que irá acolher o Museu Nacional da Música;
  • dois aposentos dos infantes e das infantas e a antecâmara norte da biblioteca;
  • os mezaninos das alas norte, poente e sul;
  • duas criptas da basílica, permitindo a unificação total desta parte significativa do monumento.

Para além de permitir uma “dinâmica de integração e de reorganização funcional de espaços, tornando mais fácil a circulação, a manutenção e a segurança de ambos os serviços”, o Palácio de Mafra afirma ainda que este protocolo permitirá o “estabelecimento de alguns acessos de emergência fundamentais para a segurança, contribuindo para uma visão mais estruturada do Bem inscrito na Lista do Património Mundial e de acordo com as recomendações da UNESCO”.

Desta cerimónia, em que terão participado representantes de, pelo menos, três entidades públicas, não foi dado conhecimento à comunicação social, pelo que esta notícia faz fé exclusivamente na informação tornada pública na página do Palácio de Mafra nas suas redes sociais.

[Imagem: PNM]

Leia também