Grávida (de Torres Vedras) e bebé morrem à chegada ao Hospital das Caldas da Rainha

 

A Urgência Pediátrica da Unidade de Torres Vedras esteve novamente encerrada entre as 21h00 de 15/11 e as 09h00 de 16/11, por falta de “recursos humanos suficientes para preenchimento da escala”.

Hoje é notícia, que uma mulher grávida de seis meses e o seu bebé perderam a vida ontem no Hospital das Caldas da Rainha.

A mulher, de 35 anos e residente em Outeiro da Cabeça, no concelho de Torres Vedras, ligou para o 112 por sentir uma grande dor nas costas. No local, os bombeiros verificaram que a mulher tinha a tensão arterial muito baixa, e enquanto a transportavam para o Hospital das Caldas da Rainha (a 45 km de distância), a mulher entrou em paragem cardiorrespiratória, tendo chegado ao Hospital com manobras de suporte de vida.

A situação foi irreversível e tanto a grávida como o bebé acabaram por não resistir e morreram já no interior do Hospital das Caldas da Rainha.

Esta tarde, a Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Oeste informou, em comunicado, que averiguou junto da Administração do hospital, as circunstâncias em que ocorreu o óbito e foi informada que a referida ocorrência, foi externa ao hospital de Caldas da Rainha, onde a utente deu entrada em transporte de emergência já em manobras de suporte avançado de vida, tendo o óbito sido declarado à chegada”. A comissão acrescenta que “sabe que não houve aqui negligência dos envolvidos, apesar de todos os esforços em salvar a utente, mas sim um problema grave cardiovascular irreversível”.

O Centro Hospitalar do Oeste integra os hospitais de Caldas da Rainha, Torres Vedras e Peniche, tendo uma área de influência constituída pelas populações dos concelhos de Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça e de Mafra.

 

Leia também

Comentário