Nem só de futebol se fez o jogo do Mafra frente ao Porto Pão com chouriço, repasto de faisão e pneus furados também fizeram o jogo

 

O atual detentor da Taça de Portugal, o FC Porto, goleou ontem à noite o Mafra por três bolas a zero (ver aqui) num Estádio do Parque Eng. Ministro dos Santos, em Mafra, com cerca de 2.400 adeptos nas bancadas, duas delas montadas expressamente para o evento.

Entre os adeptos na bancada principal encontrava-se Pinto da Costa, o já mítico presidente do FCP e alguns antigos jogadores do clube, como Vítor Baía, Fernando Gomes e Pauleta.

Mas vamos aos “insólitos” do antes, durante e depois deste badalado jogo de futebol.

Antes do jogo, os presidentes do Mafra e do FC Porto, José Cristo e Pinto da Costa, – os dois presidentes há mais tempo a frente de clubes de futebol, profissional e ambos portistas convictos – jantaram juntos, e de acordo com o presidente do Mafra, a ementa consistiu em “faisão e arroz de pato”. Segundo o desportivo “Record” o jantar terá ocorrido “num dos salões do Convento de Mafra”.

De relembrar, que o presidente do Mafra afirmara anteriormente, que “o Mafra é um clube que não tem valores extra, e a obrigação que tem com os jogadores é pagar-lhes o ordenado todos os meses. Mas se o Mafra ganhar certamente haverá uma churrascada ou algo parecido, nada mais do que isso.”… Churrasco que terá passado à história, embora ao faisão estivesse reservado um destino diferente.

Ao intervalo, adeptos do Mafra foram oferecer pães com chouriço à bancada onde se encontram os adeptos do FC Porto, num ato de fair play que merece registo.

Sérgio Conceição, treinador do Porto, acabou por ser o homem do jogo, porque embora só uma vez tenha pontapeado a bola, foi expulso aos 64 minutos, por isso mesmo, pontapear a bola que já se encontrava fora das quatro linhas. Saiu a contragosto, após discutir acaloradamente com o árbitro do encontro. No final do jogo ninguém do FC Porto prestou declarações à Comunicação Social.

A claque dos Super Dragões viu um dos seus autocarros com os pneus furados, obrigando os membros da claque a esperar por outro autocarro para poderem seguir viagem até à cidade invicta.

Leia também

Comentário