PSP deteve 177 pessoas por violência doméstica desde o início do ano (apenas na área de Lisboa)

 

O Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou ontem que entre 1 de janeiro e 30 de junho, em toda a sua área de jurisdição, deteve 177 suspeitos no âmbito de crimes de violência doméstica.

Até 30 de junho foram registados pelo Comando Metropolitano de Lisboa, 2888 crimes de violência doméstica, entre eles 2397 contra cônjuge ou análogos e 132 contra menores, tendo sido, no total, efetuadas 177 detenções.

Os números deste ano representam um aumento de 14% em relação a igual período do ano de 2021, ano em se registaram 2284 crimes relativos a violência doméstica, tendo sido detidos 153 cidadãos.

A PSP refere que implementou um “Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade na PSP (MIPP)” tendo sido “criadas Equipas de Proximidade e de Apoio à Vítima (EPAV), equipas estas que constituem uma primeira linha de intervenção, de proteção, segurança, atendimento, acompanhamento, apoio e encaminhamento das vítimas, nesta problemática da violência doméstica”.

A PSP tem ainda como “segunda linha de intervenção” as equipas de investigação criminal da PSP, equipas que são responsáveis “pela gestão do local do crime, recolha dos meios de prova, inquirição de testemunhas, apreensão de objetos (designadamente armas) entre outras diligências consideradas relevantes no âmbito do inquérito”.

Dispondo de profissionais especializados para ajudar todas as vítimas de violência doméstica, a PSP dispõe de 7 espaços de Resposta Integrada de Apoio à Vítima (RIAV), em funcionamento na área metropolitana de Lisboa. São eles:

  • Espaço Júlia (Lisboa Centro)
  • Casa Pilar (Cascais)
  • Espaço Okazo (Amadora)
  • Espaço Eu Consigo (Vila Franca de Xira)
  • Casa da Maria (Oeiras)
  • Campus Justiça (Lisboa Parque das Nações)
  • AColher (Sintra)

Espaços criados para “garantir um atendimento especializado e adequado a cada tipo de vitimação, particularmente nos casos de crimes mais violentos ou quando as vítimas se encontrem mais vulneráveis e fragilizadas”.

A PSP deixa o seguinte apelo:
“Se é ou conhece alguém vítima de violência doméstica dirija-se a qualquer Esquadra da PSP, Posto da GNR, Piquete da Polícia Judiciária ou Tribunal, porque vale a pena denunciar.

Não consinta. Denuncie.”

A área de jurisdição do Cometlis inclui os concelhos Lisboa, Amadora, Cascais, Loures, Odivelas, Oeiras, Sintra, Vila Franca de Xira e uma esquadra em Torres Vedras.

Leia também

Comentário