Há 6 casos suspeitos de hepatite aguda infantil em Portugal

 

Na 6.ª feira, Lacerda Sales, Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, referiu que a Direção-Geral da Saúde (DGS) “já reportou 6 casos de hepatites atípicas” acrescentando, no entanto, tratar-se de casos suspeitos. Os casos estão a ser vigiados e amostras das análises efetuadas às crianças já foram encaminhadas para o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. Aguarda-se agora os resultados.

O secretário de estado referiu ainda que “quer ao nível dos centros de saúde, os médicos de medicina geral e familiar, quer ao nível dos hospitais através dos pediatras” estão em prontidão, existindo também uma “equipa sempre pronta e sempre em prevenção de transplantes na unidade de Coimbra“, relembrando ainda, que não há nenhum caso confirmado em Portugal.

Sabe-se que os primeiros 4 casos suspeitos foram identificados nas regiões de saúde do Norte, Centro e Lisboa e Vale do Tejo e que as crianças têm idades entre os sete meses e os oito anos. A DGS acrescenta ainda que nenhuma apresentou complicações graves, tendo mesmo recuperado.

Os outros dois casos estão ainda em investigação, não apresentando nenhum deles uma forma grave da doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já registou pelo menos 228 casos de hepatite de origem desconhecida, em crianças de 20 países e cerca de 50 encontram-se sob investigação. O surto já causou uma morte e realizaram-se 18 transplantes do fígado.

Perante uma doença de causa ainda desconhecida, e que se encontra em investigação, a DGS recomenda o reforço de medidas gerais de proteção individual, como a higiene das mãos, a etiqueta respiratória, o arejamento e ventilação dos espaços interiores ou a limpeza e desinfeção frequente de equipamentos e superfícies.”, refere aquela entidade em comunicado.

Leia também

Comentário