Torres vedras | Deputado Duarte Pacheco (PSD) apresentou a sua candidatura à presidência da câmara [Imagens]

Com a presença de Rui Rio, Presidente do PSD, Fernando Negrão, líder parlamentar, José Silvano, secretário-geral e presidente da Comissão Autárquica do partido, de Isaura Morais, vice-presidente da Comissão Autárquica e de muitos outros militantes nacionais, regionais, como o Presidente da Câmara do Cadaval, José Bernardo Nunes e locais, do PSD, do CDS-PP e do PPM, ocorreu ontem a apresentação do deputado do PSD e Secretário da Mesa da Assembleia da República, Duarte Rogério Matos Ventura Pacheco, como candidato da AD (Coligação Afirmar Torres Vedras, PSD-CDS-PPM), para utilizar uma expressão de Rui Rio, à presidência da Câmara Municipal de Torres Vedras (CMTV) nas eleições de setembro. Marco Claudino, atual vereador da CMTV pelo PSD será candidato à Presidência da Assembleia Municipal.

Luís Carlos Lopes, Presidente da concelhia do PSD abriu a sessão, mas coube a Pedro Castelo, Presidente do CDS-PP dar o tom que havia de marcar quase todas as intervenções que se seguiriam.

Vamos ter de libertar Torres Vedras do medo […] libertar Torres Vedras de um governo que dura desde as primeiras eleições autárquicas em 1976  […]  [Luís Carlos Lopes]

Marco Claudino havia de seguir o mote de Luís Carlos Lopes e no rescaldo dos acontecimentos ocorridos na última sessão da Assembleia Municipal focando as baterias na atual gestão da Câmara Municipal de Torres Vedras.

O vereador do PS assentou a sua intervenção na afirmação de três objetivos para esta candidatura. Afirmar o município regionalmente, fazendo um enfoque especial na área da saúde e na necessidade de um novo hospital que sirva convenientemente as 350 mil pessoas que residem na região oeste, reivindicando uma unidade de cuidados intensivos. Na área da educação criticou a aceitação da descentralização de competências sem que a câmara tenha assegurado as prioridades de requalificação de escolas do concelho. Muitos estudos, mas pouca concretização, afirmou ser esta atuação da atual gestão camarária.

Duarte Pacheco, depois de uma emocionada evocação da sua família, agradeceu o apoio de todos os presentes e desde logo, dos líderes nacionais do PSD presentes na sua apresentação de candidatura.

Se o partido socialista voltasse a ganhar ficava com 49 anos de gestão, mais tempo do que Salazar e Marcelo Caetano juntos. Basta. É preciso liberdade. É preciso reconquistar liberdade, liberdade de pensar, liberdade de atuar, liberdade de não ter medo [Duarte Pacheco]

Defendeu a necessidade de afirmar Torres Vedras como uma marca projetando o concelho para outro patamar de desenvolvimento, captando investimento e desenvolvendo a região. Referiu ser Torres Vedras um concelho com problemas gravíssimos, o problema da saúde, “Anda-se há 40 anos a discutir se o hospital é mais para a direita ou mais para a esquerda e não se chega a consenso nenhum“. Na área das acessibilidades, nomeadamente na ligação direta a Santa Cruz, Duarte Pacheco invocou a forma como Mafra resolveu a ligação à Ericeira “em poucos meses”, “diziam que a câmara e o presidente eram loucos, mas [vejam] o desenvolvimento que aquilo conseguiu para todo o concelho”.

“Por fim a 45 anos de governação socialista”, como objetivo da candidatura, dando assim Duarte Pacheco seguimento ao tom da intervenção de Pedro Castelo, Presidente do CDS-PP, comparando a atual gestão camarária com o tempo do Estado Novo, “Esta semana estamos a comemorar o 25 de abril, tivemos 48 anos de ditadura. Por vezes ouve-se dizer, em relação à câmara, que eles até fizeram algumas obras, se vamos olhar paras as obras feitas, então a ditadura também as fez, fez uma ponte, fez hospitais…então, por isso, até lá ficavam mais anos. Não. Houve aquele momento em que as pessoas disseram basta. É que não basta fazer obra, é preciso liberdade. Aqui em Torres Vedras estamos ao mesmo nível. Se o partido socialista voltasse a ganhar ficava com 49 anos de gestão, mais tempo do que Salazar e Marcelo Caetano juntos. Basta. É preciso liberdade. É preciso reconquistar liberdade, liberdade de pensar, liberdade de atuar, liberdade de não ter medo, porque há muito medo em Torres Vedras, e sentimos isso quando falamos com as pessoas. Eu apoio, mas não posso dar a cara […] isso resulta do medo, de uma ditadura socialista de 45 anos a que nós temos de dizer basta! Basta! e basta!”

A importância que o PSD coloca nestas eleições autárquicas de 2021 é muito elevada [Rui Rio]

“Todos serão bem vindos a este projeto se desejarem a mudança” afirmou Duarte Pacheco reafirmando a sua disposição de, sendo eleito, exercer efetivamente o cargo, abandonando as suas atuais funções de deputado na Assembleia da República.

A apresentação da candidatura foi encerrada por Rui Rio, que realçou a presença de grande número de quadros do partido, nesta que é a primeira apresentação formal de uma candidatura autárquica do PSD, nomeadamente, de três dos cinco elementos que constituem a Comissão Autárquica do partido – notou-se a ausência de Hélder Sousa Silva, Presidente da vizinha Câmara de Mafra, Presidente dos Autarcas Social-democratas e também membro da Comissão Autárquica do PSD, também ele representando um partido, desta vez, o PSD, que está no poder desde 1979, há 42 anos – “porque a importância que o PSD coloca nestas eleições autárquicas de 2021 é muito elevada […] estas eleições vão ser absolutamente vitais para o PSD”. Rui Rio não o afirmou, mas não falta quem afirme que os resultados das autárquicas poderão ser críticos para a manutenção de Rui Rio na liderança do partido.

Vais ganhar estas eleições com dificuldade, mas as próximas já vais ganhar com mais facilidade e depois as terceiras, já vão ser um passeio [Rui Rio dirigindo-se a Duarte Pacheco]

Após agradecer à comissão Autárquica nacional, Rui Rio afirmou a importância do poder local na vida dos cidadãos, “O poder local democrático tem uma obra notável na qualidade de vida das pessoas” e com uma participação muito baixa na dívida pública nacional, na ordem dos 4 ou 5%. Revelou depois que, quando o partido notou que entre os putativos candidatos “havia quem estivesse a tratar mais da sua vida, do que do interesse do partido e das questões locais”, o partido “meteu a cabeça” para conseguir as melhores soluções, por que colocar os seus interesses pessoais em primeiro lugar, não é forma de estar na vida pública.

Elogiou então Duarte Pacheco, que classificou como um político trabalhador e competente, uma figura nacional, que decidiu dar a cara pelo PSD nestas eleições locais candidatando.se por Torres Vedras. “Vais ganhar estas eleições com dificuldade, mas as próximas já vais ganhar com mais facilidade e depois as terceiras, já vão ser um passeio”, disse, dirigindo-se ao candidato, incentivando-o e realçando a importância e o prazer que, na sua perspetiva, o candidato sentirá no desempenho das funções de presidente de câmara.

O PSD Mafra, tanto quanto nos foi possível observar (o uso de máscara dificulta as identificações) esteve representado nesta cerimónia por Judite da Silva Duarte, chefe de gabinete de Hélder Sousa Silva.

 

 

 

 

   

Leia também

One Thought to “Torres vedras | Deputado Duarte Pacheco (PSD) apresentou a sua candidatura à presidência da câmara [Imagens]”

  1. Vasco Soares

    Dr. Duarte Pacheco, quando apresentar o seu programa eleitoral inclua, por favor, um programa de emagrecimento dos elementos da concelhia do PSD TV. Estão anafadinhos e ainda nem sequer chegaram ao poder.

Comments are closed.