Mafra | Pedro Tomás demite-se do secretariado do Partido Socialista

O agora demissionário Pedro Fernandes Tomás pertence aos órgãos dirigentes do PS local, onde ao longo dos anos já desempenhou vários cargos políticos, quer internos, quer institucionais, nomeadamente, enquanto deputado municipal.

O pedido de demissão foi formalizado em finais de novembro por correio eletrónico. De uma forma lacónica e sem adiantar quaisquer razões objetivas, Pedro Tomás manifestou a sua vontade de abandonar o secretariado (órgão de cúpula) do PS Mafra, onde detinha o pelouro da comunicação.

Segundo fontes próximas da direção política do PS Mafra ouvidas pelo JM, este pedido de demissão poderia representar um primeiro passo para a apresentação de uma candidatura independente à Junta de Freguesia de Mafra, nas eleições autárquicas de outubro de 2021.

Na verdade, Pedro Tomás já teria sido sondado no interior do seu partido, no sentido de encabeçar a lista do PS Mafra às autárquicas de 2021, razão pela qual, este pedido de demissão terá sido encarado dentro daquele partido, com alguma surpresa, mas sem qualquer azedume político, tendo fonte autorizada do PS Mafra referido ao JM, que Pedro Tomás devia “seguir o seu caminho em plena liberdade”.

Uma sondagem encomendada pelo PSD destinada a avaliar o peso político de alguns nomes do PSD e do PS enquanto candidatos a algumas freguesias do concelho, de cuja short list constaria o nome de Pedro Tomás, mostraria que este dirigente do PS é o mais forte candidato daquela força política para a freguesia de Mafra, embora estando muito longe de ter possibilidades reais de disputar a eleição, quando confrontado com os candidatos do PSD. Segundo fontes do PS, o conhecimento desta sondagem poderá ter sido uma das razões objetivas que terão levado Pedro Tomás a afastar-se das funções que desempenhava na estrutura local daquele partido político.

Por outro lado, circula também em alguns meios políticos do concelho, a informação de que estaria em preparação uma lista de candidatos independentes à Junta de Mafra, lista essa que congregaria, nomeadamente, Pedro Tomás, António Galambas e Carlos Antunes, reunidos em torno da Associação 1717 Acreditar.

António Galambas, contactado hoje pelo Jornal de Mafra desmentiu categoricamente a possibilidade de vir a candidatar-se à Junta de Freguesia de Mafra, embora admitindo, que há uns meses esteve em avaliação uma candidatura em torno de Paula Cordas, para a Câmara Municipal de Mafra, mas este projeto não terá sido abandonado.

Por seu lado, Carlos Antunes, igualmente contactado pelo Jornal de Mafra negou também categoricamente qualquer intenção de candidatura política, negando igualmente qualquer envolvimento da Associação 1717 em qualquer iniciativa política. Confirmou, no entanto, ter sido sondado por Pedro Tomás, no sentido de integrar uma lista não partidária para concorrer às autárquicas de 2021, tendo respondido negativamente.

O Jornal de Mafra contactou Pedro Tomás, a quem perguntámos se confirmava o seu pedido de demissão, e caso o confirmasse, que razões o tinham levado a tomar essa decisão, perguntámos ainda se colocava a hipótese de vir a apoiar ou a integrar, nas próximas autárquicas, uma lista de independentes à JF de Mafra. Ao nosso pedido de esclarecimentos respondeu Pedro Tomás com um simples e lacónico, “Em relação às questões colocadas nada tenho a comentar“, deixando, assim, em aberto todas as possibilidades.

[imagem:Pedro Tomás (FB)]

 

   

Leia também