PSD e CDS-PP assinam acordo político autárquico

“Tendo em conta o  apelo, preconizado pelos Senhores Presidentes dos respetivos Partidos, para que  possa ser encontrada uma solução de compromisso político entre os dois partidos que conduza a uma maior articulação e, até, à apresentação de um acordo político de compromisso futuro de coligação pré-eleitoral para as próximas eleições autárquicas, as estruturas concelhias de Sintra do PPD/PSD e do CDS/PP assinaram hoje um acordo de colaboração”, assim se começa o comunicado enviado à redação do Jornal de Mafra, pela concelhia de Sintra do PSD.

A consequência de não sermos capazes de gerar essa alternativa credível e mobilizadora em Sintra, é a manutenção e o crescimento da distância que nos separa dos concelhos vizinhos, Cascais, Mafra e Oeiras, nenhum dos quais governado pelo Partido Socialista

O comunicado elenca então algumas das razões que na perspetiva daquelas duas estruturas partidárias, as levaram a assinarem um acordo de cooperação. “Sintra está hoje confrontada com uma situação extremamente delicada, caracterizada por uma profunda debilidade social […] assumimos, assim, uma vontade conjunta de não resignação, uma vontade conjunta de projetar esperança para que se criem as condições de mudança real nas políticas municipais, que passam por uma alternativa nova e credível de desenvolvimento para o nosso Concelho […] O atual executivo camarário demonstra uma incapacidade de concretizar investimento reprodutivo, apesar dos anúncios de investimento público que proclama […] a consequência de não sermos capazes de gerar essa alternativa credível e mobilizadora em Sintra, é a manutenção e o crescimento da distância que nos separa dos concelhos vizinhos, Cascais, Mafra e Oeiras, nenhum dos quais governado pelo Partido Socialista”.

O comunicado, assinado por Ana Sofia Bettencourt (Presidente da Comissão Política de Sintra do PPD/PSD) e por Maurício Rodrigues Veríssimo (Presidente da Comissão Política de Sintra do CDS/PP) termina afirmando, ser “a pensar em Sintra e nos seus munícipes que as estruturas concelhias do PPD/PSD e do CDS/PP decidiram unir esforços e vertê-los num acordo firmado pelas duas partes, que visa através do diálogo e da cooperação mútua, encontrar uma nova alternativa à Câmara socialista, corporizada numa nova candidatura credível e galvanizadora, capaz de agregar os militantes e simpatizantes dos dois partidos, bem como, todos aqueles que desejam a mudança da atual gestão municipal.”

   

Leia também