Covid-19/Mafra | Contratos com a câmara municipal para a produção de vídeos para o Facebook

Contratos com a câmara municipal para a produção de vídeos para o Facebook

A situação de pandemia por Covid-19 tem provocado alterações profundas no modo como as pessoas e as instituições comunicam. A nível político e de cidadania, a passagem de uma boa parte das reuniões, de presenciais para online, e a não admissão de público e de comunicação social nos locais onde essas reuniões ocorrem, tem contribuído para alguma opacidade do trabalho de alguns órgãos políticos.

Em Mafra, as reuniões das Assembleias Municipais e as reuniões públicas (1 vez por mês, habitualmente na última sexta feira do mês) da Câmara Municipal, não são transmitidas online por iniciativa do executivo camarário ou da presidência da Assembleia Municipal. Num concelho, onde em circunstâncias não pandémicas, não há conferências de imprensa e a Câmara Municipal ou a Assembleia Municipal, não emitem comunicados nem notas de imprensa, no momento em que surge uma pandemia, exigindo confinamento social, a difusão da informação e o acesso às fontes de informação, por parte dos cidadãos e de boa parte dos órgãos de comunicação social, reduz-se a um nível residual.

A Câmara Municipal de Mafra, embora nestes tempos de pandemia e de confinamentos, não tenha privilegiado o acesso dos cidadãos-munícipes à informação política, não transmitindo as reuniões do executivo ou da AM, não deixou cair a sua programação cultural, nomeadamente, aquela que se funda na área musical.

Para assegurar a transmissão, na página mantida pela Câmara Municipal de Mafra na rede social Facebook, dos vídeos relativos a eventos ocorridos (a ocorrer) no Auditório Municipal Francisco Alves Gato, os concertos de carrilhão, algumas curtas aulas de ginástica e as intervenções do presidente de câmara ou de vereadores com pelouro, dedicadas sobretudo à situação pandémica no concelho e às medidas que a CMM tem tomado para lhes fazer face, contratou a CMM duas empresas da área da comunicação.

À empresa Moxo is Blue Studio, Lda (segundo informação da Câmara Municipal de Mafra), uma empresa com sede em Lisboa, criada em 2016, que se dedica à produção e edição de filmes, de vídeos e de programas de televisão, de conteúdos 3 D e animação, de pós-produção para filmes, de vídeos e de programas de televisão, propriedade de João Manuel dos Santos Coelho e de Patrícia Filipa Alvarinho Louro, adjudicou a Câmara Municipal de Mafra, um serviço designado como “Filmagem e Pós-Produção de evento “Operacionalização do Projeto Stay Together European Organ“, cuja nota de encomenda está datada de 29 de abril de 2020, à qual corresponde uma fatura da empresa, datada de 15 de maio de 2020, no valor de 1 820,40 €.

À empresa Luís Miguel Pereira Veloso Campos, unipessoal (segundo informação da Câmara Municipal de Mafra), uma empresa com sede em Mafra, propriedade de Luís Miguel Pereira Veloso Campos, proprietário também de um órgão de comunicação social a operar no concelho de Mafra, do qual é também Diretor, órgão instalado na Mafra Business Factory (incubadora de empresas da Câmara Municipal de Mafra), adjudicou a Câmara Municipal de Mafra, dois serviços designados como “Produção” e como “Produção Live/Streaming“, cujas notas de encomenda estão datadas, respetivamente, de 31 de março de 2020, à qual corresponde uma fatura da empresa,  datada de 20 de março de 2020, no valor de 3 000,00 €, e uma nota de encomenda de 29 de abril de 2020, a que corresponde uma fatura da empresa, datada de 29 de abril de 2020, no valor de 4 920,40 €.

Nenhum destes, supõe-se que, ajustes diretos, está ainda publicado na plataforma dos contratos públicos.

   

Leia também