Buscas na Ericeira, a casa de ‘hacker’ já detido, que atacou entidades públicas no dia 25 de abril

Em comunicado, a Polícia Judiciária anunciou a detenção de um indivíduo por crimes de e acesso ilegítimo, falsidade, dano e sabotagem informática.

A Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T), em  inquérito titulado pelo DCIAP, procedeu, ontem à localização e detenção de um individuo de 19 anos, e à identificação e constituição como arguido de um outro suspeito de 23 anos, pela prática reiterada de crimes de acesso ilegítimo, falsidade, dano e sabotagem informática.

Na sequência de participações de várias entidades, perante a reincidência de suspeitos e tendo em vista a cessação da atividade criminosa deste grupo, foram efetuadas buscas domiciliárias em quatro locais e procede-se à apreensão de diverso material informático que servia de suporte à prática ilícita.

Os ataques informáticos em escala, conhecidos por “Defacing” e “DDoS”, eram dirigidos a entidades públicas e privadas, tinham origem num grupo criminoso de cidadãos portugueses e mostravam sinais de agravamento nos últimos dois meses.

O detido, já com antecedentes por crimes de idêntica natureza, será presente a primeiro interrogatório judicial, para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

 

O jornal “Diário de notícias” adianta hoje, que entre as entidades atacadas se incluíam entidades desportivas, uma associação de árbitros, vários museus, institutos e organismos do Estado, bem como empresas privadas, incluindo a Altice.

O jovem detido pertence  ao grupo de hackers ‘Anonymous’ e a detenção foi efetuada na sequência de quatro buscas domiciliárias ocorridas na área da Grande Lisboa, incluindo na Ericeira, Mafra e Sintra.

   

Leia também