Quem são os visitantes do Museu Nacional da Música? Quem o irá visitar em Mafra?

Quem são os públicos do Museu da Música?

 

Um dos argumentos dos detratores da instalação do Museu da Música em Mafra passa pela dificuldade que a vila sentiria em canalizar e fixar públicos para o museu.

Neste contexto, será particularmente importante ter em conta um recente estudo promovido pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), estudo destinado a estudar os públicos dos museus nacionais, em que se incluiu o Museu da Música na sua localização atual em Lisboa.

O estudo a que nos referimos, Estudo de Públicos de Museus Nacionais (EPMN) teve por parceiro científico, o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL) do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), tendo ainda beneficiado do apoio mecenático da Fundação Millennium bcp e da ONI.

Vejamos então alguns dados relevantes que este estudo revela.

Perfis sociais dos públicos do Museu da Música

A média de idades dos visitantes é de 42 anos, estando dentro da média dos visitantes de todos os museus nacionais. Este público é, no entanto,  menos escolarizado (71% com pós-secundário contra 73% no EPMN), e com menos mulheres (50% são mulheres, quando no EPMN este valor atinge os 56%) “e com maior predominância nas profissões de especialistas das atividades intelectuais e científicas (65% contra 61%)”.

Origem geográfica dos públicos do Museu da Música

A maioria dos visitantes são estrangeiros, de 37 nacionalidades, sendo 1/5 deles, franceses. 44%  de portugueses (destes, 3% residem no estrangeiro). Os visitantes nacionais residem sobretudo na Área Metropolitana de Lisboa (73%). “Para além do grande destaque da AML, merecem ainda referência as regiões do Norte (10%) e Centro (8%)”.

Práticas culturais dos públicos do Museu da Música

“Entre os públicos do MNM verifica-se uma propensão mais acentuada dos públicos estrangeiros para práticas de saída, com destaque para as idas ao teatro (71%, mais catorze pontos percentuais) e para as idas às bibliotecas públicas (67%, mais treze pontos que os nacionais). Entre os portugueses verifica-se uma ligeira preponderância na leitura de livros por motivos escolares ou profissionais (80%, mais um ponto do que os estrangeiros)”.

Relações dos visitantes com o MNM e com outros museus e galerias

A maioria é constituída por públicos estreantes (93%).  4% são públicos regulares, “valor consideravelmente inferior ao do EPMN (13%)”. Trata-se, na maioria (44%) de públicos assíduos de instituições culturais.

Gratuitidade do acesso aos museus

81% dos públicos portugueses procuram saber se têm direito a algum tipo de redução. Quase um terço (31%) procura os dias gratuitos para visitar o museu. “As visitas em família (27%) são contextos específicos que sugerem algum planeamento das visitas para o dia de entrada gratuita”.

Duração e motivações da visita ao Museu da Música

47% das visitas duram entre 30 e 60 minutos.

“Quanto às motivações para a visita, das dez consideradas no inquérito, destacam-se o interesse pelo Museu (91%), conhecer ou rever a exposição permanente (63%) e ainda, apesar de menos relevante que as anteriores, acompanhar familiares/amigos/outras pessoas (43%). As menos referidas são assistir a palestras, colóquios (17%) e participar em atividades específicas para crianças, seniores ou outros grupos (14%) e fazer a visita guiada organizada pelo Museu (12%)”.

[Imagem: MNM]

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados

Leave a Comment