Autárquicas 2017 – Entrevistas aos candidatos à Junta da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés

Sendo estas as forças políticas com trabalho continuado no concelho ao nível das freguesias, o Jornal de Mafra decidiu entrevistar os cabeças de lista do PSD, PS, CDU e da coligação CDS/PPM/MPT, às freguesias ou Uniões de Freguesia de Mafra, Ericeira, Malveira e S. Miguel de Alcainça, e Venda do Pinheiro e Santo Estêvão das Galés.

O PSD não respondeu aos pedidos de entrevista que lhe dirigimos.

 

 PS – Luís Teixeira
Como é que avalia o actual mandato do actual presidente da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés?

Se eu achasse que o trabalho do executivo tinha sido bom, possivelmente, ponderaria mais do que ponderei, relativamente ao avançar para esta candidatura. Sou natural desta freguesia e quero o melhor para a população, para quem reside na nossa freguesia. O que foi feito, foi pouco e muitas coisas que foram feitas, não forram correctamente feitas. Pode fazer-se muito mais.

 

Quais são os pontos fracos e os pontos fortes da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés?

Temos de potenciar urgentemente a criação de uma boa rede de transportes para toda a freguesia, até porque a freguesia não é só a Venda do Pinheiro, temos uma zona mais rural com muito poucos autocarros durante o dia. É também necessário dinamizar as zonas mais rurais da freguesia, zonas que actualmente estão quase esquecidas pelo actual executivo. Também é preciso trabalharmos muito na cultura, no associativismo, no desporto, nas instituições sociais. Nestes 4 anos houve várias festas tradicionais que não foram realizadas pelas associações, algo que poderia ser alterado se a junta trabalhasse mais próximo das associações e percebesse aquilo que era necessário fazer. Há muita gente na freguesia à espera de um incentivo, à espera que alguém os empurre para fazer mais coisas, nomeadamente na área cultural. Importante mesmo é tratar todas as associações de uma forma equitativa.

Quais são os principais pontos do seu programa de candidatura?

Pode fazer-se muito mais pelo comércio e pela indústria na freguesia, temos aqui um pólo comercial com acessos completamente degradados, o que acaba por afastar novos investimentos que trariam riqueza para a freguesia. Vamos aproximar-nos mais da camadas mais desprotegidas, os jovens, as crianças e os idosos. Vemos na freguesia parques infantis completamente degradados, que têm de ser recuperados e ampliados, em relação aos jovens é necessário criar zonas com wifi gratuito, criar estruturas onde eles possam reunir e conviver, até porque nas zonas isoladas da freguesia, muitas vezes, nem sequer existe acesso à Internet. Há tanto a fazer. É verdade que o dinheiro faz falta, mas a verdade é que, nem para tudo é preciso dinheiro, é preciso essencialmente vontade e dinâmica. No plano político, o presidente da junta deve ser interventivo junto do executivo camarário em defesa dos seus fregueses, deve reivindicar uma maior delegação de competências com a respectiva correspondência financeira. A junta de freguesia não é uma empresa de jardinagem e de recolha de resíduos, tem de ser mais do que isso.

 

Sabe qual é o orçamento da freguesia para 2017?

Sei que o orçamento já teve uma rectificação, mas andará pelos 340, 350 mil euros. Todo o nosso programa foi balanceado tendo em conta o orçamento e todas as nossas propostas foram ponderadas em função das verbas disponíveis.

CDU – Pedro Machado
Como é que avalia o actual mandato do actual presidente da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés?

O que a junta tem feito, basicamente, é gerir os 350 mil euros que lhe estão atribuídos, sem que haja quaisquer investimentos, no fundo é gerir, pagar os ordenados. A CDU tem tido uma relação normal, cordial com o executivo, com respeito de ambas as partes, por aí as coisas funcionam. No entanto é necessário fazer coisas diferentes e pensamos que a junta deveria ter uma voz activa na Assembleia Municipal, em vez de se limitar a ir lá “ao beija mão” como se costuma dizer.

Quais são os pontos fracos e os pontos fortes da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés?

A falta de investimento é talvez o principal problema.  A cultura, a educação, terão de ser impulsionadas. A CDU tem feito alguns alertas relativamente a algumas coisas que têm de ser mudadas, mas quanto ao resto, não vale a pena criticar por criticar. A falta de formação do pessoal auxiliar de acção educativa.

Quais são os principais pontos do seu programa de candidatura?

A CDU tem um programa de candidatura genérico, não temos um programa específico para a união de freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés.

Quais são as suas prioridades para o 1º ano de mandato?

Para além de pagar as contas, dentro do orçamento que existe, temos três fatias, a fatia dos pagamentos, a fatia das transferências de competências, e neste caso haverá que tentar perceber se estes valores estão ajustados às necessidades, e depois sobra sempre qualquer coisa para o investimento, para a cultura, para as colectividades. O que a CDU iria fazer certamente de diferente, seriam reuniões periódicas com a população, nos mais variados locais. Reuniões bem divulgadas, onde as pessoas poderiam participar e falar dos seus problemas, se fosse possível resolvê-los, muito bem, caso contrário, iríamos junto da câmara, junto dos ministérios, fosse onde fosse necessário ir.

Sabe qual é o orçamento da freguesia para 2017?

339 ponto qualquer coisa mil euros.

CDS/PPM/MPT – Jorge Jesus
Como é que avalia o actual mandato do actual presidente da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés?

Não está a fazer um mau trabalho, mas nós queremos fazer melhor. Não gosto de dizer mal de quem está, até porque, muitas vezes, quando estamos na acção, também não conseguimos fazer tão bem como ele. Já estive na junta em 2009 e em 2013 e graças a deus dei-me bem com todas as forças politicas. Nas juntas de freguesia, as possas devem por um bocadinho os partidos de lado e trabalhar todos para a comunidade. O meu lema é “mais perto das pessoas”, gosto de estar sempre pronto para ajudar.

Quais são os pontos fracos e os pontos fortes da União de Freguesias da Venda do Pinheiro e Sto. Estêvão das Galés?

Uma das coisas em que vou batalhar é precisamente o apoio às pessoas. Gostava de ver as pessoas mais unidas e mais colaborantes eu faço parte da comissão de melhoramentos da Asseiceira Pequena, fazemos uns bailes e umas festas, por vezes para angariar brinquedos e outras coisas para depois serem destribuídas pelos mais desfavorecidos.
Não digo que estejam coisas mal, mas há coisas que se podiam fazer melhor, por exemplo, agora andam a fazer-se estradas, mas já se deviam ter feito antes, também acho que é necessário mais prevenção dos fogos nas florestas e nos pinhais, nomeadamente, um bocadinho mais de limpeza.

Quais são os principais pontos do seu programa de candidatura?

Gostava de constituir um grupo que pudesse ajudar as pessoas mais desfavorecidas e as mais idosas, por exemplo, com pequenos trabalhos. Também gostaria de fazer ciclovias, vê-se por aqui muita gente a fazer caminhadas e não têm condições. Na zona do colégio de Santo André, os carros não deviam estacionar, pois torna-se muito perigoso.

Sabe qual é o orçamento da freguesia para 2017?

Isso dos orçamentos é sempre curto. O orçamento, agora não sei precisar.

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados