Vamos a Farmácia

 

Dia Azul do Autismo – 2 de Abril

Celebra-se hoje, dia 2 de Abril o Dia Internacional da Consciencialização para o Autismo. Pretende-se que seja um dia dedicado a todos os diagnosticados com Perturbações do Espectro do Autismo, bem como as suas famílias e todos os profissionais de saúde que se dedicam a prestar cuidados nesta área.

Este dia foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objectivo de esclarecer a comunidade relativamente ao autismo e de derrubar preconceitos relativamente a esta temática.

A ONU estima que mundialmente existam cerca de 70 milhões de pessoas autistas.

Embora possuam diferentes níveis de gravidade, os Transtornos do Espectro Autista consistem em distúrbios neurológicos caracterizados por perturbações cognitivas na comunicação, na expressão dos sentimentos e na interacção social, bem como sensibilidade sensorial excessiva acompanhada de comportamentos repetitivos e restritivos.

Acredita-se que é uma doença originada por uma componente não só genética como também ambiental. No entanto, ainda se desconhece muito acerca dos factores específicos que contribuem para o seu aparecimento.

 


Light it Up Blue – Acendam-se luzes azuis!


 

Diversas entidades a nível mundial promovem actividades culturais neste dia, com a finalidade de aumentar o conhecimento e fornecer informação sobre o diagnóstico e sobre as medidas de intervenção precoce no autismo.

Em Portugal também existem diversas instituições, designadamente as Câmaras Municipais, que promovem a consciencialização para o Autismo. Portanto, não estranhe se esta noite reparar em algum Monumento iluminado de azul.

A iluminação de monumentos e outros edifícios públicos relevantes com luz azul, o uso de roupa e pulseiras azuis ou o acender de uma vela azul são iniciativas que podem ser visualizadas no dia 2 de Abril a nível internacional. Light it Up Blue é o nome desta iniciativa internacional do projecto Autism speaks com o objectivo de acender o maior número de luz azul neste dia.

Normalmente o autismo é representado por uma peça de puzzle azul. Usa-se a peça de puzzle porque é uma doença ainda sem cura, com diversas particularidades ainda difíceis de compreender e cuja causa de origem ainda carece de muita investigação. Ao autismo associa-se também a cor azul uma vez que esta doença afecta maioritariamente o sexo masculino. São diagnosticados cerca de 4 rapazes para cada 1 rapariga.

 

Como é feito o diagnóstico de Perturbações do Espectro Autista?

Embora não seja taxativo, é habitual que o diagnóstico seja feito pelos 2 ou 3 anos de idade. Normalmente a avaliação é feita por um médico pedopsiquiatra mediante testes específicos de diagnóstico que identifiquem alterações comportamentais, alterações na comunicação e alterações na interacção social. Este tipo de alterações pode manifestar-se sob graus diferentes, consoante o nível de gravidade do espectro. E é também consoante esse grau de gravidade que se adequa o plano de tratamento farmacológico e comportamental. Desta forma é possível estimular o desenvolvimento cognitivo e social destas crianças ajudando-as e às suas famílias a lidar melhor com o dia-a-dia.

 

Entidades de Apoio ao Autista

Em Portugal existem já diversas entidades e iniciativas dedicadas ao apoio do autista e da sua família, bem como à consciencialização da nossa comunidade para a doença. A grande maioria destas instituições estão localizadas em Lisboa e a Norte do país.

Posso dar-vos alguns exemplos: 

http://www.appda-lisboa.org.pt

(também tem instalações em Sintra)

A Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo de Lisboa nasceu a partir da primeira instituição portuguesa constituída em 1971 e destinada a proteger as crianças autistas. É uma Associação de solidariedade social e presta serviços de diagnóstico, avaliação e acompanhamento a outras Organizações e a Agrupamentos de Escolas. Também dá formação a pais e organiza diversas acções de sensibilização.

 

http://www.Fpda.pt

Quanto à Federação Portuguesa de Autismo, ela foi criada para defender os direitos dos cidadãos com perturbações do espectro. É também muito activa na comunidade, participando inclusivamente em projectos internacionais.

Como o autismo é uma doença de maior prevalência no sexo masculino, a grande maioria dos estudos tem também maior incidência nos homens. Pelo que esta instituição colaborou num Projecto Europeu designado por Autism in Pink de forma a estudar esta perturbação em mulheres entre os 16 e os 40 anos, como o objectivo de contribuir para a inclusão deste grupo vulnerável de mulheres na sociedade.

 

https://espaco-diferencas-mafra.webnode.pt/

O Espaço Mafra apoia crianças e jovens do Concelho. É um Centro de Desenvolvimento Infantil que presta cuidados na área do Neurodesenvolvimento e do Comportamento de forma a potenciar uma intervenção célere e eficaz em crianças com determinados transtornos de aprendizagem, nomeadamente nas crianças com Perturbações do Espectro do Autismo.

 

 

http://udij.pt/

Em Torres Vedras, a Unidade para o Desenvolvimento Infantil e Juvenil tem uma vasta equipa multidisciplinar e disponibiliza serviços especializados na área do desenvolvimento infantil e juvenil e na área da saúde emocional e mental não só de crianças, com também de adultos. Em casos de Perturbações do Espectro do Autismo, possibilita um acompanhamento multifacetado por diferentes profissionais. É uma Unidade com diversos protocolos em Juntas de Freguesia e Agrupamentos de Escolas do Concelho.

 

https://vencerautismo.org

Embora neste artigo tenha escolhido mencionar instituições na zona de Lisboa/Oeste, aproveito para referir também a Vencer Autismo, que embora seja uma instituição com sede no Porto, tem de facto adquirido grande relevância a nível ibérico e também no Brasil. A Vencer Autismo é extremamente activa na comunidade, tem dado múltiplas palestras (em cerca de 60 cidades diferentes), TED talks e é também dinamizadora em Portugal do Movimento Light it up Blue, acima mencionado.

 

Já acendeu hoje uma luz azul?

 

 



Pode ler (aqui) os outros artigos de Ana Quintela