Crónica de Jorge C Ferreira | O Meu Nome É Gal

  O Meu Nome É Gal por Jorge C Ferreira   “O Meu Nome É Gal”. Foste Índia. Foste a voz da canção para Gabriela. Gabriela a que Sónia Braga deu corpo e lascívia. Sónia mulher desejo e que, neste país, foi idolatrada. Foste essa “Força Estranha” que nos inebriou. Foste uma das vozes dessa maravilhosa turma da Bahia. Com Caetano, Bethânia e Gil ajudaste a modificar a música que nos fez sonhar. O Tropicalismo. Esse movimento que nos entusiasmou. Movimento que englobou a música, as artes plásticas, o cinema…

Ler mais

Crónica de Alexandre Honrado – Em torno do discurso do ódio

  Crónica de Alexandre Honrado Em torno do discurso do ódio   Minorias políticas são por vezes tentadas a usar o discurso do ódio como solução parcelar e parcial dos seus dissabores e frustrações. É o que notamos, em crescendo, nas redes sociais, nalguns pontos rotineiros de encontro, em palcos que insultam as plateias e as desdenham. Em democracia os que hoje governam amanhã serão governados, a alternância permite a respiração do sistema e a passagem pelo crivo de muitas tentações não democráticas, como as de tornar o poder totalitário…

Ler mais

Mafra | Marcelo Rebelo de Sousa faz “oração de sapiência” na Escola Secundária José Saramago – Comemoração do centenário do escritor [Imagens]

  “Vivemos para dizer quem somos.” [José Saramago] “A Escola Secundária de Mafra assumiu como patrono o escritor José Saramago. Apesar de uma certa polémica, em 30 de Outubro de 1998, após o escritor ter sido galardoado com o Prémio Nobel da Literatura, pelo seu romance Memorial do Convento, o Ministério da Educação, através do Despacho nº20060/98 (2º série), de 30 de outubro, determinou que a Escola Secundária de Mafra se passasse a denominar Escola Secundária José Saramago – Mafra” [Escola Secundária José Saramago] Ainda antes da atribuição do prémio…

Ler mais

Crónica de Licínia Quitério | Que linda falua

  De ontem e de hoje – Que linda falua por Licínia Quitério   Era assim a cantilena das meninas, no pátio da escola : ”Que linda falua que lá vem, lá vem, é uma falua que vem de Belém. Eu peço ao Senhor Barqueiro que me deixe passar, tenho filhos pequeninos não os posso sustentar. Passará, não passará, algum deles ficará, se não for a mãe à frente, é o filho lá de trás.” O barqueiro ia decidindo a sorte desta e daquela e da outra, com o dedo…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Os ensinamentos dos mais velhos

  Os ensinamentos dos mais velhos por Jorge C Ferreira   O que vemos acontecer. A vida difícil de quem trabalha. Saber e lembrar factos muito antigos. Os ensinamentos dos mais velhos. Aprender a ouvir, a saber ouvir. Ir armazenando experiência. A vida que começa antes do tempo. O tempo que não se compadece com as dificuldades das pessoas. Os livros escondidos no chão do sótão. Um livro importante no meio de tão poucos livros. O colega do meu Avô que foi preso porque recebia dinheiro dos camaradas de trabalho…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | Dormir com fantasmas

  Dormir com fantasmas Por Alice Vieira Quando os meus netos eram pequenos viviam em  Inglaterra, na cidade de Leicester (a mais nova até nasceu lá, o que a deixa muito orgulhosa…). Um dia a minha neta mais velha tinha uma visita de estudo e eu fui com ela. Uma visita perfeitamente normal, daquelas que a escola fazia quase todas as semanas. “E se tivéssemos ligado antes,  a marcar, até lá podíamos ter dormido”—oiço a minha neta. Arrebito a orelha, de que é que ela estava a falar?, dormido onde?…

Ler mais

Torres Vedras | Feriado Municipal evocado com sessão solene e entrega de condecorações [Imagens]

  Decorreu hoje no Teatro-Cine de Torres Vedras a Sessão Solene de Celebração do Feriado Municipal de Torres Vedras. Durante a sessão, a que assistiram todos os vereadores da câmara, muitos deputados municipais, dirigentes associativos e empresários do concelho, usaram da palavra, Laura Rodrigues, presidente da Câmara Municipal e o presidente da Assembleia Municipal de Torres Vedras, José Correia. Laura Rodrigues passou em revista as atividades e iniciativas municipais que marcaram o último ano. Entre outras, foram dignas de menção, a intervenção urbanística realizada a norte da cidade, na encosta…

Ler mais

Crónica de Mário de Sousa | Não batas com a porta! Disse…

Crónica de Mário de Sousa Não batas com a porta! Disse… Não batas com a porta! Disse…[i] Mas ela já ia no seu caminho desaustinado, terminando com estrondo ao embater na ombreira. E eu ficava empolgado com o ruído e dentro de mim, sentia um orgulho enorme, um poder indescritível por ser capaz de gerar aquele pandemónio. A minha mãe encolhia os ombros resignada, a minha avó ‘resmoneava’ com diversas intensidades de ‘Hum, Hum’ e a tia Bernarda abanava a cabeça compondo o carrapito, como se o estrondo a tivesse…

Ler mais

Crónica de Jorge C Ferreira | Os acomodados

  Os acomodados por Jorge C Ferreira   Há quem se acomode. Quem arranje um lugarzinho. Quem se vá calando, falando. E, no entanto, tanta coisa para falar a sério. Tanta coisa para reclamar. E tanta gente calada. Fico arrepiado ao lembrar-me de quem, antigamente, dizia: a minha política é o trabalho. Gente que sabia que a polícia levava presos os seus vizinhos. Está um Major General a falar neste momento na televisão e já disse pertinente um ror de vezes. Fala-se de mísseis e contra mísseis. Da guerra e…

Ler mais

Crónica de Licínia Quitério | A pergunta

  De ontem e de hoje – A pergunta por Licínia Quitério   A cozinha tinha uma porta que dava para o quintal, e na porta havia um postigo, um qua­dro de quatro vidros. Naquele tempo, havia muitas moscas que poisavam e caminhavam nos vidros, vagarosas. De tarde, eu observava as moscas que não faltavam ao seu passeio ao Sol, nos vi­dros virados ao Sul. Chegava-me mais à porta até elas debandarem. Deixavam marcas redondinhas, pequeninas, nos vidros, que lim­pava com os dedos, quando a mãe não estava a olhar.…

Ler mais