Mafra | Câmara e DGPC colaboram na manutenção e conservação dos carrilhões do Palácio de Mafra

 

Na reunião de câmara da próxima 6.ª feira será apreciada a minuta de acordo de parceria entre o município de Mafra e a Direção-geral do Património Cultural (DGPC – Ministério da Cultura) com vista à manutenção e conservação dos carrilhões do Palácio Nacional de Mafra (PNM).

Nos documentos a que o Jornal de Mafra teve acesso é possível ler-se que: “os Carrilhões estiveram inoperacionais durante 19 anos, sendo que, concretizado o restauro, é necessário assegurar a realização de atividades de manutenção regulares, de modo a garantir a continuada operacionalidade do conjunto, fidelizando o público na área cultural-musical e tornando Mafra num centro de aprendizagem, divulgação e valorização deste instrumento;”.

O referido protocolo destina-se a “estabelecer as condições técnico financeiras para a manutenção e conservação dos Carrilhões do PNM”.

Refere-se na documentação, que a lista dos trabalhos inerentes à manutenção imediata dos Carrilhões e Torres Sineiras do PNM é a seguinte:

1. Carrilhão manual e automático, torre sul, sinos e sistema de transmissão das horas ambas as torres:
a) Verificar o funcionamento do desumidificador;
b) Verificar o funcionamento do equipamento de aquecimento;
c) Verificar afinação dos cabos de transmissão;
d) Verificar posicionamento e reapertar os sinos;
e) Verificar corrosão nas badaleiras;
f) Verificar corrosão nos badalos e martelos;
g) Verificar corrosão nos eixos e restantes peças dos sistemas de transmissão;
h) Verificar afastamento dos martelos em relação aos sinos;
i) Verificar afastamento dos badalos em relação aos sinos;
j) Verificar afinação dos cabos de transmissão e acessórios, carrilhão automático.

2. Lubrificação:
a) Afinadores do teclado, apenas uma gota na parte superior da peça de alumínio;
b) Rolamentos dos martelos “Bim Bam”. Um pingo de óleo no buraco no centro;
c) Todos esquadros de transmissão. Um pingo de óleo no orifício no centro do eixo;
d) Não lubrifique os mancais das estruturas de fixação dos eixos de transmissão;
3. A manutenção do carrilhão deve ser feita pelo menos uma vez por ano.
4. Todas as peças necessárias serão lubrificadas e ajustadas. Todos os parafusos de conexão serão reapertados. As molas serão reajustadas sempre que necessário.
5. A manutenção intermédia, de lubrificação, entre o período de um ano é recomendada, especialmente em um clima húmido como em Mafra.
6. A manutenção intermédia, semestral, deve ser em executada em conjunto com o carrilhonista.
7. Os rolamentos precisam ser lubrificados com um óleo de baixa viscosidade, como WD40. Não aplicar óleo em demasia.

O protocolo estabelece como interlocutores o Vereador com o Pelouro da Cultura por parte da autarquia de Mafra e o Diretor do Palácio Nacional de Mafra por parte da DGPC.

O acordo produz efeitos a partir da data da sua celebração, em outubro de 2022, e terá a duração de um ano, renovando-se automaticamente por igual período, se não for denunciado por qualquer das partes.

De relembrar que “o conjunto de dois Carrilhões do Palácio Nacional de Mafra (PNM), constituído por 103 sinos em bronze, encomendados pelo rei D. João V, tendo o Carrilhão da torre norte sido executado em Liège, nas oficinas de Nicolau Levache, e o Carrilhão da torre sul na fundição de Willem Witlockx, em Antuérpia, torna-os um dos maiores Carrilhões históricos único no mundo, instalado num monumento de reconhecido valor excecional, recentemente inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO, tendo um inestimável valor histórico, cultural e turístico.”

Leia também