238 pessoas morreram na última semana devido ao calor extremo

 

A Direção-Geral de Saúde (DGS) emitiu esta tarde um comunicado sobre o fato das elevadas temperaturas do ar se encontrarem “geralmente, associadas a períodos de mortalidade mais elevada do que o esperado para a altura do ano (excesso de mortalidade 1)”.

Desde o dia 6 de julho de 2022, que se têm vindo a registar valores muito elevados da temperatura do ar (máximas e mínimas), situação que “tem um potencial impacte conhecido na saúde, como consequência de desidratação ou de descompensação de doenças crónicas, entre outros fatores”.

Os dados da DGS revelam que entre os dias 7 e 13 de julho de 2022, inclusive, se observou um “excesso de mortalidade em Portugal (continente e ilhas), correspondendo a um total de 238 óbitos”- valores que são ainda provisórios.

A 5 de julho, a Direção-Geral de Saúde ativou o grupo operacional do seu Plano de Contingência, tendo sido também acionadas as respostas regionais e locais.

Em dias de temperaturas elevadas, a Direção-Geral da Saúde recomenda a adoção das seguintes medidas de proteção adicionais.

  • Procurar ambientes frescos e arejados ou climatizados
  • Aumentar a ingestão de água ou de sumos de fruta natural sem açúcar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas
  • Evitar a exposição direta ao sol, principalmente entre as 11 e as 17 horas. Utilizar protetor solar com fator igual ou superior a 30 e renovar a sua aplicação de 2 em 2 horas e após os banhos na praia ou piscina
  • Utilizar roupa solta, opaca e que cubra a maior parte do corpo, chapéu de abas largas e óculos de sol com proteção ultravioleta
  • Evitar atividades que exijam grandes esforços físicos, nomeadamente desportivas e de lazer no exterior
  • Escolher as horas de menor calor para viajar de carro. Não permanecer dentro de viaturas estacionadas e expostas ao sol
  • Dar atenção especial a grupos mais vulneráveis ao calor, tais como crianças, idosos, doentes crónicos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida, trabalhadores com atividade no exterior, praticantes de atividade física e pessoas isoladas
  • Os doentes crónicos ou sujeitos a medicação e/ou dietas especificas devem seguir as recomendações do médico assistente ou do centro de contacto SNS 24: 808 24 24 24
  • Assegurar que as crianças consomem frequentemente água ou sumos de fruta natural e que permanecem em ambiente fresco e arejado. As crianças com menos de 6 meses não devem estar sujeitas a exposição solar, direta ou indireta
  • Contactar e acompanhar os idosos e outras pessoas que vivam isoladas. Assegurar a sua correta hidratação e permanência em ambiente fresco e arejado
  • Ter cuidados especiais, nomeadamente: moderar a atividade física, evitar a exposição direta ou indireta ao sol e garantir ingestão frequente de líquidos;

Para se proteger dos efeitos negativos do calor intenso mantenha-se informado, hidratado e fresco.

 

1 O excesso de mortalidade está a ser calculado através da comparação entre o número de óbitos ocorridos em Portugal e a linha de base de mortalidade, assente na mortalidade diária observada nos cinco anos anteriores, na tendência de longo prazo, na sazonalidade observada em anos anteriores e excluindo períodos de excesso, de acordo com o algoritmo estabelecido. Existem períodos de excesso de mortalidade quando o número de óbitos observados ultrapassa o limite superior do intervalo de valores expectáveis para aquele período.

Leia também