CD Mafra | Quem manda no clube – Nova gerência

 

Sem surpresa, José Cristo foi reeleito para um novo mandato à frente do CD Mafra, numa Assembleia Geral que no dia 29 de abril teve lugar no pavilhão do clube.

Os Órgãos Sociais para o triénio 2022/2025 ficaram assim constituídos:

Direção

Presidente: Antonino da Costa Florindo
Vice-Presidente: António Manuel dos Santos Maria
Vice-Presidente: José António Simões da Costa
Tesoureiro: Raquel Pinto Gonçalves
Secretário: Paulo Jorge Neves da Fonseca Vaz
Vogal: Rui Norberto da Silva Miranda
Vogal: Marco Paulo Capela Baluarte dos Santos
Vogal: Miguel de Sousa Ramos Maximiano
Vogal: Jorge Manuel Fragoso Pinto

𝗔𝗦𝗦𝗘𝗠𝗕𝗟𝗘𝗜𝗔 𝗚𝗘𝗥𝗔𝗟

Presidente: José António Dias Pestana

Vice Presidente: Jorge Manuel Resende Marques

Secretário: Carla Maria da Silva Filipe

𝗖𝗢𝗡𝗦𝗘𝗟𝗛𝗢 𝗙𝗜𝗦𝗖𝗔𝗟

Presidente: Susete Maria da Costa Alves

1.º Vogal: João Paulo Fernandes Vaz

2.º Vogal: Vitor Carlos de Jesus Ferreira

No último ano assistiu-se a várias alterações orgânicas na gestão do clube.

A 2 de janeiro de 2019, com sede na Rua Almirante Gago Coutinho, nº 4, Mafra é criada uma sociedade anónima que adota a muito anglo-saxónica designação de Footclub Investments SGPS, S.A., uma sociedade gestora de participações sociais, com um capital social de 50 000 euros, que tem por objeto a “Gestão de participações sociais de outras sociedades, como forma indireta de exercício de atividades económicas”. Esta sociedade tem por administrador único Antonino Da Costa Florindo.

A 21 de janeiro de 2022, o Clube Desportivo De Mafra – Futebol, SDUQ (Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas) faz um aumento de capital de 180.000,00 Euros, para 200.000 Euros, através da  entrada de 4 novos sócios. A estrutura acionista do clube fica assim constituída: Clube Desportivo De Mafra (20.000 €), Antonino Da Costa Florindo (1.000 €), Elisa Pinto Gonçalves (1.000 €), albano Adolfo Florindo Magalhães (1.000 €) e Footclub Investments SGPS, S.A (177.000 €). 

A 24 de janeiro de 2022, o CD Mafra passa a SAD (Sociedade Anónima Desportiva) mantendo a estrutura acionista.

Em dezembro de 2021 vários jornais desportivos davam conta da compra de 70% do capital social do CD Mafra por parte de Marcelo, jogador brasileiro lateral-esquerdo do Real Madrid: “de acordo com o jornal “A Bola”, o brasileiro investiu 7.5 milhões de euros (R$ 48 milhões) por 70% do capital social da sociedade. “Enxergamos no Mafra um potencial de conexão entre os mercados europeu e brasileiro“. O objetivo do brasileiro seria usar o clube português como uma vitrine para jogadores brasileiros.

Leia também

Comentário