Cinema | Estreias da Semana – 30 de setembro 2021

 

Estreias da Semana – 30 de setembro 2021

 

007: Sem Tempo Para Morrer

Título original: No Time to Die
De: Cary Joji Fukunaga
Com: Ana de Armas, Daniel Craig, Léa Seydoux, Rami Malek, Christoph Waltz, Ralph Fiennes
Género: Thriller, Acção, Aventura
Classificação: M/12
Outros dados: GB/EUA, 2020, Cores, 163 min

James Bond deixou o serviço ativo e está a desfrutar de uma vida tranquila na Jamaica. Mas a sua paz termina rapidamente quando o seu velho amigo Felix Leiter, da CIA, aparece com um pedido de ajuda. A missão de resgatar um cientista raptado acaba por ser bastante mais traiçoeira do que o esperado, o que leva Bond a perseguir um misterioso vilão, armado com uma nova tecnologia perigosa.

 

France

Título original: France
De: Bruno Dumont
Com: Léa Seydoux, Blanche Gardin, Benjamin Biolay
Género: Comédia Dramática
Classificação: M/14
Outros dados: ITA/BEL/ALE/FRA, 2021, Cores, 133 min

Um dos filmes sensação da Selecção Oficial em Competição do Festival de Cannes, France oscila entre a sátira política, a crítica aos media e o melodrama, apresentando-nos o retrato de uma jornalista, de um país e dos seus meios de comunicação. France de Meurs – cujo nome não foi escolhido ao acaso – é uma célebre jornalista que se desdobra entre a televisão, uma guerra distante e o frenesim da sua vida familiar. Após um acidente de viação, do qual resulta um ferido, France vê o seu mundo abalado e tenta refazer a vida de forma anónima, mas a fama dificulta-lhe a prossecução desse plano.

 

Imunes

Título original: Songbird
De: Adam Mason
Com: K.J. Apa, Sofia Carson, Craig Robinson, Bradley Whitford
Género: Drama, Thriller
Classificação: M/14
Outros dados: EUA, 2020, Cores, 84 min

Após quatro anos de quarentena, o vírus mudou e nós também… Neste assustador thriller, o vírus COVID-23 sofreu uma mutação e o mundo vai já no seu quarto ano de confinamento. Enquanto algumas almas corajosas lutam contra as forças da opressão, os americanos infectados são arrancados das suas casas e internados à força em campos de quarentena conhecidos como Q-Zones, dos quais não há como escapar.

 

Leia também