Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP) – Ouvi dizer que existe paraíso na terra

Opinião Política | Mário de Sousa (CDS-PP)
Ouvi dizer que existe paraíso na terra

 

“Ouvi dizer que existe paraíso na terra
E coisas que eu nunca entendi”[i]

Este refrão cantado pela família Melim podia muito bem ser entoado por António Costa e todo o seu governo. Um relatório saído na semana passada emitido pela OCDE,[ii] revela que a ajuda do Estado às empresas ou não chegou ou foi curta. Apenas 21% das PMEs portuguesas receberam ajudas. E a ajuda que coube a cada uma delas foi das mais pequenas do espaço europeu. Só na Finlândia foi mais baixa.

Começam-se a adensar nuvens negras e o governo como nos tem habituado, assobia para o lado procurando escondê-las. Na verdade, o relatório da OCDE é demolidor e coloca Portugal na cauda da Europa no que toca ao apoio às PMEs que são a maioria das empresas em Portugal. A realidade dos números é preocupante.

A OCDE escolheu a ajuda direta para PMEs com impacto orçamental como critério de avaliação o que nos empurrou para o fundo na percentagem do PIB em ajuda às PMEs. O nosso esforço é muito inferior a outros países como a Grécia, a Espanha, a Itália ou a Alemanha. Ficámo-nos pelos 3.6%. Todos os outros têm um esforço muito superior. No que toca às empresas que receberam algum apoio não fomos além de 25%. A Espanha apoiou 31%, a Alemanha 39% e o Reino Unido 54%.

Mas mais importante, a OCDE faz uma análise a que chamou ‘as PMEs esquecidas’, ou seja, as pequenas e médias empresas que tiveram uma quebra igual ou superior a 40% e que não receberam ajuda do Estado. E esse valor é muito elevado. Contabilizámos mais de 25% dessas empresas em Portugal. Só fora da Europa encontramos valores mais altos, por exemplo, na Turquia ou no México.

Como desculpa o governo argumenta com a explicação de que existem ajudas que este critério da OCDE não contabiliza. É sempre assim. Quando os números de um organismo internacional não interessam, eles é que estão a ver mal o problema. Só falta dizer que a OCDE escolhe os critérios de modo a prejudicar este ou aquele país.

E não tenhamos dúvidas sobre o que nos espera. As coisas este ano do ponto de vista da pandemia e do crescimento económico não estão a correr melhor do que em 2020. No ano passado os apoios anunciados foram poucos, chegaram tarde ou nunca chegaram. Este ano o panorama mantém-se. A ideia que o governo pretende passar de que sob o ponto de vista económico tudo está a correr bem é uma ideia errada contrariada agora por este relatório da OCDE.

Para compor este ramalhete a Comissão Europeia apresentou as suas previsões de verão. A Comissão reviu em alta as previsões para 25 países. Apenas dois ficaram a marcar passo no estado em que se encontram e Portugal é um deles. Quer isto dizer que este ano a previsão é de crescermos abaixo a União Europeia e da Zona Euro e para 2022 a mesma coisa. Em 27 países, 18 vão crescer mais do que Portugal. Por aqui ficaremos com sorte, nos 3,9% este ano e nos 5,1% em 2022.

E para se perceber qual o impacto que esta falta de crescimento terá na vida de todos nós portugueses a Comissão Europeia fez uma previsão de quando é que a economia deverá estar no ‘ponto de partida’, ou seja, no ponto em que se estava em 2019 quando a pandemia começou. Assim prevê que na União Europeia e na Zona Euro isso deverá acontecer no último trimestre deste ano (2021). Em Portugal isso só acontecerá lá para meados de 2022. Vamos com um atraso de 6 meses.

Para terminar, diz o relatório da OCDE que Portugal tem as medidas de confinamento mais severas da EU. Acrescento eu: e é dos países que menos apoia as empresas.

Porque é que aqui chegámos? Por incapacidade de desenhar os apoios certos e fazê-los chegar aos destinatários a tempo e horas. O governo tem de ouvir as empresas, preparar melhor as medidas relacionadas com a pandemia, Temos um problema de falta de rapidez a agir e uma dívida maior do que os outros.

E acima de tudo temos de nos convencer de que o PRR é um dinheiro que mais tarde ou mais cedo iremos todos pagar sob a forma de impostos. Não tenham dúvidas sobre isso!

Mafra, 14 de Julho de 2021

Mário de Sousa


[i] Melim – Ouvi dizer

[ii] OCDE Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico https://www.google.com/search?q=OCDE&rlz=1C1GCEA_pt-PTPT938PT938&oq=OCDE&aqs=chrome..69i57j0l5j0i10j0l3.5916j0j15&sourceid=chrome&ie=UTF-8

 


Mário de Sousa
Empresário, Presidente da Comissão Política Concelhia de Mafra do CDS-PP

Pode ler (aqui) outros artigos de opinião de Mário de Sousa



As opiniões expressas neste e em todos os artigos de opinião são da responsabilidade exclusiva dos respetivos autores, não representando a orientação ou as posições do Jornal de Mafra

______________________________________________________________________________________________________

 

   

Leia também