Covid-19 e variantes | Grupo etário com maior incidência e grupo com mais internados em UCI

 

De acordo com o mais recente relatório da monitorização das linhas vermelhas para a covid-19, o número de novos casos de infeção por covid-19 (por 100 000 habitantes) continua a mostrar uma “tendência crescente a nível nacional”.

A análise dos diferentes indicadores mostra uma atividade epidémica de SARS-CoV-2 de elevada intensidade e tendência crescente, disseminada em todo o país – atualmente com maior impacto nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) e Algarve.
No último mês, o aumento da atividade epidémica tem condicionado, um aumento gradual na pressão dos cuidados de saúde, em especial na ocupação dos Cuidados Intensivos e nas regiões LVT e Algarve.

A 7 de julho de 2021, a incidência cumulativa a 14 dias foi de 287 casos por 100 000 habitantes em Portugal. A pesar de todos os grupos etários apresentam uma tendência crescente da incidência, a incidência mais elevada ocorreu no grupo etário dos 20 aos 29 anos (651 casos por 100 000 habitantes) e a mais baixa no grupo etário com 80 anos ou mais (56 casos por 100 000 habitantes). A faixa etária com mais de 80 anos apresenta um crescimento de 30% em relação ao observado na semana anterior.

No período de 30 de junho a 4 de julho de 2021, o Rt continuou a apresentar valores superiores a 1, a nível nacional (1,18) e com tendência crescente em todas as regiões do continente. A região de saúde, em Portugal Continental, com o valor mais elevado foi a região do Norte (1,34).

A “linha vermelha” da incidência de 240 novos casos por 100 000 habitantes, acumulado em 14 dias, já foi ultrapassada ao nível nacional e nas regiões LVT e Algarve. A manterem-se estas taxas de crescimento, estima-se que este limiar seja atingido em menos de 15 dias também nas regiões do Norte, Centro e Alentejo.

A 07 de julho de 2021, o número de camas ocupadas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) com casos de COVID-19 nos hospitais em Portugal era de 136 doentes (corresponde a 56 % do limiar definido como crítico de 245 camas ocupadas). 82 destes doentes estão internados em UCI  na região de LVT e 15 na região Algarve.

 

O grupo etário com maior número de internados em UCI é o grupo dos 40 aos 59 anos (65 casos neste grupo etário a 07/07/2021).

Segundo o relatório, entre 24 e 30 de junho de 2021, 90% dos casos notificados foram isolados em menos de 24 horas após a notificação. 74% dos seus contactos foram rastreados e isolados no mesmo período.

É expetável que ocorram mutações nos vírus ao longo do tempo, o aumento da circulação do vírus na comunidade e o número de indivíduos parcialmente imunizados promove o aumento da frequência de novas variantes.
Até 08 de julho de 2021, foi realizada a sequenciação genómica em cerca de 10 824 amostras.

A frequência relativa das Variantes de Preocupação (VOC – Variant of Concern) em Portugal entre 21 e 27 de junho era a seguinte:

São 5 as variantes que circulam em Portugal: Alpha, Delta, Beta, Gamma e a Lambda.

  •  Variante Alpha (B.1.1.7 ou associada ao Reino Unido)
    A variante Alpha foi a variante dominante até ao mês de maio de 2021, tendo sido em grande parte substituída pela variante Delta em todo o país. O fenómeno de substituição das variantes é expectável e deve-se à vantagem adquirida das novas variantes por adaptação do vírus.
    ………………………..
  •  Variante Beta (B.1.351 ou variante associada à África do Sul)
    Na semana de 21 a 27 de junho), de acordo com os dados apurados até à data, não se identificou qualquer caso de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 da variante Beta, o que aponta para uma tendência controlada desta variante.
    ………………………..
  •  Variante Gamma (P.1 ou associada a Manaus, Brasil)
    Na semana de 21 a 27 de junho), de acordo com os dados apurados até à data, a frequência relativa da variante Gamma a nível nacional foi de 0,2 %. Estes dados representam uma transmissão pouco frequente e sem tendência crescente em território nacional.
    ………………………..
  •  Variante Delta (B.1.617.2 e associada à Índia)
    Até à data foram identificadas três linhagens distintas desta variante: B.1.617.1, B.1.617.2 e B.1.617.3.
    Foi variante mais prevalente em Portugal com uma frequência relativa de 89,1% na semana 21-27 de junho.
    A sua frequência aumentou em todas as regiões durante o mês de junho, destacando-se o forte incremento na
    região do Norte e nas Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.
    Na semana de 21 a 27 de junho, de acordo com os dados apurados até à data, foram confirmados 4 casos de infeção por SARS-CoV-2/COVID-19 com a variante Delta plus (sublinhagem AY.1) através de sequenciação genómica. O total de casos da variante Delta plus foi de 55 casos.
    ……………………
  • Variante Lambda (C.37, associada ao Perú)
    Até ao dia 7 de julho de 2021, foram identificados por sequenciação genómica dois casos desta variante no território nacional:
    – O primeiro caso (detetado em abril) refere-se a uma infeção terciária em que não foi possível identificar o caso índice.
    – O segundo caso (detetado em junho) trata-se de um cidadão alemão com história de viagem nos 14 dias anteriores ao início dos sintomas.

 

Na semana de 1 a 7 de julho observou-se um aumento do número de testes realizados e na proporção de testes positivos tendo-se verificando um aumento do número de testes na maioria das regiões.
A nível nacional, a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 foi de 4,5%, valor que ultrapassou o limiar definido de 4%.

 

   

Leia também