Torres Vedras| Escola de Torres Vedras e da Silveira premiadas no Programa Eco-Escolas

 

Foram revelados os vencedores dos prémios dos Programas Eco-Escolas deste ano e entre os premiados encontram-se a Escola EB de Silveira e a Escola S/3 Henriques Nogueira.

Os alunos da Silveira receberam uma menção honrosa na categoria “Criar com Estilo – Aves em Tecido”.

20 alunos do 1º ano com idades compreendidas entre 6 e 8 anos da Escola EB de Silveira participaram no projeto e depois da “observação direta de algumas aves no recreio da nossa escola” a “escolha foi unânime e recaiu sobre a “poupa” que lhes tinha despertado maior atenção aquando da observação”.

“Após realizaram trabalho de projeto com pequenas pesquisas para melhor conhecerem a ave escolhida, puseram mãos à obra. Técnicas e matérias utilizados A seleção dos materiais passou pelos tecidos existentes na caixa dos restos (pedaços de t-shirt, resto de lençol, meias e outros retalhinhos… tudo em fim de vida). A técnica utilizada foi recorte e colagem de tecidos com cola branca. Os alunos foram orientados pela professora titular de turma Marina Duarte. De referir que no final do trabalho cada aluno colou uma folha no tronco, como ato simbólico de um reiterar de esperança na conservação das espécies de aves, as quais nos presenteiam através dos seus belos cânticos no espaço envolvente da nossa escola.”, pode ler-se no projeto

 

 

Outro projeto distinguido noutra escola do concelho de Torres Vedras consistiu na elaboração de uma ilustração de um espaço verde (floresta, jardim), onde estava representada e camuflada a personagem Ecolápis.
Foram 442 as escolas inscritas (num total de 792 trabalhos) de diferentes graus de ensino, neste desafio, entre elas a Escola S/3 Henriques Nogueira que no escalão 3 ficou nos 3 primeiros lugares e recebeu 2 menções honrosas.

Um dos 3 primeiros prémios, foi entregue a Pedro Gomes, aluno do 11ºH.

Memoria descritiva do projeto: A porta para os sonhos abre-se num piscar de olhos, a fantasia e a emoção de quem os sonha esconde uma magia que se desenha. Achei fantástica a ideia principal deste concurso, e tentei expressar todas as emoções que senti a fazer este trabalho no papel, sem nenhum plano definido, fui desenhando e desenhando até criar um ambiente de confusão onde poderia esconder o lápis facilmente. A tarefa foi cumprida e anseio por futuros trabalhos idênticos a este, adorei poder trabalhar neste projeto e agradeço à minha professora de Desenho pelo apoio e mentoria ao longo desta jornada.

As menções honrosas foram entregues a:

Ana Moura, aluna do 11ºI.
Memoria descritiva do projeto: O meu trabalho tem como inspiração o vídeo que nos foi apresentado no âmbito do concurso.
Este tem como objetivo mostrar-nos como a Faber-Castell desenvolve a sua produção de forma sustentável, preservando a natureza e o ecossistema, assim permitindo a existência de variadas espécies nos seus terrenos.
Na ilustração que fiz, podemos encontrar alguns dos animais que habitam na sua reserva natural protegida e que foram nomeados no vídeo.
É neste ambiente que o famoso Ecolápis se esconde e brinca com eles.
Enquanto todos se divertem a jogar às escondidas num ambiente harmonioso e alegre, os animais têm como missão encontrá-lo. Mas este confunde-se com a vegetação, tornando o desafio um pouco mais complicado, porém desafiante.
Estes foram os animais que desenhei: Papa-Formigas Gigante, Formigas e outro que não sei o nome.

 

Mariana Almeida, aluna do 11ºI
Memoria descritiva do projeto: Uma combinação de criatividade e fantasia deu origem a este desenho.
Para quem gosta de contos de fadas e um mundo idealizado da realeza, foi o momento perfeito para soltar a imaginação e dar asas a este projeto.
Num flash de luz, a palavra “Faber-Castell” nada mais me associou do que a um castelo (Castell), o que de seguida me fez lembrar os seus lindos jardins encantados. Parti dessa ideia e pintei um detalhado e colorido jardim com diferentes variedades de flores e animais. Depois pensei também: “porque não fazer uma ligação com a famosa marca no meu desenho?” Então decidi colocar a margem da minha imagem como a silhueta do castelo da Faber-Castell de Nuremberg.
De certo modo já fica um ambiente mais “familiar” para esconder o nosso eco-lápis mas, será que isso vai contribuir mais para o seu encontro? Boa sorte!

 

[Imagens do Ecoescolas/ montagem capa: Jornal de Mafra]

   

Leia também