Comemorações do 2.º Aniversário da Inscrição do Real Edifício de Mafra na Lista da UNESCO

 

Decorreram hoje, tendo por palco a Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra e a Sala dos Atos da Escola das Armas, as cerimónias que marcaram as comemorações do 2.º aniversário da inscrição do Real Edifício de Mafra na lista do património mundial da UNESCO.

Os habituais discursos que marcam este tipo de cerimónias evocativas ficaram desta vez a cargo de Mário Pereira, Diretor do Palácio Nacional de Mafra, do novo Diretor-Geral do Património Cultural, João Carlos Santos, do Presidente da Comissão Nacional da UNESCO, José Moraes Cabral, do Presidente da Câmara Municipal de Mafra, Hélder Silva e da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira.

O livro “O Real Edifício de Mafra. Património Mundial” lançado nesta cerimónia, da autoria do Professor Rodrigo Sobral Cunha e do designer Tiago Sobral Cunha, foi apresentado pelo Presidente da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Professor Fernando Baptista Pereira.

A secretária de estado Adjunta e do Património Cultural lembrou Saramago no Conto da Ilha desconhecida: “Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar”, para referir que a “população de Mafra, que sempre esteve na linha da frente na defesa deste lugar único do património cultural português, tem demonstrado isso mesmo. Que gosta muito do património que aqui se preserva, é assim porque sempre quis gostar deste lugar, e nunca o ter só para si, este é hoje um património mundial”.

No contexto destas comemorações, a Câmara e a Escola das Armas assinaram um protocolo de colaboração, em busca da preservação e conservação do Real Edifício de Mafra, visando a requalificação do antigo Terreiro da Parada Militar, requalificação onde se inclui a demolição de edificado obsoleto, cumprindo-se assim uma das recomendações da UNESCO.

Para além deste protocolo foi ainda apresentado o anteprojeto do restauro do Jardim do Claustro principal do convento e do futuro percurso de visitação, que terá início nas portas férreas da fachada principal do Palácio contornando a Basílica pelo exterior, fazendo depois a ligação ao jardim da Quadra (ou dos buchos) e posteriormente ao Jardim do Cerco.

Hoje à noite, pelas 21:15 decorrerá na Basílica, um concerto comemorativo a cargo do Corto e Orquestra da Gulbenkian (concerto que orça os 21.075,00 €).

 

 

 

   

Leia também