Covid19 | Aumento da testagem e aceleração da vacinação na região de Lisboa

PUB

Desde o início de maio, que o concelho de Lisboa regista uma incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes, de novos casos, com tendência crescente.

“Esta é uma situação que nos preocupa e que deve ser encarada como um sinal de alerta, e reforço, de alerta, não de alarme” quem o diz é Lacerda Sales, Secretário de Estado Adjunto da Saúde, lembrando ainda que “os instrumentos que temos hoje à nossa disposição para fazer face à evolução da situação epidemiológica e pandémica são bem diferentes daqueles que tínhamos há uns meses atrás” referindo-se “à testagem massiva, à vacinação, ao rastreamento e ao reforço das ações ao nível da saúde pública”.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) existe uma maior densidade populacional e os movimentos pendulares fazem com que a dispersão seja maior aumentando, consequentemente, o risco de transmissão, assim, o governo decidiu atuar “de forma articulada, preventiva e proativa, ou seja, testando. E testando de acordo com uma estratégia de promoção e operacionalização de testagem e assim quebrando cadeias de transmissão”.

O reforço da testagem vai ser feito nos seguintes setores:

– Ensino Secundário e Universidades
– Profissionais de táxi e TVDE e entregas
– Locais de concentração noturna
– Interfaces de transportes
– Restauração, hotelaria e feiras

No que se refere à vacinação, sendo uma região mais populosa, a região de LVT está “ligeiramente mais atrasada” no processo de vacinação tendo cerca de 32% das pessoas vacinadas com pelo menos uma dose (na região centro a percentagem é de 38%), pelo que o processo de vacinação será acelerado em Lisboa.

A vacinação na faixa etária dos 40 anos arranca já no dia 6 de junho e na faixa etária dos 30 anos arrancará a partir de 20 de junho.

 

Leia também