Comemoração do Dia Internacional da Família [Ligue o som do computador]

PUB

Comemora-se hoje o Dia Internacional das Famílias, em que se “procura promover a consciencialização sobre as questões relacionadas com as famílias, assim como uma maior compreensão dos processos sociais, económicos e demográficos que as afetam globalmente. Também nesta data, a Organização das Nações Unidas destaca o reforço do papel da mulher no seio da família, visando o alcance da igualdade na distribuição de responsabilidades familiares”.

Na conjuntura em que vivemos, tendo a pandemia como pano de fundo, a ONU destaca necessidade de proteger famílias durante crise, visto que “a pressão económica e a incerteza aumentam, normalmente, a violência contra as mulheres e as crianças”.

A celebração deste dia tem o objetivo de consciencializar as populações e os governos, da necessidade de ter em conta um grupo importante de fatores que influenciam comportamentos, nomeadamente:

  • a importância da família e da estrutura do núcleo familiar e o seu relevo em termos da educação infantil;
  • o reforço da mensagem de união, amor, respeito e compreensão, necessárias para o bom relacionamento de todos os elementos que compõem a família;
  • e chamar a atenção da população para a importância da família como núcleo vital da sociedade e para os seus direitos e responsabilidades;
  • sensibilizar e promover o conhecimento relacionado com as questões sociais, económicas e demográficas que afetam as famílias.

Vejamos alguns dados estatísticos relativos às famílias portuguesas:

  • em 2020 (últimos dados disponíveis) havia 4.068.878 agregados domésticos em Portugal
  • destes, 852.754 eram constituídos por um só indivíduo
  • havia 971.147 casais sem filhos
  • havia 1.431.847 casais com filhos
  • havia 470.654 famílias monoparentais

O conceito de família e as relações que se embelecem entre os seus diversos membros têm vindo a mudar. Tempos e geografias houve, onde opor razões económicas, ter filhos do sexo masculino era a ambição maior das famílias, tempos em que o trabalho infantil não só era tolerado, como era incentivado, tempos em que as crianças eram parte importante do sustento das famílias, trabalhando desde tenra idade. Tempos houve em que o pai era o cabeça de casal e a mulher não trabalhava fora de casa, tempos em que nas famílias, as agressões aos mais fracos, mulheres e crianças, eram toleradas. Tempos que o tempo se encarregou de exterminar, embora em algumas latitudes e em algumas bolsas sociais e culturais, as coisas ainda tenham demasiados pontos de sombra, no que às famílias diz respeito.

Mais recentemente surgiram novas formas de família, às quais as sociedades se estão a adaptar, são as famílias monoparentais e as famílias constituídas por duas pessoas do mesmo sexo. Independentemente do modelo familiar adotado, os valores a preservar são os mesmos, a união, o amor, o respeito e a compreensão.

Em 2021, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens – CPCJ de Mafra, em colaboração com a comunidade educativa do concelho, desenvolveu uma atividade que consistiu em apresentar um desafio às crianças/jovens do concelho, no sentido de que trabalhassem o tema: “Ser família é……“. A partir das frases recebidas, algumas foram selecionadas e com elas foram fizeram-se 2 postais para serem enviados às famílias em acompanhamento pela CPCJ. Um desses postais faz a capa desta notícia.

Neste contexto, as crianças do CLEVA – um coro de leitura da Escola Básica da Póvoa da Galega gravaram alguns clips de som com as frases selecionadas, é um desses clips que divulgamos de seguida.

Assim, pedimos que liguem as vossas colunas de som e que desfrutem da delícia que é ouvir estas meninas e estes meninos.

Leia também