Covid-19 | Linhas vermelhas mostram um Rt estabilizado e uma reduzida pressão nos serviços de saúde

De acordo com o mais recente relatório da monitorização das linhas vermelhas para a covid-19, o número de novos casos de infeção por covid-19 (por 100 000 habitantes) mostra uma “tendência estável a nível nacional”.

A 28 de abril de 2021, a incidência cumulativa a 14 dias foi de 68 casos por 100 000 habitantes em Portugal, tendo a incidência mais elevada ocorrido no grupo etário 10 aos 20 anos (105 casos por 100 000 habitantes) e a mais baixa no grupo etário com 80 anos ou mais (31 casos por 100 000 habitantes).

O Rt apresenta valores inferiores a 1, a nível nacional (0,98) e a região de saúde, em Portugal Continental, com o valor mais elevado a registar-se nas regiões do Norte e do Centro (1,00) já a região do Algarve (0,89) apresentou o valor mais baixo.

Desde 9 de abril que o valor de Rt indica uma tendência decrescente ou estável – que parece ter estabilizado nos últimos dias. Considerando o valor de Rt médio dos últimos 5 dias poderá atingir-se a incidência de 60 casos por 100 000 habitantes no prazo de 15 a 30 dias.

No continente, o número diário de casos de covid-19 internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) mostra uma tendência ligeiramente decrescente.
O grupo etário com maior número de internados em UCI é o grupo dos 70 aos 79 anos (26 casos neste grupo etário a 28/04/2021).

De acordo com o relatório, entre 22 e 28 de abril de 2021, 98% dos casos notificados foram isolados em menos de 24 horas após a notificação. 81% dos seus contactos foram rastreados e isolados no mesmo período.

Em relação às novas variantes e tendo por base a sequenciação genómica em 6650 amostras realizadas pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, até ao dia 30 de abril de 2021, identificaram-se:

  • estima-se que a prevalência de casos associados à variante do Reino Unido (B.1.1.7) seja de 90%
  • 68 casos (+14) associados à variante da África do Sul (B.1.351)
  • 85 casos (+42) associados à variante de Manaus, Brasil (P.1)
  • 6 casos associados à variante da Índia (B.1.617) (3 na região do Centro e 3 na região de Lisboa e Vale do Tejo)
    (2 dos casos poderão tratar-se de casos importados. Em 3 casos, foi identificada uma ligação epidemiológica a caso de infeção por esta variante com história de viagem recente do estrangeiro, um deles da Índia. O último caso tem uma relação familiar com um destes últimos três casos)

Na variante da África do Sul e na variante de Manaus, Brasil a ausência de história de viagem ou contacto com casos confirmados com esta variante para a maioria dos casos mais recentes suporta a existência de transmissão comunitária ativa desta variante.

No geral, os dados sugerem uma situação epidemiológica com transmissão comunitária de moderada intensidade e uma pressão reduzida nos serviços de saúde.

Observa-se um aumento no número de testes realizados sendo a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 de 1,0%.

 

   

Leia também