Conheça as exceções ao recolhimento domiciliário

Foram ontem apresentadas as regras do novo confinamento que entrará em vigor às 00h00 de amanhã, dia 15 de janeiro.

“Temos de ficar em casa. Essa é a regra essencial” referiu ontem António Costa, estando decretado o dever geral de recolhimento domiciliário pelo menos entre as 00h00 do dia 15 de janeiro e as 23h59 do dia 30 de janeiro, com fortes possibilidades de se vir a prolongar por mais 15 dias.

Existem, no entanto, exceções a este “fique em casa”, sendo permitida a circulação para:

  • ​​​​​​​Ir trabalhar
  • Procurar emprego e/ou responder a propostas de trabalho
  • Ir para o estabelecimento escolar (universidades, escolas, creches)
  • Levar as crianças à escola, creche, jardim de infância
  • Prestar assistência a pais, filhos, idosos dependentes e pessoas vulneráveis
  • Realizar partilha de responsabilidades parentais
  • Ir às compras de bens essenciais ou à farmácia
  • Acompanhar ou transportar outra pessoa ao médico ou para dar sangue
  • Aceder a serviços públicos, mediante marcação prévia
  • Ir aos correios, ao banco ou agentes de seguros
  • Praticar exercício físico e desporto ao ar livre, desde que sozinho (os ginásios voltam a fechar)
  • Participar em cerimónias religiosas
  • Fazer voluntariado
  • Prestar assistência a vítimas de violência doméstica, tráfico de seres humanos ou para proteger jovens em perigo
  • Visitar pessoas institucionalizadas em lares, unidades de cuidados continuados ou centros de dia
  • Passear o animal de estimação de forma rápida, perto de casa e sozinho
  • Ir ao veterinário
  • Prestar assistência a animais ou associações zoófilas
  • Para ir votar ou participar em ações campanha eleitoral
  • Entrar ou sair do país

Leia também

Comentário