Torres Vedras | Teatro-Cine de Torres Vedras recebe dois espetáculos de dança no fim de semana

Apesar do contexto de pandemia, o recém requalificado Teatro-Cine de Torres Vedras prossegue com a sua programação e no próximo fim de semana será palco de dois espetáculos de dança .

27 de novembro de 2020 (6ª feira) (*)

21h00 – “A Quiet Moment” pela Companhia de Dança de Almada
Destinatários: M/12

No ano de 2020 assinalam-se 60 anos desde a criação de Psycho (1960), de Alfred Hitchcock, e 40 anos sobre a morte do realizador (1980). Em A quiet moment, o coreógrafo lança um olhar contemporâneo sobre este objeto histórico, numa exploração dialética entre o presente e o passado.

A noção de suspense é um dos principais conceitos explorados, mas também a ironia e o meta-drama, enquanto acompanhamos, naquele que é simultaneamente um palco, um set de filmagens e um filme, o bailarino a ser ator, e o ator a ser personagem.

Criação: Bruno Duarte
Cocriação: Beatriz Rousseau, Bruno Duarte, Francisco Ferreira, Joana Puntel, Luís Malaquias, Mariana Romão e Raquel Tavares
Sonoplastia: Bruno Duarte, a partir de Psycho, de Alfred Hitchcock
Figurinos: Micaela Sapinho
Cenografia: Bruno Duarte
Apoio à cenografia: Carlota Machado
Desenho de luz: Hugo Franco – Stageplot
Ensaiadora: Maria João Lopes
Crédito Fotográfico: Ester Gonçalves

 

 

30 de novembro de 2020 (2ª feira)

21h00 – “DEN.TRO” por Maria Fonseca
Destinatários: M/16

DEN.TRO é uma viagem interna ao templo corpo. A busca do eu. Luz, sombra, consciente e subconsciente. Proponho o corpo como escultura viva, veia de comunicação, armazém de memórias e emoções talhado pelas experiências da vida. DEN.TRO investiga estados internos numa amalgama de fiscalidade e imaginário. Um estudo sobre a identidade que emerge do oceano relacional do ser.

“Interrogo-me agora como é possível que alguém veja claramente, se não se vê a si próprio? Não há mudança da sombra para a luz, nem da inércia para o movimento, sem emoção…a emoção é um fogo alquímico…fonte privilegiada da consciência.” Carl Jung

Coreografia e interpretação: Maria Fonseca
Assistentes de direção: Ekin Bernay/Sandra Rosado
Música: Luís Fernandes
Luz: Jorge Rosado
Fotografia: Helena Gonçalves
Apoio: Fundação Calouste Gulbenkian
Residências artísticas: DeVIR – CAPa, Companhia Olga Roriz, Espaço das Gaivotas , Espaço do Tempo
Coprodução: Maria Fonseca com o Espaço do Tempo, Teatro das Figuras e Útero Associação Cultural

Contém cenas de nudez

 

(*) pode assistir a este espetáculo ao vivo ou via live streaming (on line).

[Imagens: Teatro-Cine de Torres Vedras; Montagem de capa: Jornal de Mafra]

Leia também