Autoridade Marítima e Marinha alertam para o agravamento da agitação marítima nos próximos dias

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) emitiu os seguintes avisos, para o distrito de Lisboa, relacionados com a agitação marítima prevista para os próximos dias:

  • Amarelo – Agitação Marítima
    Ondas de noroeste (NW) com 4 a 5 metros.
    Válido entre 2020-10-28 09:00:00* e 2020-10-28 18:00:00 (hora UTC)

…………………

  • Laranja – Agitação Marítima
    Ondas de noroeste (NW) com altura significativa de 5 a 6 metros (podendo haver ondas de altura máxima até 10 metros).
    Válido entre 2020-10-28 18:00:00 e 2020-10-29 12:00:00 (hora UTC)

…………………

  • Amarelo – Agitação Marítima
    Ondas de noroeste (NW) com 4 a 5 metros.
    Válido entre 2020-10-29 12:00:00 e 2020-10-30 00:00:00 (hora UTC)

 

Dadas as previsões do IPMA a Autoridade Marítima e Marinha alertam para o agravamento excecional da agitação marítima nos próximos dias, sobretudo na região a Norte do Cabo Carvoeiro, entre as 12h00 de amanhã, dia 28 de outubro, e as 12h00 de sexta-feira, dia 30 de outubro.

Nestes dias a agitação marítima será “caracterizada por ondulação proveniente do quadrante Noroeste com altura significativa entre os 4m e os 7m, podendo a altura máxima atingir os 12 metros, com um período médio de 18 segundos”.

A Autoridade Marítima Nacional e a Marinha reforçam a recomendação, “em especial à comunidade piscatória e da náutica de recreio que se encontra no mar” aconselhando “o eventual regresso ao porto de abrigo mais próximo e a adoção de medidas de precaução”.

Em comunicado aquelas autoridades aconselham ainda “o reforço da amarração e vigilância apertada das embarcações atracadas e fundeadas, bem como evitar passeios junto ao mar, de onde se destacam os molhes de proteção dos portos”.

Aos marítimos é ainda aconselhado que “mantenham um estado de vigilância permanente” e que seja evitado “sair para o mar até que as condições melhorem”.

À população é aconselhado “que se abstenham da prática de passeios junto à orla costeira e nas praias, bem como da prática de atividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima, sendo essencial que assumam uma postura preventiva não se expondo desnecessariamente ao risco.
Caso exista absoluta necessidade de se deslocar até à orla costeira, deverá manter uma atitude vigilante”.

Em relação à pesca lúdica o comunicado refere que “desaconselha-se vivamente a pesca lúdica, em especial junto às falésias e zonas de arriba nas frentes costeiras atingidas pela rebentação das ondas, tendo sempre presente que nestas condições o mar pode facilmente alcançar zonas aparentemente seguras”.

 

banner dgs

Leia também