Hoje é Dia Mundial de Combate ao Bullying

Assinala-se hoje, 20 de outubro, o Dia Mundial de Combate ao Bullying.

O Ministério da Educação refere em comunicado que “apesar de o ano letivo 2019/2020 ter sido muito atípico” não quis deixar de premiar o trabalho desenvolvido pelas escolas no âmbito do projeto “Escola Sem Bullying | Escola Sem Violência”.

Após análise e avaliação ao trabalho realizado pelas escolas que responderam ao inquérito, 52 agrupamentos de escolas/escolas não agrupadas, receberam o selo “Escola Sem Bullying | Escola Sem Violência”

Foram ainda identificados 1 694 alunos como Embaixadores “Escola Sem Bullying | Escola Sem Violência” no universo de 117 agrupamentos de escolas/escolas não agrupadas que responderam ao inquérito.

O projeto “Escola Sem Bullying | Escola Sem Violência” foi lançado no ano passado e pretende contribuir para “uma escola mais inclusiva, promotora de um ambiente seguro e saudável, que permite às crianças e jovens desenvolver valores e competências que promovam o desenvolvimento pessoal e a plena intervenção social”.

Ao longo do ano letivo 2019/2020 foram realizadas:

  • 450 ações de sensibilização, comemoração, informação, formação ou partilha de práticas promovidas.
  • 106 ações de prevenção e combate ao Bullying e Ciberbullying no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento, desenvolvidas por agrupamentos de escolas/escolas não agrupadas.
  • 153 ações de formação destinadas a docentes, não docentes e, até, encarregados de educação, desenvolvidas nas escolas que responderam ao inquérito realizado.

Para o ano letivo 2020/2021 estão previstas ações de formação dirigidas aos vários agentes da comunidade educativa (pessoal docente, pessoal não docente e vigilantes).


O Bullying pode ser definido como um conjunto de comportamentos de carácter agressivo, adotados entre pares, de modo intencional e repetido, podendo afetar e causar dano – a nível físico, verbal, social/relacional, psicológico e/ou sexual – às crianças e jovens, envolvidos numa relação de desequilíbrio de poder entre o agressor e a vítima. As vítimas de bullying podem sentir maior tristeza, diminuição de autoestima, desmotivação e baixa de rendimento escolar, perturbações alimentares e de sono, e maior propensão para comportamentos depressivos.

O Ciberbullying consiste em humilhar, excluir ou até agredir alguém, de forma repetitiva e sistemática, através de ações virtuais. São várias as formas de comunicação, com recurso à Internet, que possibilitam este tipo de agressão, podendo recorrer a uma variedade de conteúdos com essa finalidade como, por exemplo, conteúdos de fotografia, de vídeo, de áudio ou de texto. As consequências do ciberbullying nas vítimas são idênticas às do bullying.

   

Leia também