Eleições para a CCDR de Lisboa | Distrital de Lisboa do CDS recomenda voto nulo como forma de protesto

Eleições para a CCDR de Lisboa | Distrital de Lisboa do CDS recomenda voto nulo como forma de protesto

João Gonçalves Pereira, presidente da distrital de Lisboa do CDS-PP deu hoje indicação aos presidentes das concelhias para que votem nulo na eleição das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR).

Vou dar como orientação aos presidentes concelhios que seja feito um voto de protesto, que deve traduzir-se na própria anulação do boletim de voto” na eleição da CCDR, que decorre amanhã, afirmou João Gonçalves Pereira em declarações à Lusa.

O deputado centrista afirmou ainda que esta é a “forma de mostrar que o CDS não quer participar neste embuste“.

O presidente da distrital de Lisboa do CDS apelidou a eleição dos presidentes das CCDR como um ato de “vergonha nacional“, já que em vez de “candidaturas espontâneas, PS e PSD entenderam-se e distribuíram os lugares entre si“.

Os autarcas do CDS não são figurantes nem fantoches nesta encenação”, nem participam “em atos que se traduzem em mascarar a democracia“, afirmou.

Também o CDS-PP/Porto deixou um apelo a todos os deputados municipais, convocados para votar, para que, “não deixando de cumprir as suas obrigações cívicas e comparecendo no ato eleitoral, se assim o entenderem, se abstenham de contribuir para esta votação com um voto positivo“.

As CCDR são serviços desconcentrados da Administração Central, dotados de autonomia administrativa e financeira, incumbidos de executar medidas para o desenvolvimento das respetivas regiões, como a gestão de fundos comunitários.

Leia também